sexta-feira, 14 de outubro de 2011

'E se em Janeiro houver outro desvio colossal para apanhar mais dinheiro?'

O bispo das Forças Armadas, Januário Torgal Ferreira, lamentou hoje que os sucessivos «desvios colossais» não sejam explicados nem provados e considerou que as medidas anunciadas pelo governo revelam «falta de lucidez».
Januário Torgal Ferreira falava à Agência Lusa a propósito das medidas anunciadas quinta-feira pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, entre as quais a eliminação do subsídio de férias e de natal para alguns trabalhadores.
«Quem me garante que em Janeiro não existirá um outro desvio colossal, quem sabe inventado, para apanhar mais dinheiro?», questionou o bispo.
O bispo sublinha: «As pessoas não apresentam provas das realidades das situações, para as quais eu tenho de despejar dos meus bolsos o pouco dinheiro que tenho. Então era um desvio colossal e agora são vários?».
«Estou disposto a colaborar e a cooperar, como é meu dever, para salvar o meu país, mas tenho muito medo que uma tentativa salvacionista se transforme num suicídio», disse.
Januário Torgal Ferreira considera que as medidas agora anunciadas terão «consequências graves perante gente que nunca teve nada, nunca foi respeitada, ainda que seja a boca dos mais vulneráveis, os mais pobres e aflitos».

Fonte: aqui

5 comentários:

Evágrio Pôntico disse...

Confesso, com toda a clareza: não gosto, nunca gostei, e detesto cada vez mais, este Sr. Bispo-general. Funcionário público da tropa, recebe um chorudo ordenado, sem nada que o justifique. Além disso, como maçon que é, obedece aos do avental, em vez de fazer o anúncio do Evangelho...!

Asas da Montanha disse...

Caro amigo:
Com todo o respeito pela sua posição, eu discordo.
D. Januário é um Bispo que vive num simples andar, e não esconde a profecia. Não é o facto de desempenhar um cargo pago pelo Estado que lhe diminui a cidadania e que o torna menos livre.
Não vá pela maçonaria, isso é um rótulo tonto que lhe tentam colar algumas forças fundamentalistas ditas cristãs. É Cristo e o homem que essenciam o seu pensamento.

Licurgo disse...

Senhor Padre Carlos,
agradecido pelo esclarecimento.
Contudo, não deixo de notar que o Senhor Bispo, nas grandes questões que se colocaram em Portugal, na sociedade civil, e que ferem os princípios católicos (aborto, uniões gays, divórcio, etc.) tem tomado posições algo estranhas, para não dizer dúbias...
Abraço em Nosso Senhor.

Carlos Asseca disse...

Concordo, de alguma forma, com os comentadores Evágrio Pôntico e Licurgo.
Sublinho, também, a chamada de atenção do Sr. Padre Carlos. De facto, nem sempre o que se ouve dizer corresponde à verdade, mas o certo é que o Sr. Bispo D. Januário nem sempre tem tido uma postura muito escorreita no que concerne às últimas grandes questões que se têm debatido em Portugal e que afectam os católicos.
Lamento dizê-lo, mas muitos católicos não gostam da figura do Sr. D. Januário.
P.S. Parabéns pela escolha da música do blogue.

Asas da Montanha disse...

Caro Carlos Asseca:
Obrigado pela visita e pelos parabéns referentes à música do blog.
Com todo o respeito pelos que discordam do bispo D. Januário, pelo menos há algo que todosw poderão reconhecer: Não se esconde, "dá a cara", assume-se e assume o que diz.
Muitos católicos não gostam da figura do Sr D. Januário", pois... E de Cristo, todos gostaram??? Até por isso D. Januário é afirmativo. Independentemente de as pessoas gostarem ou não, não deixa de expressar o que pensa.
Porque o conheço, sei que é um crente apaixonado por Cristo e pelo homem.