domingo, 31 de janeiro de 2010

Dia Mundial dos Leprosos

"A lepra é a filha primogénita da pobreza"
- Raoul Follereau
No último Domingo de Janeiro de cada ano, é celebrado o Dia Mundial dos Leprosos, o qual foi instituído pela ONU, em 1954, a pedido de Raoul Follereau, o Apóstolo dos Leprosos do século XX.
A Lepra é uma doença dermatológica, infecciosa, crónica que atinge as pessoas pelo contágio, em especial as mais frágeis que sofrem de desnutrição, falta de água potável e baixos padrões de higiene. Raoul Follereau chamava à lepra a filha primogénita da pobreza.
O Dia Mundial dos Leprosos celebra-se neste dia 31 de Janeiro de 2010 e será mais uma oportunidade para levar as pessoas a reflectirem sobre a situação de sofrimento das vítimas desta doença e a partilhar com elas a sua solidariedade e algo dos seus bens, para ajudar a tratar as suas feridas, aconchegar os seus estômagos, prestar mais informação sobre a doença, reabilitar e reinserir quem está marginalizado por causa desta enfermidade.
Quando a Lepra é diagnosticada e tratada atempadamente, evita-se a formação de úlceras, a afectação do sistema nervoso periférico, a produção de lesões graves nos pés, nas mãos e evitar a cegueira.
Actualmente há tratamento e cura para a doença e são tratados, efectivamente, cerca de um milhão de doentes por ano. No entanto, as precárias condições de vida de muitas populações, devido à pobreza, às injustiças sociais, à ignorância, às guerras e às calamidades naturais causam o aparecimento de 400/500 mil casos novos por ano.
Raoul Follereau (1903/1977) dedicou 50 anos da sua vida à causa dos Leprosos “os mais pobres dos pobres”, como ele os definia, orientando a sua acção sob a mensagem “combater a Lepra e todas as causas de exclusão social”.
A Associação Portuguesa Amigos de Raoul Follereau inspira a sua actividade na Mensagem de Raoul Follereau, a favor dos doentes de Lepra e vítimas de todas as “lepras”. Em Portugal, a APARF colabora com ajuda material e social, ao mesmo tempo que acompanha os casos mais urgentes e de maior necessidade, tanto nacionais como estrangeiros, cujo número total ronda presentemente meia centena de hansenianos e seus familiares.
APARF

Há muito de mórbido nesta maneira de ser

Sempre que a encontro, já sei o tipo de conversa: doenças!
Já lhe disse que se continuar a falar tanto de doenças ainda fica doente.
De facto a esperança e as coisas bonitas e belas da vida não seduzem os portugueses - no geral. Preferem o trágico. Aí encontram matéria para conversas sem fim. Há muito de mórbido nesta maneira de ser.

Domingo. O dia em que o Senhor ressuscitou, resgatando a esperança e o sentido da vida.
Compreendo que na vida de cada um de nós, das famílias e das comunidades há sempre a presença de Sexta-Feira Santa. Mas também existe Páscoa, Ressurreição, Esperança. E são estas que dão sentido à dor e à vida.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

O Pedro pode vir a andar e a ver! Basta que ajudemos...

CARREGUE NA IMAGEM PARA VER EM GRANDE!

Vale a pena partilhar, reflectir, assumir na nossa vida

Jesus lá sabia! Perdoar, antes de mais, favorece-nos e dá maior qualidade a nossa vida. Como diz um psiquiatra brasileiro, Augusto Cury, quando a pessoa não perdoa, acaba por se sentar à mesa com o inimigo, dormir com ele, andar o dia inteiro a pensar nele, nada fazer sem que o pensamento esteja sintonizado na pessoa que magoou...
P.e Manuel Gonçalves

PERDOAR - FRAQUEZA OU VALENTIA?

O tema do perdão tem feito e continuará a fazer correr muita tinta. Se, para uns, é valentia, superio­ridade moral, acto heróico por vezes, não falta quem julgue tratar-se de uma abdicação da personalidade, de inferioridade, de cobardia moral.
Quando reflectíamos sobre este tema, caiu-nos debaixo dos olhos esta reflexão de um psicólogo moderno: - "Pessoas que não perdoam tendem a tornar-se iguais (ou piores) que aqueles que as magoaram até pelos sentimentos de vingança, que muitas vezes passam a actos"... E ainda, com uma pitada de ironia: - "Independentemente do nosso perdão, os outros seguem com a vida deles e nós é que ficamos mal, com a nossa amargura"...
Assim sendo, afigura-se-nos que até humana­mente é errado e mesmo prejudicial negar o perdão a alguém.
Lá da antiguidade pré-cristã, vem-nos a chamada "pena de talião": - "dente por dente, olho por olho". E não faltará quem se interrogue sobre quem teria sido esse férreo "talião': Pois não se trata de uma hipotética pessoa. É simplesmente a formulação da regra que proibia, em qualquer punição, exceder o equivalente à gravidade do crime que se intentava punir. Diríamos que é uma "lei de paridade", de igualdade, proibindo a aplicação de castigos incontrolados.
O problema do perdão já um dia foi apresentado ao próprio Cristo. E Ele, além de ter ensinado a rezar "perdoai-nos as nossas ofensas como nós perdoa­mos"..., respondeu a pergunta de Pedro: - "Não te digo que(perdoes) até sete vezes, mas até setenta vezes sete", o que quer dizer ilimitadamente. E Ele próprio, condenado a morte injusta e infamante, perdoou aos seus algozes... E não pode haver crime maior do que tirar a vida a um ser humano. Para mais, no caso presente, ao inocente Filho de Deus. Contudo, Ele implora, do alto da cruz: " Pai, perdoa-lhes”…
Mas nós vivemos numa época de confusões múltiplas. Por um lado, pseudo-intelectuais lutam de­sesperadamente intentando apagar da nossa cultura a indelével marca da Divindade. Em substituição de Deus, projectam e fabricam "super-homens" mas que não passam de criaturas "de pés de barro': Endeusa- se o homem, elevando-o à condição de ser superior, infalível, impiedoso, insensível, ao qual nada nem ninguém possa colocar barreiras nem jamais pedir contas. É um ser desumanizado. Por isso, perdoar é indigno dele.
Resultado? Está bem a vista, estampado diaria­mente nas páginas da Comunicação Social: - o homem sem Deus cedo se transforma em "lobo do outro homem':'
Voltando ao pensamento inicial e concluindo: - no nosso modesto entender, quantos sinceramente se dispõem a conceder perdão ao seu semelhante afinal são uns valentes, porque conseguem sobrepor, ao natural instinto e desejo de vingança, a magnânima e cristã decisão de perdoar ofensas ou injúrias.
E quantos transtornos psíquicos, dramas, crimes, guerras se evitariam, se reinasse, entre os homens, a tão nobre e reconfortante cultura do perdão! A começar pelo seio das famílias.
J. d’Oliveira, in JB

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A vocação para semear é universal

"Não julgues o sucesso de cada dia pelas colheitas que fazes, mas pelas sementes que plantas." - Robert Louis Stevenson

Orçamento de Estado: Economistas criticam proposta governamental

Carregue no título para ler.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Decorrente da lei islâmica em vigor

Ela tem 16 anos e foi violada. Ele tem vinte e foi o violador.
Ela foi condenada a 101 chicotadas. Ele foi ilibado...
Uma adolescente do Bangladesh foi condenada a 101 chicotadas por ter engravidado na sequência de uma violação. Essa pena, decorrente da lei islâmica em vigor, foi decidida pelos anciãos da sua aldeia, os quais ilibaram o violador.
A rapariga de 16 anos ia a caminho do liceu quando foi violada por Enamul Mia, de 20 anos, em Abril. A sua família chegou a combinar um casamento com um homem de outra aldeia, mas a união foi desfeita quando se verificou que ela já estava grávida de seis meses.
O castigo foi aplicado pelo líder da aldeia e a rapariga, que entretanto fez um aborto, acabou por perder os sentidos com as dores, forçando uma interrupção de duas horas.
O pai da vítima também foi obrigado a pagar uma multa à aldeia para evitar ser ostracizado pelo resto da comunidade.
Activistas de organizações de Direitos Humanos do Bangladesh já foram à aldeia e um responsável da polícia garantiu que irá investigar a ocorrência se alguém apresentar queixa.
L.R., Correio da Manhã
Que dizem a isto...
- Os movimentos feministas, o Bloco e o SOS racismo?
- A opinião pública mundial?
- Os jornalistas?
- A intelectualidade europeia?
Parece que hoje existe nos bem-pensantes europeus uma tolerância - para não lhe chamar simpatia - em relação ao mundo muçulmano.
Se se trata da Igreja católica, à mínima falha, caem em cima como abutres, içando mil fantasmas. Mas se o que está em causa é a violação dos direitos humanos pelos seguidores do Islão, então cai o pano do silêncio cúmplice.
Enfim, é a Europa, que negando as suas raízes, se abre a quem está pronto para devorar a civilização europeia...

Nas pegadas da vida

A pobre saúde dos pobres
Seis em cada 10 famílias tiveram dificuldade em seguir tratamentos médicos no último ano por motivos económicos, revela um inquérito da DECO Proteste, publicado na revista Teste Saúde de Fevereiro.

Aumento de impostos sobre prémios da banca?
Ouvi na rádio, esta manhã, que o governo se prepara para aumentar os impostos sobre os prémios da banca. Concordo. Boa notícia.
Mas só sobre a banca? E as outras empresas, muitas delas públicas, com prémios escandalosos aos seus altos quadros?
Há que intervir. Para evitar afrontas à situação de milhares de pessoas que vivem na pobreza. Em nome da justiça social.
--
Um dia de ordenado para o Haiti
A Assembleia Legislativa da Madeira aprovou hoje por unanimidade a atribuição do salário de um dia de trabalho dos deputados às vítimas do sismo no Haiti.
Ora aí está um belo gesto de solidariedade. O parlamento madeirense, tantas vezes criticado - quando não redicularizado na comunicação social - acaba de dar uma prova de maturidade em solidariedade humana. Parabéns!
---
Jogo na Luz para ajudar o Haiti
Belo. Mais de cinquenta mil pessoas. Um jogo de futebol para ajudar as vítimas do sismo no Haiti. É o futebol na sua face maravilhosamente humana.

Nuca deixe de passar por aqui...

http://paroquiadetarouca.blogspot.com/

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Por favor, não passe à frente! Veja, reveja. É que cada um de nós é um veleiro...

80 milhões de europeus vivem na pobreza, entre eles, 19 milhões de crianças.

2010 - Ano Europeu de Combate à Pobreza e à Exclusão Social

Há dez anos os líderes europeus fixavam o ano de 2010 como a meta para reduzir para metade a pobreza. O ano começou mas os números falam por si: 80 milhões de europeus vivem na pobreza, entre eles, 19 milhões de crianças.
Grécia, Letónia ou Espanha são os países europeus com maior número de pobres. Mas a situação agravou-se em todo o continente desde o início da crise económica, em 2008.
Nicolas Dermine, de um organismo de solidariedade de Bruxelas, sentiu os efeitos nas ruas: “Desde o início da crise, e talvez um pouco antes, houve muitas mudanças ao nível dos sem-abrigo. Encontramos na rua muitas mais pessoas vindas de França, de Espanha, da Holanda…”
Com o Ano europeu de Luta Contra a Pobreza e a Exclusão Social, os dirigentes políticos e as ONG’s esperam sensibilizar a opinião pública e chamar a atenção para a importância da responsabilidade colectiva no combate. Pois pobreza é mais do que falta de casa ou de comida.
Régis De Muylder, da ONG ATD Quart Monde, explica que “hoje, mais do que há uma década, as pessoas que vivem na pobreza têm dificuldades de acesso a direitos fundamentais, quer seja ao alojamento, ao ensino ou aos cuidados médicos”.
Diversas ONG’s já avisaram: sem medidas drásticas e urgentes terão sido inúteis os esforços da última década.

Acordo ortigráfico. Conhece as alterações?

domingo, 24 de janeiro de 2010

Toureiro Pedrito Portugal na equipa da AMI no Haiti

Carregue no título para ver a notícia.

Os amigos são para as ocasiões

Tinha aqui uma série de pequenos problemas referentes às novas tecnologias. Para mim, grandes obstáculos, mas para a gente nova coisas de somenos.
Por exemplo, a televisão pelo Meo não estava a dar. Aparecia sempre "Non signal". Precisava de extrair música de vídeos e não sabia como proceder. Gostava de publicar vídeos nos blogues ao lado da página ou ao fundo e não havia meios de atinar. Entre muitas outras pequenas (para mim importantes) questões.
De facto, em questões relacionadas com as novas tecnologias, a gente nova sabe muito mais do que a generalidade dos mais velhos e sente outro à-vontade. Há que ser humilde e não ter vergonha de confessar as nossas limitações, sabendo sempre aprender.
Como hoje tinha a tarde mais desafogada, pedi-lhe se me podia vir ajudar. Apareceu e acaba de regressar. Fiquei com os meus problemazinhos resolvidos. Além disso, falámos muito de outros assuntos: os livros que ambos andamos a ler, a situação dos jovens no contexto actual, os desafios colocados à Igreja pelo mundo hodierno.
Obrigado, jovem amigo, pela ajuda inestimável nas questões técnicas e pela conversa franca que mantivemos. Que a bênção de Deus te acompanhe!

Homenagem ao Haiti

Vejam ao fundo da página um vídeo que é uma canção de homenagem às vitimas do Haiti.

Cenas conjugais

sábado, 23 de janeiro de 2010

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Conselho de Arciprestes

Decorreu hoje na Casa de São José, Lamego, a reunião do Conselho de Arciprestes.

Entre muitos outros assuntos de interesse para a acção pastoral, mereceu especial destaque a partilha de experiências sobre o modo como cada arciprestado está a viver o Plano Pastoral e o Ano Sacerdotal.

Sem vedetismos ou ânsia de protagonismos, cada arcipreste partilhou experiências, vivências, projectos e também menos sucessos. Gostei muito de algumas experiências apresentadas.

Também se analisou largamente a última Asssembleia do Clero. Apesar de pontos de vista nem sempre concordantes, todos foram de opinião que este momento sacerdotal deve ter continuidade.

Foi uma manhã cheia, mas bem agradável. Na minha modestíssima opinião, dos melhores conselhos em que participei. Talvez por ter falado pouco... ahahahah

Por compromissos assumidos, tive que regressar quando os restantes elementos ainda acabavam de almoçar. Foi pena, porque aquele momento de convívio final é sempre muito agradável. Mas quem tem senhor, não é senhor!

Só um pormenor. Imaginem quem foi hoje à mesa o "bombinho da festa"! Pois, fui eu. Sabem porquê? Por causa do carro que disse que ia comprar e que ainda não comprei! Ui, aquele grupinho junto de quem comi, fez um autêntico romance! Nem o Vigário Geral me defendeu. São uns patifórios estes meus colegas! Mas é óptimo que o sejam!
Já sei. Mesmo que venha a comprar carro novo, na próxima reunião do Conselho de Arciprestes vou no velho Golf, caso contrário já imagino a dose... Ahahahah

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

CLARA FERREIRA ALVES (artigo demolidor)

Lei aqui:
http://sertorius.blogs.sapo.pt/

Por maus futebóis

_
Pinto da Costa agastado com exibição

Pinto da Costa não terá gostado mesmo nada da exibição do FC Porto e não o escondeu no final do jogo, juntando-se em seu redor Antero Henrique e Joaquim Pinheiro enquanto extravasava o seu descontentamento. Ao contrário do que é hábito, o presidente dos tetracampeões nacionais esperou que Jesualdo Ferreira saísse dos balneários para, ao que tudo indica, lhe manifestar o seu descontentamento com uma das exibições mais pobres da equipa esta época. É certo que na prática o FC Porto conseguiu apurar-se para os quartos-de-final da Taça de Portugal, mas esteve longe de convencer. Desta vez, nem Pinto da Costa se conseguiu conter perante uma atitude excessivamente passiva da equipa.
In O Jogo
----
Atenção, amigos portistas, que esta informação não é de A Bola, ou do Record. É mesmo de O Jogo!!!
De facto é revoltante ver o PCP jogar como tem vindo a jogar. Mais é vergonhoso. Até o Presidente do meu Clube, sempre hábil a defender a vida interna do mesmo, não foi capaz de esconder o seu descontentamento.
Jesualdo Ferreira nunca deveria ser o treinador esta época. Os factos cada vez mais me dão, infelizmente, razão.
Jesualdo Ferreira foi a escolha errada para esta época. De todo.

Murros e empurrões
SÁ PINTO DEIXOU DE SER O DIRECTOR DESPORTIVO DO SPORTING
Liedson e Sá Pinto desentenderam-se violentamente no final do encontro, já em pleno balneário do Estádio José Alvalade. Na base da discussão, ocorrida na presença de todos os jogadores, esteve o erro de Rui Patrício que resultou no segundo golo do Mafra e, embora ninguém assuma que avançado e director de futebol chegaram a vias de facto, é certo que existiram empurrões e alguns murros pelo meio.
Diversos jogadores tentaram separar os dois contendores, mas o ambiente só serenou quando o luso-brasileiro foi retirado do balneário, argumentando que, a partir de ontem, dificilmente conseguirão conviver no mesmo espaço. "É ele ou eu!", foi a ideia deixada pelo goleador.
Carvalhal assistiu à cena incrédulo e impotente. Um problema para o técnico, que poderá ver-se privado do concurso de Liedson. O dianteiro de 32 anos está sob a alçada disciplinar do clube e poderá ser alvo de um pesado castigo. A discussão começou ainda no banco de suplentes, com o director-desportivo a criticar o erro do guarda-redes e Liedson a sair em sua defesa. A troca de argumentos alastrou ao balneário e foi subindo de tom até ao contacto físico.
In Record
----
Vergonhoso. Como é possível que aconteçam cenas destas com gente paga a peso de ouro? Que referências são para a sociedade? Como é que um Clube com a grandeza e responsabilidade que tem não protege o seu balneário?
Mas Sá Pinto resolve tudo a murro??? Em tempos, agrediu o treinador nacional Artur Jorge, agora agride um jogador?
Mau de mais para ser verdade. Mas foi...
..........
As conversas entre Pinto da Costa e outros intervenientes nos processos foram colocadas no YouTube.
O procurador-geral da República vai abrir "hoje mesmo" um inquérito à divulgação na internet de várias escutas telefónicas feitas ao presidente do FC Porto, Pinto da Costa, no âmbito do processo Apito Dourado.

Numa curta nota hoje enviada às redacções, a Procuradoria-Geral da República afirma "desconhecer em absoluto como é que as escutas foram parar ao Youtube", um site de divulgação áudio e vídeo de acesso livre, e garante que "hoje mesmo o Procurador-Geral da República vai mandar abrir inquérito".
O Correio da Manhã transcreve hoje o teor de escutas ao presidente do Futebol Clube do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, que pertencem a processos conexos ao Apito Dourado, no âmbito dos quais o dirigente portista foi ilibado em tribunal.

O actual Código do Processo Penal refere que a divulgação dos conteúdos das escutas só pode efectuar-se com autorização da pessoa nelas visada, mesmo depois de os processos terem transitado em julgado e não estarem mais sob segredo de justiça.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Momento sublime

Coincidências...

O Padroeiro da Diocese de Lamego é São Sebastião (com Santo Agostinho).
O Padroeiro da minha freguesia natal é São Sebastião.
Já estive em paróquias onde o Padroeiro era São Sebastião.
E agora a capela de São Sebastião é minha vizinha. Acabámos agora mesmo de celebrar aí a Eucaristia.

Que por intercessão de São Sebastião, todos sejamos livres da fome, da peste e da guerra.

Nessa data, ocorre também o 14º. aniversário da ordenação episcopal do Sr. D. Jacinto Botelho, Bispo de Lamego, que ele recebeu na Sé Catedral de Lamego.
Nesse mesmo dia, ocorre ainda o 10º. aniversário da nomeação do Sr. D. Jacinto como Bispo de Lamego, depois de 4 anos como Bispo auxiliar da Arquidiocese de Braga.
Parabéns, Senhor Bispo.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Uma das figuras mais respeitadas do catolicismo na Europa

O cardeal Godfried Danneels, arcebispo de Malines/Bruxelas, é uma das figuras mais respeitadas do catolicismo na Europa. Representa "a frescura de um purpurado nada comum. Uma raridade nos tempos que correm..."



Cardeal Daneels diz que o uso
do preservativo pode ser justificado
O primaz da Igreja Católica na Bélgica, cardeal Godfried Danneels, declarou no passado Domingo que o uso do preservativo para fazer frente ao vírus da Sida não tem o mesmo “julgamento moral” do que o seu uso enquanto contraceptivo. “Quando alguém é seropositivo diz ao seu parceiro «quero ter relações sexuais», deve utilizar o preservativo”, declarou o cardeal Daneels numa entrevista para um programa religioso do canal público.
D. Godfried Danneels vincou na sua posição que o preferível é que uma relação sexual deste tipo seja evitada. “No entanto, se tiver lugar, a pessoa tem de utilizar o preservativo para não violar o mandamento que condena o assassínio”, referiu. O julgamento moral destas situação, segundo o cardeal, passa por perceber que “proteger-se contra a doença ou a morte é prevenção”. “Moralmente estas situações não podem ser julgadas ao mesmo nível do que quando o preservativo é utilizado para reduzir o número de nascimentos”, referiu o cardeal Daneels, pedindo aos bispos que se deixem guiar por uma interpretação “mais pragmática” das regras.
In ecclesia
A comunhão na mão

“O Vaticano II nunca disse como se deve dar a comunhão e se se pode tomá-la com a mão. É a conferência episcopal de cada país quem diz como se deve fazê-lo. Outra coisa é que o Papa prefira que os fiéis a recebam com a língua e ajoelhados. Mas isso não significa que todo mundo tenha que fazer assim”.

O Islão

“O Islão não está muito aberto ao diálogo inter-religioso. Na Europa, a maioria dos muçulmanos vêm do norte da África, têm um nível cultural baixo e sentem-se inferiores, o que os empurra para a rejeição. O Islão há de fazer a sua revolução francesa, tem que separar o Estado da religião. Enquanto isso não acontece, os problemas persistirão. Os religiosos de uma e de outra confissão podem falar entre si, mas somente enquanto a política não interferir”.

(Fonte: http://padre-inquieto.blogspot.com/)


Violência. Só os jornais falam. Porquê?

Tem 81 anos. No sábado à noite foi assaltado. Conta ele: "A primeira coisa que fizeram foi dar-me um murro. Depois, taparam-me a boca e os olhos e amarraram-me as mãos e os pés."
O sacerdote preparava-se para ver o ‘Telejornal’, quando dois indivíduos, aparentemente estrangeiros, entraram de rompante na cozinha da Residência Paroquial, atirando ao chão Piedade Dias, de 76 anos, irmã do pároco.
Quando chegaram ao quarto onde Manuel Dias estava a ver televisão, taparam-lhe os olhos e a boca, ataram-lhe as mãos à cadeira com o cordão da batina e amarraram-lhe os pés com uma extensão eléctrica.
"Eu não reagi, só lhes disse que não me lembrava de alguma vez lhes ter feito mal. Eles só me pediam ‘dinero’ e tiraram-me a carteira que eu trazia no casaco", contou o padre ao CM, referindo que lhe roubaram entre 40 a 60 euros e ainda algumas peças de prata que tinha em casa.
Além das agressões, que provocaram ao clérigo Manuel Dias vários ferimentos graves no rosto, os ladrões remexeram em todos os compartimentos da casa. A vítima supõe, aliás, que a dupla não actuava sozinha. "Estiveram sempre os dois ao pé de mim, por isso tinham de ter mais pessoas com eles para andar pelo resto da casa, porque eles remexeram tudo", explicou.
"Não tenho medo, só tenho receio de que eles façam a outras pessoas o que me fizeram a mim", remata, quase emocionado, o sacerdote.
Fonte: Correio da Manhã

É demais! Todos os dias casos e casos de violência, assaltos, agressões, roubos, mortes, insegurança. Este país está a transformar-se numa enorme "favela brasileira".
Sem segurança, nenhum país progride.
Mas alguém se preocupa com esta miserável realidade?
Sócrates está é preocupado com os casamentos entre pessoas do mesmo sexo e em distrair o país da triste realidade em que vive.
A oposição, ou está centrada na resolução das suas questões intestinas ou em negociar o orçamento para mostrar "poder", ou entretida "com conjunto de condições folclóricas que atestam a sua integridade ideológica e a sua inutilidade política."
A Igreja está imersa no seu silêncio profundo como se a multidão de ofendidos não fosse gente.
Sindicatos e associações patronais silenciam.
O povo sofre, paralizado, amorfo, indiferente, incapaz sequer de se manifestar.
Resta a comunicação social. Esta ao menos não cala.

Pobreza aumenta entre os jovens

Carregue no título para ver a notícia.

CHINA - Belezas Incomensuráveis

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

18 a 25 de Janeiro: Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

As Igrejas cristãs vivem, de 18 a 25 de Janeiro, a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, naquela que representa a grande referência para a prática do diálogo ecuménico entre nós. Ano após ano são formulados votos para que esta preocupação esteja presente na vida dos cristãos ao longo de todos os Domingos, mas é fundamentalmente nestes oito dias que a Unidade dos cristãos provoca encontros de oração, partilha e reflexão.

O sacerdote dominicano José Nunes, professor de teologia na UCP, afirma, a respeito da celebração do Oitavário em 2010, que “a divisão na Igreja de Cristo não é apenas um pecado em si mesma. É também um pecado e um escândalo que afecta a missão eclesial”.
Por isso, toda a tarefa ecuménica tende a superar a divisão interna dos cristãos mas também a criar as condições de possibilidade de uma missão/evangelização credível”, assegura.

Fonte: http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?id=77259

O SONHO DE DEUS E O PECADO DO HOMEM

"Pai, que todos sejam um como Eu sou um Contigo .... Haja um só rebanho e um só Pastor" - Jesus Cristo.

Está por realizar o sonho de Cristo, porque o pecado do homem o tem impedido. Ao longo da História, a limitação e o pecado humanos deformaram o projecto de unidade de Cristo. Os cristãos estão ainda hoje divididos em católicos, protestantes e ortodoxos.

À tentativa de aproximação de todos os cristãos chama-se ECUMENISMO. Há que derrubar preconceitos, esbater medos e procurar a verdade. Já se conseguiu algo. Falta ainda muito. Confiemos. REZEMOS. Deus não falha.

OS LUGARES MAIS BONITOS DA TERRA

domingo, 17 de janeiro de 2010

VIDA DE REFORMADO

Quem não pode ter o que deseja contenta-se com o que tem


Bem feito mesmo, seria colocá-la a dar aulas numa escola de um dos bairros problemáticos de Lisboa...

Sinto-me honrada pelo convite feito pelo Sr. primeiro-ministro e espero estar à altura de contribuir para que a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento continue a ser uma instituição de prestígio, que na sociedade portuguesa marca a diferença pelo trabalho que tem desenvolvido e pelos projectos que tem apoiado", afirmou Maria de Lurdes Rodrigues, em declarações à Agência Lusa.

Chegou hora da mais hedionda personagem do ex-governo, do Engenheiro lhe encontrar um buraco para a colocar e lhe agradecer o "trabalho" realizado. Neste caso foi a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, sabe-se lá porquê. Bem feito mesmo, seria colocá-la a dar aulas numa escola de um dos bairros problemáticos de Lisboa para sentir na pele os efeitos das suas atrocidades.
(Enviado por email)

Sismo no Haiti


Este sismo é o pior desastre com que as Nações Unidas se confrontam ao longo da sua história, afirmou neste Sábado a porta-voz do gabinete de coordenação dos assuntos humanitários, Elizabeth Byrs. A quantidade de desalojados - milhão e meio - é mais um dos índices que atesta a grandeza da calamidade.

OS BOBOS DA CORTE

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

SISMO TRANSFORMA O HAITI NUM INFERNO


Em 12 de janeiro de 2010, um terremoto de proporções catastróficas, com magnitude 7.0 na escala de Richter, atingiu o país a aproximadamente 22 quilômetros da capital, Porto Príncipe. Em seguida, foram sentidos na área múltiplos tremores com magnitude em torno de 5.9 graus. O palácio presidencial, várias escolas, hospitais e outras construções ficaram destruídos após o terremoto. O número de mortos não é conhecido com precisão, embora fontes noticiosas afirmarem que podem chegar aos 100 mil. Diversos países disponibilizaram recursos em dinheiro para amenizar o sofrimento do país mais pobre do hemisfério ocidental. O presidente norte americano Barack Obama, afirmara logo após a tragédia geológica, que o povo haitiano não seria esquecido, obrigando a comunidade internacional a refletir sobre a responsabilidade dos países que exploraram e abandonaram o Haiti.
- PT e TMN criam linha telefónica para recolha de fundos de apoio às vítimas. Para tal, os clientes da PT e da TMN poderão a partir de hoje fazer uma simples chamada telefónica para o número 760 206 206 e desta forma ajudar os haitianos que foram esta terça-feira supreendidos por um sismo com uma magnitude de sete graus na escala Richter.
O contacto poderá ser efectuado a partir do telefone fixo ou do telemóvel, custando cada chamada 60 cêntimos (+IVA), valor que reverterá a favor de Organizações Não Governamentais (ONG) com missões no Haiti: a AMI, a Cruz Vermelha e os Médicos do Mundo.
- Missão portuguesa parte hoje para se unir a esforço internacional
A catástrofe humanitária provocada pelo sismo de terça-feira, no Haiti, está a mobilizar forte auxílio, a nível internacional, no qual se insere Portugal, que hoje envia uma missão de cerca de 30 elementos.
- A Hora da Solidariedade
Perante a morte, a dor, a destruição, o caos no Haiti, só há uma resposta a dar por TODOS: Solidariedade activa e empenhada. Em nome da humanidade.
A comunicação social está afazer chegar às pessoas várias formas de cooperação. Basta estarmos atentos.
_____________
- Campanha da Cáritas Portuguesa para o Haiti
Conta de Solidariedade da CARITAS na Caixa Geral de Depósitos
A Cáritas Portuguesa deseja que a ajuda às vítimas do sismo no Haiti constitua “um inequívoco gesto de solidariedade”. Para isso lançou já uma campanha de solidariedade, disponibilizando 5.000€ à sua congénere do Haiti, e espera, a par das anteriores iniciativas que promoveu, “que o nosso povo dê uma resposta ampla, generosa e inequívoca nesta hora de dor dos irmãos que vivem naquele país do Caribe”.A Organização convida, por isso, todos os que quiserem ser solidários a fazerem o seu donativo na conta “Cáritas Ajuda Haiti”, com o NIB 003506970063000753053 da Caixa Geral de Depósitos.
Em comunicado, a Direcção da Cáritas recorda as “centenas, milhares de mortos e feridos numa devastação indescritível que tornou ainda mais pobre um dos mais miseráveis países do Mundo”.
“Neste momento, ainda devastados pelo sofrimento de terem visto partir entes queridos e amigos e de verem a destruição ter tomado conta das suas ruas, das suas cidades, os haitianos precisam de tudo. Por muito pouco que possamos dar, essa será, certamente, uma generosa contribuição”.
A Cáritas deixa um apelo directo a todos os cristãos: “É porque fazemos da nossa crença uma religião viva que vamos mostrar, uma vez mais, que a nossa solidariedade é real".
______
- A UNICEF Portugal lançou um apelo de recolha de fundos para a ajuda humanitária para as crianças e suas famílias afectadas pelo sismo no Haiti. Os donativos podem ser efectuados: Em www.unicef.pt Nas Caixas Multibanco:Menu “Transferências”, Seleccionar “Ser Solidário”, Optar por “UNICEF”(Para obter o comprovativo do donativo, válido para efeitos fiscais, seleccionar a opção “Factura” e introduzir o Número de Contribuinte). Por Cheque endereçado aoComité Português para a UNICEFAv. António Augusto de Aguiar, 56 – 3º Esq. 1069-115 Lisboa Por depósito ou transferência bancária para a Conta na Caixa Geral de Depósitos: NIB 0035 0097 000 1996 1303 1

Morreu o meu papagaio

O "Chico" morreu. Aproveitou a minha ausência e partiu.
Só hoje tomei conhecimento do facto e deixou-me triste. Afinal, embora não "conversássemos" muito, era uma companhia.
Na véspera tudo bem, comeu, riu e disse "olá"! No dia seguinte, foi encontrado morto. É a vida.
As suas "risadas", o "olá" que repetia exaustivamente quando estava bem-disposto, o olhar de lado quando algo lhe chamava a atenção, o martelar nas paredes da gaiola, as provocações que lhe faziam os mais novos ao passar quando ele estava à porta, o grande apetite que sempre demonstrava, a maneira elegante como segurava os alimentos, a forma como escorraçou o canário "Bibi" quando, para os tentar aproximar, os coloquei na mesma gaiola, tudo, tudo, me causa saudades.
Recordo aquela cena de um grupo de alunos, acompanhados por um professor, ao passarem no passeio. Um dos rapazes, ao olhar para o pássaro, manda sentença:
- Ó professor, este papagaio deve saber a missa toda de cor! Pois, se sabia ou não, eu não sei. Salamurdo como era, guardava o que sabia para ele.
Obrigado por todos os momentos interessantes que me proporcionaste, "Chico"!

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Visita a familiares

Era para ter ido no domingo à tarde, mas a neve não deixou. Pensei em sair na segunda-feira, só que surgiu um funeral para terça-feira de manhã e não pude. Parti na terça ao início da tarde e regressei há bocado, a tempo da Eucaristia em Arguedeira e nos Esporões, terminando o dia com um reunião de catequistas.
Há muito tinha prometido uma visita à minha irmã, meu cunhado e minha sobrinha que vivem no Porto. Tardava em cumprir-se o que provocava sempre a mesma reacção deles: "Então agora já estás reformado da escola. Nem assim tiras um bocadinho!?"
Tirei e, como era de esperar, gostei. Muito. Só me resta um obrigado profundo, sentido, fraterno. Bem-hajam pelo acolhimento, pelo carinho, pela aceitação, pela disponibilidade, pela preocupação. Não merecia tanto, tenho disso sincera consciência. Desejo-vos com todas as minhas forças todo o bem e que o Senhor vos dê a Sua Bêncão e vos conceda tudo o que de bom e de belo deseja o vosso coração. Força, Jacinta, Armando e Rita!
Choveu muito no Porto, especialmente ontem. "Como quem a despejava..."
Apesar disso, e com a amizade e disponibilidade do meu cunhado, lá fui dando as minhas voltas. Visitei vários stands de automóveis, pois preciso de comprar um carrito novo, já que os meu Golf anda nos 11 anos de vida. Prendo outro que me dure, pelo menos, outro tanto. Que automóvel vai ser? Ainda não sei, apesar de ter agora ideias mais definidas. Estão caros os carros! Muito.
Não visitei de propósito a Audi, a BMW e a Mercedes. Porque não gosto? Nada disso. Porque já sei que o falatório iria surgir. "Pois, o Padre com um carrão daqueles!... Os padres são ricos.... E ainda vem para a Igreja falar nos pobres!... É uma vergonha com tanta pobreza andar com um automóvel daqueles!.., etc, etc...
Achei muito importante o conselho de um amigo e paroquiano que há tempos me dizia com convicção: "Não ligue, as pessoas falarão sempre! O que interessa que que o senhor se sinta bem, pois sentindo-se bem, mais poderá dar à paróquia." E terminou: "Será muito provavelmente o último carro que comprará ainda com poder de escolha. Se chegar a velho, não terá o carro de que gosta, mas aquele que melhor se adaptar aos anos, pois a idade não perdoa.."
Quando era novo, confesso que não ligava ao que as pessoas pudessem dizer, pois pensava que o padre se priva de tanta coisa que nada de anormal haveria se tivesse algo de que gostasse mesmo. E olhem que nunca tive grandes carros! Mas agora... Custa-me ver as pessoas a sujar a língua com as minhas opções em questão de veículos.
Eu que até gosto de tomar decisões em tempo útil, confesso que já ando há meses nesta indefinição quanto à compra do carro... Há duas marcas de que eu gosto e que têm promoções até ao fim do mês. Será que é agora?

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Imagens e provérbios.

Demora na intervenção

Toda a gente sabe que o gelo e a neve, quando aparecem, criam muitos problemas nas estradas do Montemuro. Ainda ontem a televisão mostrava as filas enormes de automóveis que ficaram parados na A24, zona de Castro Daire, por causa da neve.
Aquele troço da autoestrada entre Castro Daire e Bigorne e a estrada nacional Castro Daire - Cinfães são zonas muito sensíveis.
Daqui que seja de estranhar que não disponham de meios para uma rápida intervenção sempre que as condições climatéricas o exigem.
Mas que interessa a vida dos cidadãos aos nossos políticos que andam verdadeiramente preocupados com "outras excentricidades"?

domingo, 10 de janeiro de 2010

Cai neve em Tarouca





Perto das 10 horas, quando subi para a Eucaristia em Teixelo, ainda não nevava. No fim da Missa, conversava com algumas pessoas na sacristia, quando alguém vem avisar-me:
- Olhe, o senhor não se atrase. Esta a nevar muito e a estrada fica perigosa. Vá devagarinho e com cautelas.
Quando desci, nas partes mais altas, já não se conhecia a estrada. A Natureza parecia uma noiva adornada para o seu Esposo. Um imenso manto branco envolvido pela neblina donde caíam farrapos brancos apostados em aumentar a espessura do manto.Durante a Missa das 11 h, continuou a nevar ininterruptamente de tal modo que as pessoas sentiram alguma dificuldade em manobrar os seus veículos. Eu próprio optei por deixar o carro na garagem, fazendo a pé o percurso até ao almoço.
O homem põe e Deus dispõe. Tinha pensado deslocar-me ao Porto, a casa de familiares, para resolver alguns problemas. Mas com a s estradas neste estado, manda o bom senso que fique em casa.
É que continua a nevar de verdade!

sábado, 9 de janeiro de 2010

FILHOTE DE PORCO-ESPINHO

A Fábula do Porco-espinho.
Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio.Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor.Por isso decidiram se afastar uns dos outros e começaram de novo a morrer congelados.Então precisaram fazer uma escolha: ou desapareciam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros. Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro. E assim sobreviveram.

Moral da História: O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro, e admirar suas qualidades.

A cultura do despesismo

"A segunda questão é a cultura do despesismo, de gastar acima das posses, e da prioridade ao lazer há muito instalada em largos estratos da sociedade portuguesa. Ainda agora, no final de 2009, um ano de severa crise, se viram, nos feriados e ‘pontes’ do início de Dezembro ou nas festividades de Natal e da passagem de ano, os voos esgotados para o Brasil e Caraíbas, os hotéis sem lotação para mais ocupantes na Madeira, no Algarve, nas serras Nevada, da Estrela ou de Andorra. Ao mesmo tempo, o número de Audi, BMW ou Mercedes que se vêem a circular nas ruas e acessos a Lisboa ou Porto não tem paralelo, em média relativa, com qualquer outra capital ou grande cidade europeia, seja Paris ou Roma, Londres ou Madrid.
Um povo e um Estado que se endividam ano após ano em nome do lazer e das aparências sociais continuarão a achar que alguém – que não eles – acabará por pagar a factura."
http://sol.sapo.pt/Blogs/jal/default.aspx

Que lhe diz esta imagem?


- Um jovem a meditar? Ui, parece-me raríssimo hoje... Os jovens actuais sintonizam é com o barulho, a fuga, a evasão. Interioridade? Reflexão? Entrada dentro de si? Muito raro...
- Jovem em oração? Bué de chato! Lá as músicas do telemóvel, do computador, os jogos, a disco ... isso é que é fixe, meu!
- Jovem que experimenta momentos de abatimento, solidão, incompreensão? Porventura. Afinal a night, as roupas caras, o "roço", as bebidas... não preenchem o vazio que a juventude vai experimentando. Há muito mais vida para além disto. Sobretudo a necessidade de amar e ser amado.
- Jovem apreensivo com o futuro? Pode acontecer. Com a multidão de jovens licenciados no desemprego, que admira a apreensão?
- Jovem desiludido com o "amor"? Mas os amores actuais são muito superficiais. Se este amor não dá, parte-se para outro...
Que lhe parece? Deixe a sua opinião. Obrigado.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Parlamento aprova casamento entre pessoas do mesmo sexo

Veja aqui a notícia:
http://noticias.sapo.pt/especial/casamento_gay/2010/01/08/aprovado_casamento/index.html

Veja agora o que pensa a Igreja:
http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?id=77114

Portugal tornou-se o oitavo país do mundo
a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo
Em alguma coisa haveríamos de ser dos primeiros!!!
Em questões fracturantes, o nosso país está na frente! Triste sina a nossa! Em tudo o que seja atacar e destruir valores, esteios de dignidade, forças de humanização, os nossos políticos estão na linha da frente!

Mas onde estão eles quando se trata de:
- Estancar o desemprego que já vai nos 10%?
- Combater o endividamento externo, a dívida pública e a falta de competitividade e produtividade?
- Diminuir as desigualdades sociais que crescem como cogumelos? Ainda hoje o Correia da Manhã informa que "Carros de luxo resistem à crise. A Porsche tem já 40 encomendas para este ano....
- Cumprir as promessas que fizeram ao eleitorado? Ou alguns só têm "escrúpulos democráticos" quando querem avançar com leis fracturantes???
- Combater as esperas nos hospitais, melhorar o serviço de saúde e disponibilizar médicos aos portugueses?
- Combater a corrupção a sério e decididamente?
- Combater os lobbies que dominam e minam a nossa vida pública?
- Nos ouvir sem medo de nos ouvir? (Esta da recusa do referendo diz muito da sua democraticidade...)
- Nos proporem uma ideia de Portugal que não vegete apenas pelas energias renováveis e pelos "Magalhães"?...
- Combater a insegurança que mina como cancro a nossa vida colectiva?
- Etc, etc, etc

O CASAMENTO envolve antropologicamente, naturalmente e culturalmente um HOMEM e uma MULHER - espaço de amor e de vida.
É demagógico querer tratar por igual aquilo que é diferente. A macieira não tem direito a ser pereira só porque também é árvore... Um loiro não se pode sentir descriminado pelo facto de não ser negro...

Compete-nos respeitar toda a pessoa, todas as maiorias e todas as minorias, sem "guetos" nem ostracizações. Mas haverá respeito quando tenta impor o igual onde naturalmente há o diferente?

Para si, o que é a família?

A Família é a única comunidade
em que todo o homem
«é amado por si mesmo», pelo que é
e não pelo que possui.

SER FAMÍLIA É:
- A mãe que enfrenta, com um sorriso mais um dia de trabalho, depois duma noite em claro, porque o filho de 3 anos não lhe largou a mão, com medo;
- O pai que deixa de ver o jogo da selecção, porque o filho adolescente mostrou, finalmen­te, alguma abertura para um diálogo;
- A filha que desiste de uma saída nocturna para ficar com a mãe que, já de certa idade, pensa que vai morrer porque está com gripe;
- O marido que ontem prescindiu de um transporte, fazendo uma longa caminhada a pé, para poder surpreender a mulher com uma flor;
- O filho e executivo que, todos os dias, vai dar de jantar à mãe, embora esta já não o reconheça;
- A avó agonizante que ainda encontra forças para balbuciar: Zé, meu querido neto;
- O jovem casal que desiste daquela viagem de sonho só porque os filhos não podem ir com eles;
- Aqueles avós que, já na auto-estrada para umas mini-férias, regressam a casa, porque lhes chega um pedido urgente para ficarem com os netos;
- O jovem pai que abdica do descanso de fim-de-semana, no sofá, para ir com os filhos pequenos ao jardim
- Ser família é também aquela Consoada, Páscoa ou outra festa, que junta à mesma mesa várias gerações, todas diferentes, mas tão alegres, unidas e felizes.
Estas e outras situações definem a família de sempre, em que cada um faz, por amor, o que é preciso fazer, sem pensar sequer que é um sacrifício, porque é simplesmente a conse­quência do amor e a causa de uma felicidade única. Um bom lema para cada membro da família poderia ser: "os meus deveres são os direitos dos outros e os meus direitos são também deveres dos outros."

E, pensando na família e na educação, que é o seu primeiro berço, dois princípios de actuação imprescindíveis: EXIGÊNCIA E AFECTO.
Sempre os bons educadores precisaram destes dois ingredientes, mas sobretudo hoje, com a grande crise de autoridade na educação, e as imitações de famílias que, na realidade, não o são.
Adelino Maria Gonçalves (Mãe eAvó), in JB

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

NO CENTENÁRIO DA PRIMEIRA REPÚBLICA

No centenário da Implantação da Pepública em Portugal, acompanhe a problemática religiosa que acompanhou a génesis do novo regime.

Aqui: http://paroquiadetarouca.blogspot.com/

25 anos depois...

Vinte e cinco após o seu falecimento, José Maria Pedroto continua uma recordação VIVA!
Este lamecense, que o futebol catapultou para as páginas da História, esteve sempre muito à frente do seu tempo. Só os grandes o conseguem.
Personalidade forte, líder incontestado, lucidez e brilhantismo intelectual, profundo conhecedor do mundo e dos mundos do futebol, ajudou a construir a hegemonia do FCP nestes últimos 25 anos.
As suas equipas praticavam em campo um futebol a que hoje se chama de "pressão alta", funcionavam como um bloco e desenhavam no terreno um futebol rendilhado para gáudio da assistência por quem, aliás, tinha todo o respeito.
Os tempos eram outros, é certo. Mas Pedroto tinha o condão de descobrir talentos e de neles apostar. Lembro, a título de exemplo, que, quando treinava o Setúbal, havia um jovem jogador, normalmente suplente, que jogava a médio. Com o seu "olho de lince", Pedroto descobriu-lhe a vocação: avançado. Fez dele um enorme jogador, mais tarde transferido para o Benfica e que, não fora o extravio comportamental, teria sido sem dúvida um dos maiores avançados de todos os tempos do futebol luso. Era o Víctor Baptista. E quantos mais casos!
Homem de decisões rápidas. Uma vez fui às Antas ver um Porto-Boavista. Partida que os portistas venceram. A certa altura, Pedroto lança em jogo o Oliveira, então estrela nascente. Não tardou grande tempo a retirá-lo, pois não estava a corresponder.
Lia o jogo com uma perspicácia rápida, o que lhe permitia tomar decisões na hora.
Ergueu a sua voz, vezes sem conta, contra o centralismo de Lisboa e devolveu ao Porto a consciência da dignidade. Era preciso perder o medo, mal se ultrapassasse a ponte...

Depois de Pedroto, só dois nome me encheram as medidas. Robson com o seu futebol de ataque e Mourinho que fez dos azuis-e-brancos essa máquina trituradora e ganhadora de títulos.
É a minha humilde opinião. Mas ao pé de Pedroto, Jesualdo nem sombra merece ser. Em todos os aspectos do futebol...

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Que dueto!

Um Romance que aconselho

226 páginas que se lêem num fôlego. E está tudo dito.

"- é a história verdadeira de um amor. De um grande amor.

O romance relata-nos os tempos em que os portugueses sonhavam com o Brasil como se do Éden se tratasse e, em verdadeiras multidões, entravam nos grandes vapores que cruzavam o Atlântico e lançavam-se no desconhecido à procura da fortuna: umas vezes nas fazendas do interior, nos cafezais ou nos engenhos dos coronéis; outras, nas grandes cidades do litoral, carregando sacos, lavando roupa nas tinturarias ou servindo fregueses em arriscados botequins.
Alguns, bafejados pela sorte, voltaram emproados e ricos e ergueram palacetes e chalés no seu local de origem. Outros, a maioria, menos afortunados, por lá ficaram sem darem mais notícias.

Nas histórias que aqui se contam, podem ver-se os dramas de quem emigra e deixa a terra, e a solidão de quem é forçado a viver longe da pátria e da família.O caso mais impressionante é o de um jovem que, por amar demais, perdidamente, tentou nas lonjuras da América matar a sua paixão e esquecer o seu amor... sem o conseguir, e o de uma senhora que tardou em amá-lo ainda em vida mas o amou exemplarmente após a morte." (Contra-capa)

"O último a chegar foi o padre Dias.
Pequeno, bondoso e simples como as urzeiras da serra que o criara, tinha a pureza de um anjo, a humildade de um santo e a timidez de um arminho. Afável e acolhedor, era incapaz de ferir ou magoar alguém, mesmo que motivos não faltassem. Foi sempre assim o bondoso sacerdote.
Como os anteriores, também o novo pároco frequentava assiduamente a Casa Preta, onde era hospedado como príncipe e estimado como familiar. Depois do falecimento de Donato e da mulher, mais raras vezes e com mais cuidado, para não causar suspeitas ou provocar maledicências." (Pág 173)


Senhor Vigário Geral, penso que um sacerdote com estes dotes todos- com a eclesiasticamente exaltada virtude da prudência à cabeça- e, acima de tudo, óptimo conselheiro de solteironas, merecia bem um reconhecimento da diocese. Que tal nomeá-lo Monsenhor? Ahahahah

****************************
O autor deste romance é o P.e Dr. Joaquim Correia Duarte, actual pároco de Anreade, concelho de Resende.
Não tenho palavras para salientar dignamente a grandeza humana e sacerdotal deste sacerdote, que foi para os jovens seminaristas da minha geração modelo de pároco, tal a competência, zelo, aprumo, dinamismo pastoral, envolvência humana, social e cultural da sua acção. Nunca cultivou cultos de personalidade ou ânsias de "subir na carreira eclesiástica". Constou-se que o Bispo da altura, ao aperceber-se da fantástica acção pastoral do P.e Joaquim Duarte, lhe teria proposto outros campos de acção mais bastos e com outros horizontes. Não, ali ficou na sua humilde paróquia, servindo. Sempre.
Também a cruz lhe bateu à porta. Pesada, impetuosa, obocanhante. O seu estofo interior, a sua fé e o apoio dos amigos levaram-no por caminhos de ressurreição.
Também na escrita é um mestre. Além da investigação na sua área de formação - História - que o tornou membro da Academia de História e o levou à publicação de obras várias na área da História Local, publicou já várias romances para gáudio de quem gosta de ler e saborear belos enredos narrativos, urdidos na mais pura língua pátria.
Por tudo e por tanto, parabéns, amigo!

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Um blog diferente...

Passe por lá...

http://sertorius.blogs.sapo.pt/

Será?

"Tenho saúde, um bom emprego, um belo carro, uma senhora casa, uma mulher bonita, muitos amigos, prestígio social, não preciso de Deus para nada."

Canção Bíblica

Mira lo que hizo en mi

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Seria óptimo que todos os pais agissem assim...

Dia de Ano Novo. Ao fim da Missa das 17 horas, fui à minha aldeia para saudar meu pai e meus familiares.
Ia entre a rotunda do Seminário e a ponte do Balsemão quando uma carrinha de nove lugares, ao passar por mim, desanda numa de piscadelas e sinais sonoros intensos. "Hum! Que será isto? Vou no meu lugar, só médios ligados... Será que tenho alguma lâmpada fundida? Será aviso da proximidade da polícia?"
Como os sinais não paravam, resolvi encostar. Era uma família amiga. Os pais, os dois filhos, já casados e a viver em Lisboa. Depois dos cumprimentos e da festa do reencontro, a mãe conta-me que os filhos haviam passado o fim de ano no Gerês na companhia de outros casais amigos. Como estavam relativamente perto de casa, resolveram fazer uma surpresa aos pais. Apareceram pelas 9.30 horas, quando os pais se preparavam para participar na Missa de Ano Novo.
Um que estava cansado e lhe doía a cabeça, outro que tinha sono. E lá foram dizendo que, enquanto os pais Iam à Missa, eles queriam descansar um pouco...
Então o pai diz-lhes:
- Filhos, não nos ides dar esse desgosto! Quero acreditar que nos acompanhais à Missa. Então sois capazes de passar uma noite na borga e não tendes uma hora para celebrar a vossa fé?!
E logo a mãe acrescenta:
- Se vos dizeis cristãos, se até quisestes baptizar os vossos filhos, quereis agora começar o ano sem um momento com Cristo? Que fé é a vossa? Que verdade há na vossa vida? Se estais com sono, eu faço aqui um café num instante. Depois da Missa, enquanto preparo o almoço, descansais um bocado...
Olharam um para o outro, encolheram os ombros e acabaram por acompanhar os pais.
Enquanto os pais me contavam este episódio, os dois, de cabisbaixo, mostravam um sorriso amarelo. Então viro-me para eles e disparo:
- Isto é que são pais, ehin? Penso que vos sentis orgulhosos dos pais que tendes.
- Sim - respondeu o mais velho - pelo menos "apanhámos nas orelhas" logo no primeiro dia do ano. Mas foi justo, eles têm razão. Sabe como é? A gente na lufa-lufa da vida, com a cabeça feita pelo ambiente social, até nos esquecemos de Quem não se esquece de nós. É muito bom termos uns pais assim, pais mesmo!
Durante o resto do dia, não me saiu da cabeça o testemunho maravilhoso destes pais cristãos que não se demitem de o serem apesar dos filhos já serem bem crescidos. E fui pensando que seria óptimo que todos os pais, a começar pelos da comunidade cristã que sirvo, pensassem e agissem assim... Como tudo seria diferente!
Vejo muitos pais sempre preocupados - e bem - com a saúde, o emprego, o bem-estar dos filhos. Vejo pouquísssimos pais preocupados com a vivência da fé dos filhos. E até acontece que muitos pais, que não ligam nada à maneira como os filhos vivem e testemunham a fé, aparecem depois preocupadíssimos com o baptismo dos netos, esquecendo que Deus não condena inocentes, mas aos adultos pedirá contas da forma como usam a liberdade...

Carta ao Primeiro Ministro

"Senhor Primeiro Ministro, neste Natal, que é tempo de paz e de alegria, eu gostava que o senhor Engenheiro pusesse os olhos em alguns dos seus colegas de outros países da Europa, sobretudo no primeiro da Irlanda, que parece ser um político às direitas. Siga-lhe o exemplo, senhor Primeiro Ministro! Não sei se o senhor está lembrado que esse seu homólogo, entre outros gestos significativos para ultrapassar a crise económica em que todos estamos mergulhados, resolveu baixar os ordenados dos seus ministros e secretários de estado, a começar pelo seu próprio vencimento que, a partir de agora, é reduzido em vinte por cento. Ora eu não sei se a sua matemática está muito actualizada. Mas eu lembro-lhe que vinte por cento de cinco mil euros são precisamente mil euros. Uma ninharia para vossa excelência. Mas o suficiente para pagar o aumento do salário mínimo precisamente a quarenta trabalhadores. Agora multiplique isto por trinta ministros, quarenta ou cinquenta secretários de estado e mais outros tantos assessores, e mais os conselheiros e mais os secretários dos assessores e dos conselheiros... e verá que os tais vinte por cento são suficientes para se aumentar o ordenado mínimo a dez ou quinze mil trabalhadores. E não me venha dizer vossa excelência que não consegue ter um teor de vida digna com menos vinte por cento do seu vencimento. Então como é que o hão-de conseguir os quinhentos mil desempregados, entre os quais vários milhares de jovens licenciados? Desejo-lhe um Natal com muitas rabanadas e um Ano Novo sem acidentes".
Paulo Felício
http://www.oamigodopovo.com/

sábado, 2 de janeiro de 2010

Era uma pessoa magoada

Falou comigo. Vinha saber como estavam a correr as festas. Perguntei-lhe e disse-me que com ela tudo correra bem. Mas aquele olhar não me convenceu.
- Hum! Não parece muito feliz!
- Sabe, amigo, na noite de Ano Novo liguei a um punhadinho de pessoas muito especiais para mim, que me dizem demais. A todos os meus amigos e conhecidos tinha atempadamente enviado os votos de Boas Festas. Por isso, naquele noite, cingi-me ao tal grupinho especial. Todos me atenderam com alegria, mesmo um ou outro que não pôde atender no momento, deu sinal logo que lhe foi possível. Mas houve um, que eu considerava o melhor amigo, que me desligou o telefone duas vezes, mantendo depois o aparelho desligado. E olhe que nem à minha mensagem respondeu!
Sabe, já não é a primeira nem a segunda que me faz, mas sempre passei por cima, porque sou mesmo amiga dessa pessoa. Mas agora... foi demais! Já me tinham avisado para ter cuidado, mas desta vez caí na real. Não é meu amigo, quando muito será do que é meu...
- Oh! Não se deixe amarrar por uns telefonemas não atendidos. O ano acaba de começar. Solte esse coração, viva a esperança e o sonho! Há mais mundo para lá desse episódio...
- Pois é. Mas as grandes pisadelas tornam mais penosa a nossa caminhada. Se tornam!...

Agradecido

Ao terminar esta quadra festiva, não quero deixar de ter uma palavra de agradecimento. A gratidão é a memória do coração.
O meu sentido obrigado a todos os que pelo correio, telemóvel, email, pessoalmente me fizeram chegar votos de Boas-Festas.
O meu sentido obrigado a todos os que, de uma forma ou de outra, traduziram a amizade em gestos vários.
Não sou um confessado adepto do telemóvel. Só mesmo quando é preciso. E então escrever aí mensagens... é uma confusão. Ou os dedos apanham várias teclas ao mesmo tempo, ou carregam na tecla errada... ui, que confuso para mim! Prefiro de longe usar o email e o blog. Sinto-me mais avontade.
Por isso, aqui fica o meu claro e sentido bem-haja a toda e cada pessoa que se lembrou de mim neste altura festiva.

O QUE DIRÁ ELE AO PAÍS?

"Quando o défice público já bate nos 9% e o endividamento está a ultrapassar os 100%, quando todos os organismos e autoridades internacionais afirmam que a economia portuguesa vai ficar ainda mais para trás e ter um crescimento mínimo nos próximos anos, incapaz de criar emprego e melhorar o nível de vida, Sócrates vem dizer aos portugueses, na sua mensagem de Natal, que «há sinais claros que estamos a retomar lentamente um caminho de recuperação». Se ainda for primeiro-ministro, o que dirá ao país quando se vir obrigado a tomar medidas drásticas, como está a acontecer na Irlanda e na Grécia?"
http://sol.sapo.pt/Blogs/jal/default.aspx

A orgia do presente

O período de festas desperta o moralista que há em nós. Crise? Qual crise? A julgar pelos números, os portugueses não estão em crise. Consomem como nunca (mais de 5 milhões em levantamentos e compras) e viajam como loucos. O que implica saber: será a crise uma ilusão? Ou serão os portugueses uma raça degenerada que come e bebe enquanto o barco se afunda?

Por paradoxal que pareça, ambas as coisas: com uma economia estagnada e sem perspectivas de melhoras, os portugueses gastam como se não houvesse amanhã precisamente porque não sabem se haverá amanhã. É a velha história da vaca e do pobre, popularizada em tempos por Vasco Pulido Valente: a ‘poupança’ e o ‘investimento’ só fazem sentido quando se pressente uma possibilidade de futuro. Quando essa possibilidade é estreita, a única certeza que resta ao pobre é a orgia do presente.

João Pereira Coutinho, Correio da Manhã

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010