sábado, 31 de maio de 2008

Amigos de verdade


Ser Português


(enviado por email)

9º Domingo do Tempo Comum

video

Muitos homens e mulheres do nosso tempo estão convencidos de que ser cristão é ter o nome inscrito no livro de registos de baptismo da sua paróquia, ou fazer parte da confraria do Santíssimo Sacramento, ou estar ligado à comissão de festas em honra do padroeiro da freguesia, ou aparecer na Igreja nos casamentos e funerais… Há até quem se assuma, orgulhosamente, como “cristão, não praticante”, como se o “ser cristão” fosse um ofício do qual nos reformamos, ou fosse um passatempo que nos ocupa só nas horas vagas, ou fosse ter simpatia por um clube do qual nos recusamos a pagar as quotas… Mateus deixa as coisas bem claras: “ser cristão” não é possuir um bilhete de identidade que atesta o nosso baptismo; mas é esforçar-se seriamente por viver, vinte e quatro horas por dia, de acordo com as propostas de Deus. Como é que me situo face a isto? Para mim, “ser cristão” é uma característica que eu herdei por nascimento (e da qual tenho tão pouca culpa como ser baixo e gordo), ou é um compromisso sério que eu um dia assumi (e que procuro, a cada instante, concretizar na minha vida) de “fazer a vontade do Pai que está nos céus”?

sexta-feira, 30 de maio de 2008

Hoje é o dia do Sagrado Coração de Jesus

Uma devoção que vem já desde o tempo do Padres da Igreja Primitiva e que no século XVI, com Santa Margarida Alacoque, ganhou maior expressão e força.
Deus tem coração? Ou será que Deus é coração?

Coração ... O que significa?
Não diz a mãe para o filhinho que tem ao colo, naquele enlevo de alma que só ela entende:
"- Filhinho do meu coração"?
Não desenham os namorados um coração onde escrevem "amor de..."?
Não ouvimos dizer muitas de duas pessoas que nutrem uma grande amizade "aqueles são amigos do peito"?

Coração simboliza o amor. E é exactamente assim que S. João Evangelista nos apresenta Deus. "DEUS É AMOR."
É ainda a Bíblia que nos diz: "De tal modo amou Deus o mundo que lhe enviou o Seu próprio Filho". E Jesus Cristo, o Amor encarnado do Pai, afirma: "Não há maior prova de amor do que dar a vida pelos irmãos."
Deus amou-nos desde toda a eternidade. Por isso, nos criou. Por isso, nos salvou.

Celebrar o Sagrado Coração de Jesus é acolher esse amor imenso, gratuito, presente, perseverante, estimulante, confiante de Deus.
Celebrar o Coração de Jesus é viver na alegria esta realidade: "Ninguém te ama como Eu!"
Celebrar o Coração de Jesus é acolher e festejar a vida, servindo-a em nossos irmãos com o mesmo encante de Jesus Cristo.

Então que fique claro. Não nas "despedaçamos" o Corpo do Senhor, como algumas seitas nos acusam. Quando falámos na Santa Cabeça, no Divino Coração ... estamos a referir-nos à pessoa única e indivisível do nosso Salvador.

Junho é o mês dedicado ao Sagrado Coração de Jesus. Por essa razão, em muitas paróquia se celebra festivamente nessa altura.

"Eis o Coração que tanto tem amado os homens e que deles só recebe ofensas, ingratidões e blasfémias!"

Cardeal Carlo Maria Martini

O Cardeal Martini, Arcebispo emérito de Milão, fora, à frente da grande diocese milanesa, um voz e uma presença carajosas. Agora, reformado e doente, continua lucidamente a propor caminhos evangélicos à Igreja.
Este influente cardeal, um dos grandes eclesiásticos contemporâneos, defende que "A Igreja deve ter a coragem de reformar-se".

Veja aqui desafios que Martini lança à Igreja de Hoje:


quinta-feira, 29 de maio de 2008

Onde estás, Senhor? Onde Te posso encontrar?

Senhor!
Vejo-Te no rosto cansado e abatido de tantos idosos solitários, abandonados, encostados...

Vejo-Te no sofrimento que escorre pelos rostos de tantos que perderam o trabalho e se encontram amarrados ao desespero e à desesperança...

Vejo-Te na aflição dos pais de família que já não sabem o que hão-de fazer perante a galopante subida dos preços...

Vejo-Te na fome de tantas pessoas que já só podem tomar uma refeição por dia ou nem isso...

Vejo-Te a olhar para os ricos deste tempo e a proclamares com serena convicção: "É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino do céu."

Vejo-Te amortalhado, destruído, espezinhado em tantas vítimas da droga, da prostituição, da pedofilia, da chantagem, da corrupção....

Vejo-Te no medo e no desespero de tantos cidadãos perante a onda de assaltos e de intimidações que hoje varre a nossa sociedade...

Vejo-Te indignado e frontal perante a falsidade, mentira e arranjismos dos nossos políticos...

Vejo-Te pobre entre os 2 milhões de pobres deste país e miserável entre os milhões de miseráveis do mundo...

Vejo-te na pobreza envergonhada de tantos...

Vejo-te corrido de tantas famílias que já Te não querem ou só de Ti se servem...

Vejo-Te, no "templo" do mundo, de chicote na mão, a despachar tantos vendilhões da dignidade alheia...

Vejo-te cansado e abatido no coração puro de tantos que procuram fazer o seu melhor pelos outros e só recebem ofensas, ingratidões, falsos testemunhos...

Vejo-Te triste neste país triste a quem vão surripiando toda a esperança...

Vejo-te a contar os tostões de um mísero ordenado mensal, sem saber como acudir a tantas despesas...

Vejo-Te indignado e directo perante os que recebem milhões e se comportam como donos do mundo...

Vejo-Te preocupado com a Tua Igreja, tão parada, tão fechada, tão calada perante a dor do mundo...

Mas vejo-Te, acima de tudo, ressuscitado e vivente: "NÃO TEMAIS, EU VENCI O MUNDO!"

ELE é assim...



Ninguém
te
ama
como
Eu!

quarta-feira, 28 de maio de 2008

É tão bom brincar!

Não sinto nenhuma simpatia por gatos. Nunca me fizeram mal nenhum, mas não simpatizo, pronto!
Quando os vejo, ainda hoje não resisto à tentação de lhes bufar: "FFFFFFFFFFFFFFF" E eles dão à sola. Logicamente que não lhes faço outro mal, mas bufar-lhes às orelhas, gosto.
Então dá-me um prazer imenso provocar a minha "chefe" do grupo de jovens que tem lá em casa um "meio-gato" (pois o veterinário tirou o resto), com um cerro mais largo do que uma sala de baile ( o da foto ao pé dele é uma elegância tremenda!). Quando vou a casa, basta um bufozinho que ele mete logo a 5ª velocidade escadas acima... Mas olhem que é o que lhe vai valendo para fazer alguma ginástica...Caso contrário, não cabia em casa ...
Claro que o amigo leitor nem imagina o que estas pobres orelhas depois sofrem! Junta-se ela com a sua filha (chefe do grupo de acólitos) e nem lhe digo nem lhe conto... Deus me livre de prolongar tanto os sermões na Igreja! Já tinha sido corrido... Além de uma violência que fico abanadinho. E depois não tenho quem me defenda... O marido, salamurdo, cala-se. Os pais da minha chefe alinham com a filha, embora, honra lhes seja, muito mais moderados. O que me vale é a Moni. A pequenita também adora bufar ao gato...Lá está. Dos pequeninos é sempre o reino dos Céus.

Há dias, alguém tentando matar uma mosca que pairava sobre o sofá onde o "monte de banhas" se enroscava, enganou-se e acabou por bater forte e feio naquela batoneira com pêlo de gato!!! Haviam de vê-lo! Atordoado com o barulho da pancada! - ja viram o barulho que faria um metereorito cair no mar? - a batoneira levantou-se lépido, rabo no ar, meteu a quinta e aí vai ele para baixo das saias da dona...
- Tadinhooooo! Que te fizeram, meu pequeniiiiiiiiiiiiino!!!
Tá bem, tá! Da amolgadela ninguém o livra já!

Não há como termos uma chefe com gato...

terça-feira, 27 de maio de 2008

Os recursos são «escassos» para apoiar a classe média

Sócrates disse...
Os recursos são «escassos» para apoiar a classe média.

Aqui é que o pio é mais fino.
Sem uma classe média prestigiada e saudável nenhuma democracia ocidental funciona normalmente. Todos reconhecem que ela é o sustentáculo da democracia, seu ponte de equilíbrio e sua pujança.
Ora a classe média está doente. Sobrecarregada de impostos por todos os lados, exaurida, fragilizada, desapoiada. Resultados? Além da emigração a que é forçada, a sua falência e empobrecimento revertem a favor da proletarização generalizada da sociedade que fica assim cindida entre os muito ricos e os pobres.
Os grandes lobbys à volta dos altos interesses económicos sempre existiram para tentar controlar o poder político e impor a sua visão social. Ora, sem a classe média que lhes servia de contraponto, esses mesmo lobbys sentem-se completamente "em casa"! Consequências? Uma oligarquia com a capa de democracia.
Sabendo que a classe média, mesmo esfrangalhada, dificilmente dará o seu voto fora dos partidos do "bloco central", vem agora o senhor Sócrates dizer-lhe descaradamente que não tem recursos para a apoiar. Pois, com o corpo em chamas políticas, volta-se para os mais desfavorecidos a ver se ainda vai a tempo de estancar a fuga destes para o PCP ou Bloco de Esquerda.
Claro que sou totalmente a favor do apoio aos mais desfavorecidos. Ontem já era tarde! Desde que esse apoio tenha profundidade humana, ajude à libertação social e não continue no tempo a dependência crónica. Vemos tanta gente a receber "o ordenado mínimo" e que, podendo muito bem trabalhar, nada faz a não ser quebrar esquinas ( ou a dedicar-se a tarefas impróprias), perante a indignação de tanta gente que "dá o corpo ao manifesto" e depois vê os seus impostos a sustentar malandragem...
Há quem diga que Portugal continua a viver muito acima das suas possibilidades. Ouvimo-lo a pessoas que sabem, credíveis e sérias. Mas pergunto: Portugal? Ou meia dúzia de portugueses, que num país aflito, vivem melhor do que os melhores por essa Europa fora? E não há coragem de travar os brutos ordenados? Como pode um país civilizado continuar a tolerar esta gritante desigualdade social? Não deveriam certas empresas e alguns ordenados ser taxados com impostos à altura?
Não me venham com a cantiga de alguns políticos que dizem que não são a favor de uma "igualdade por baixo" (eu também não sou). Mas pensemos. Se houver um bolo, e dois ou três comerem 3/4, fica só 1/4 para os outros milhões poderem comer (claro, rapam as migalhas...). Dirão: fazem-se mais bolos. Pois, só que não há com quê...

“Há males que vêm por bem”

Há um ditado popular que diz: “há males que vêm por bem”.
Se estivermos atentos ao que acontece na nossa vida e ao que acontece à nossa volta, verificamos que aquilo que surge de doloroso nem sempre deixa de produzir, mais tarde ou mais cedo, um efeito positivo e até agradável. É bem verdade esta palavra de Cheney: “As almas não teriam arco-íris, se os olhos não tivessem lágrimas”.
As adversidades que encontramos nos caminhos da vida nunca nos deixam iguais: ou nos engrandecem ou nos diminuem.
Há adversidades que são aproveitadas para repensar, para corrigir, para aperfeiçoar, para aproximar de Deus, para nos tornarem mais compreensivos e mais pacientes com os outros.
Há sofrimentos, físicos ou morais que nos transformam, deixando-nos melhores ou piores. Alguém escreveu que a “adversidade é abrasivo que aguça a coragem”. Um desgosto, uma desilusão, uma doença podem ter o efeito de um clarim que desperta os valores latentes em cada homem.
Quando a dor nos “esquece” durante bastante tempo, nós vivemos cegos sem ver de frente a realidade dos nossos defeitos, sem coragem para reconhecê-los e corrigi-los, egoístas, sem solidariedade para quem sofre.
Mas quando qualquer espécie de sofrimento surge, esse sofrimento humaniza-nos, torna-nos mais compassivos e indulgentes com os que sofrem, na nossa casa, no nosso mundo de trabalho, no nosso círculo de conhecidos e até do mundo inteiro.
Certo escritor, perante uma crítica contundente aos seus livros, deixou de escrever. Lamentando-se a um colega recusou qualquer conselho, tão desesperado estava.
- Não vou dar-lhe conselhos. Vou dar-lhe uma definição de poesia que li há tempos: “Poesia é o que Milton viu quando ficou cego”.
O escritor voltou a escrever e tornou-se afamado. Vale a pena pôr em prática esta palavra de Susana Fouché: “a minha dor tomei-a na mão como um instrumento de trabalho”.
Mário Salgueirinho

As boas políticas sociais são o caminho a seguir

Num artigo de opinião publicado na edição de hoje do Diário de Notícias, o ex-Presidente da República mostra-se preocupado com o aumento das diferenças entre os mais ricos e os mais pobres, alertando para a necessidade de actuar, com urgência, ainda este ano, em áreas prioritárias, como a saúde, o trabalho, a educação e a previdência social. Caso contrário, acrescenta, todo o trabalho feito até aqui será perdido, nomeadamente, o combate ao défice público.
No entender de Mário Soares, as boas políticas sociais são o caminho a seguir, pelo Estado e pelo partido, sendo que «urge, igualmente, fortalecer o Estado, para os tempos que aí vêm, e não entregar a riqueza aos privados».
De resto, se nada for feito, avisa o fundador do PS, partidos como o PCP e o Bloco de Esquerda vão continuar a crescer e a ganhar forças, por se assumirem como «o voto de protesto, que tanta falta fará ao PS em tempo de eleições».

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Pais maus...

Um dia quando os meus filhos forem crescidos o suficiente para entenderem a lógica que motiva um pai, eu hei-de dizer-lhes:

. Eu amei-te o suficiente para ter perguntado: onde vais, com quem vais e a que horas regressas a casa.
. Eu amei-te o suficiente para não ter ficado em silêncio e deixar-te descobrir que o teu novo amigo não era boa companhia.
. Eu amei-te o suficiente para te fazer pagar a pastilha que tiraste da mercearia e dizeres ao dono: "Eu roubei isto ontem e quero pagar".
. Eu amei-te o suficiente para ter ficado em pé, junto de ti 2 horas, enquanto limpavas o teu quarto; tarefa que eu teria realizado em 15 minutos.

. Eu amei-te o suficiente para te deixar ver a minha zanga, desapontamento e lágrimas nos meus olhos.
. Eu amei-te o suficiente para te dizer não, quando eu sabia que me irias odiar por isso.
Essas eram coisas difíceis também para mim.Mas agora estou contente, porque fiz de ti um homem.

E qualquer dia quando os teus filhos forem crescidos o suficiente para entenderem a lógica que motiva os pais, tu vais-lhes dizer quando eles te perguntarem se a tua mãe era má:

"Que sim, era muito exigente. Que os outros miúdos comiam doces ao pequeno almoço, nós tínhamos de comer cereais, ovos, torradas. Os outros miúdos ao almoço bebiam Pepsi e comiam batatas fritas, nós tínhamos de comer sopa, verdura e fruta.
Ela tinha de saber quem eram os nossos amigos e o que nós fazíamos com eles.
Nós tínhamos de lavar a louça, fazer as camas, lavar a roupa, aprender a cozinhar, aspirar o chão, esvaziar o lixo e todo o tipo de trabalhos.
E tínhamos de dar boa conta dos estudos.
E agora que cresci, acho que não perdi nada com isso. Antes pelo contrário, isso foi muito importante para mim. Por isso estou a seguir o exemplo de minha mãe."
Autor anónimo, in O Amigo do Povo

Peço a sua ajuda. Que assuntos gostaria de ver tratados neste blog?

Reflexão dominical - 17%

Actualidade religiosa - 4%

Informação local - 21%

Passatempos - 0%

Pensar e interrogar o mundo e os acontecimentos - 43%

Experiências humanas, sacerdotais e pastorais - 47%

Denúncia "profética" - 8%
Obrigado a todos os que tiveram a gentileza de colaborar nesta sondagem.
Na medida do possível, terei em conta as opções dos leitores.

domingo, 25 de maio de 2008

Deixai Deus entrar

Sião dizia:
«O Senhor abandonou-me, o Senhor esqueceu-Se de mim».
Poderá a mulher esquecer a criança que amamenta e não ter compaixão do filho das suas entranhas?
Mas ainda que ela se esqueça, Eu não te esquecerei.
(Is 49, 14-15)

Também nesta semana, não vai sozinho. Deus vai consigo, porque nunca se esquece de nós. Deixe-O entrar na barca da sua vida e permita que nos momentos de maior turbulência seja Ele a ir ao leme.

Uma boa semana. Muita paz.

Cáritas e a fome

A Comissão Permanente da Cáritas Portuguesa alertou em comunicado as autoridades para prepararem programas de apoio a carenciados tendo em conta a crise alimentar mundial que, prevêem, irá causar danos graves no país.

De acordo com a Cáritas Portuguesa, em Portugal gasta-se uma «fatia enorme de recursos» a «pagar quase dois terços do que se consome, designadamente produtos alimentares» pelo que o país está «na linha da frente» daqueles que mais sofrem «com a elevação dos preços internacionais e a escassez dos bens de primeira necessidade no mercado».

«O espectro da fome paira assim sobre a cabeça dos mais necessitados, incluindo de muitos portugueses», com «muita gente a viver abaixo do limiar de pobreza e com esquemas de apoio social muito deficientes», considera a Cáritas.
O Amigo do Povo

sábado, 24 de maio de 2008

Um matrimónio especial...

Na capela de Cristo Rei, a Natália e o Armindo celebraram hoje o seu matrimónio.
O Armimdo é neto do antigo sacristão do Teixelo, o senhor Sebastião, que Deus já chamou a Si. Vive em Lisboa com os seus pais e é licenciado em engenharia. A Natália, educadora infantil, é filha dos meus grandes amigos Amândio Correia e D. Lucinda que vivem em Gonfomar, desta paróquia.
A Natália é verdadeiramente uma das "joias da coroa". Infindamente feminina, sempre com um sorriso espontâneo, é uma jovem espetactacular. Tanto pega no tractor para ajudar os pais nas tarefas agrícolas, como brilha nos estudos; tanto anima a celebração eucarística na capela do seu povo, como lida apaixonadamente com as crianças.
Infelizmente não temos empregos nesta terra. Assim as pessoas têm que parir. Foi o que fez a Natália que exerce a sua profissão em Lisboa com crianças, no âmbito do curso que concluiu, para enorme satisfação da entidade para quem trabalha e dos pais das crianças a ela confiadas.
Foi verdadeiramente edificante a maneira como prepararam o seu matrimónio. Frequentaram o Curso de Preparação para o Matrimónio em Lisboa e deram especial ênfase à celebração de cujos pormenores cuidaram com inexcedível empenho.
Acabo de chegar de uns momentos de convívio com eles no restaurante. Estavam todos felizes. Foram muitos os elogios que me chegaram relacionados com a cerimónia religiosa. Um dos presentes, perguntava, com certa admiração, como era possível um padre já com certa idade, ter emprestado tal dinâmica à celebração... Amigos, tudo se torna mais fácil, quanto sabemos o terreno que pisamos. Para estes dois jovens, o casamento não foi uma mera formalidade, muito menos "uma maneira de tornar o casamento mais bonito, mais vistoso". Foi a expresão da fé!!! E isto torna tudo mais simples, mais espontâneo, mais bonito.
Aliás o povo, na sua ancestral sabedoria, sabe perceber as coisas. Como dizia um dos participantes: "Jovens como estes são como os corvos brancos... São raríssimos."
Natália, muitas vezes te chamei princesa. Sabes bem, dada a tua apurada sensibilidade, que o fiz com o coração. Oxalá o continues a ser. Na tua belíssima feminalidade, na tua dedicação como esposa e mãe. No gosto bonito de rir para o futuro.
Armindo e Natália, façam o favor de querer ser felizes, fazendo-vos mutuamente felizes.

Na democracia portuguesa, não serão os políticos o ponto mais fraco?

PARA QUE A PLEBE SAIBA:
Fernando Nogueira:
Antes -Ministro da Presidência, Justiça e Defesa
Agora - Presidente do BCP Angola
José de Oliveira e Costa:
Antes -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
Agora -Presidente do Banco Português de Negócios (BPN)
Rui Machete:
Antes - Ministro dos Assuntos Sociais
Agora - Presidente do Conselho Superior do BPN; Presidente do Conselho Executivo da FLAD Armando Vara:
Antes - Ministro adjunto do Primeiro Ministro
Agora - Vice-Presidente do BCP
Paulo Teixeira Pinto:
Antes - Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros
Agora - Presidente do BCP (Ex. - Depois de 3 anos de 'trabalho', Saiu com 10 milhões de indemnização !!! e mais 35.000€ x 15 meses por ano até morrer...)
António Vitorino:
Antes -Ministro da Presidência e da Defesa
Agora -Vice-Presidente da PT Internacional; Presidente da Assembleia Geral do Santander Totta - (e ainda umas 'patacas' como comentador RTP)
Celeste Cardona: Antes - Ministra da Justiça
Agora - Vogal do CA da CGD
José Silveira Godinho:
Antes - Secretário de Estado das Finanças
Agora - Administrador do BES
João de Deus Pinheiro:
Antes - Ministro da Educação e Negócios Estrangeiros
Agora - Vogal do CA do Banco Privado Português.
Elias da Costa:
Antes - Secretário de Estado da Construção e Habitação
Agora - Vogal do CA do BES
Ferreira do Amaral:
Antes - Ministro das Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante de Vila Franca de Xira à Lusoponte)
Agora - Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o contrato.
etc etc etc...
O que é isto ? - Não, não é a América Latina, nem Angola.
É Portugal no seu esplendor . cunha ? gamanço ?
...e depois este ESTADO até quer que se declarem as prendas de casamento e o seu valor ! Não é acintoso? Ultrajante mesmo?
Pois... Ouvi uma vez que 'quem elege, é quem derruba', mas, pelos vistos, a nós, português, faltam-nos as forças. Por isso, só reclamamos e choramos e fazemos apelos como este:
- Já é tempo de parar! Não te cales, DENUNCIA!
Já 'denunciei'...
(enviado por email)

8º Domingo do Tempo Comum

A cada dia basta o seu cuidado
«Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há-de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro."

"Não vos inquieteis, dizendo: ‘Que havemos de comer? Que havemos de beber? Que havemos de vestir?' Os pagãos é que se preocupam com todas estas coisas. Bem sabe o vosso Pai celeste que precisais de tudo isso."

"Procurai primeiro o reino de Deus e a sua justiça,e tudo o mais vos será dado por acréscimo."

"Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, porque o dia de amanhã tratará das suas inquietações. A cada dia basta o seu cuidado». (Mt 6,24-34)
+++++++++++++++++++++++++++++
1. A referência à incompatibilidade entre Deus e o dinheiro convida-nos a uma particular reflexão neste campo… O dinheiro é, hoje, o verdadeiro centro do poder no mundo. Ele compra consciências, compra poder, compra bem-estar, compra projecção social, compra reconhecimento e até compra amor. Por ele mata-se, calcam-se aos pés os valores mais fundamentais, renuncia-se à própria dignidade, envenena-se o ambiente (que interessa o buraco do ozono, a poluição dos rios, o desaparecimento das florestas, se isso fizer mais ricos os donos do mundo…), escravizam-se os irmãos. Quando a lógica do “ter mais” entra no coração do homem e o domina, o homem torna-se escravo e, por sua vez, leva a escravidão aos outros homens. Torna-se injusto, prepotente e explorador, passa indiferente ao lado dos irmãos que vivem abaixo do limiar da dignidade humana, deixa de ter tempo para gastar com aqueles que ama (o amor do dinheiro sobrepõe-se a todos os outros amores), relega Deus para a lista dos valores secundários, acha o “Reino” proposto por Jesus “uma absurda quimera”. Como nos situamos face a isto? Se tivermos que optar (não em termos teóricos, mas nas situações concretas da vida) entre o dinheiro e os valores do “Reino”, qual é que escolhemos?

2. Que as preocupações presentes não nos impeçam de sonhar; mas que os sonhos não nos impeçam de viver. Que o presente não varra o nosso passado; mas que o passado não nos estorve de viver o presente.
Estar todo no presente como momento único, vivendo-o intensamente.

sexta-feira, 23 de maio de 2008

SABER NÃO OCUPA LUGAR

Dívidas – Mais de 1 milhão de lares possui crédito bancário para aquisição de habitação, segundo os resultados do ano 2007 do estudo Basef Banca, da Marktest.
Através destes dados fica a saber-se que há mil e sessenta famílias que devem aos bancos parte significativa da casa onde vivem.
**********************************************
Futebol – Cada um dos 23 eleitos por Scolari receberá 300 mil euros pela vitória final no Campeonato Europeu de 2008 – mais 15 mil euros que o acordado em 2006 para o Mundial da Alemanha. Todos os futebolistas têm também direito a um incentivo diário, valor esse que será de 600 euros durante o estágio em Viseu, subindo um pouco mais quando a comitiva viajar para território suíço, onde decorre o torneio.
***********************************************
Impostos – Os portugueses estiveram este ano a trabalhar 139 dias só para pagar impostos, até ao dia 19 de Maio, e apenas daí em diante o salário se torna verdadeiro rendimento líquido, indica um estudo há dias apresentado.
***************************************************
A produção mundial de arroz vai atingir este ano um novo recorde, chegando aos 666 milhões de toneladas mas, a curto prazo, os preços vão continuar elevados, porque muito do arroz só será colhido no final do ano, anunciou a FAO (Organização da ONU para a Alimentação e Agricultura).
Fonte: 0 Amigo do Povo

NOVO LIVRO DE VISITAS NO SITE DA PARÓQUIA

http://paroquiadetarouca.no.sapo.pt/ tem novo livro de visitas. Pode consultar o site e escrever no livro de visitas.
Obrigado pela atenção.

Obrservação: o antigo livro de visitas teve que ser removido pela invasão de intrusos virulentos.

ELE não nos julga, não nos esmaga, mas liberta-nos e transforma-nos

Bento XVI deslocou-se esta Quinta-feira a São João de Latrão, para a celebração da Solenidade do Corpo de Deus, que se concluiu com uma procissão eucarística até à Basílica de Santa Maria Maior, nas ruas de Roma. Na homilia da Missa o Papa falou do significado desta Solenidade e salientou que a Eucaristia nunca poderá ser um acto privado, reservado a pessoas que se escolheram por afinidades ou amizade.
“A Eucaristia é um culto público, que nada tem de esotérico, de exclusivo. Estamos unidos – disse Bento XVI – para além das nossa diferenças de nacionalidade, de profissão, de extracção social ou ideias politicas: abrimo-nos uns aos outros para nos tornarmos numa única coisa a partir d'Ele”.
“Com o dom de si mesmo na Eucaristia, o Senhor Jesus liberta-nos das nossas paralisias, faz-nos avançar, dar passos em frente, com a força deste Pão da vida”.
“A Eucaristia é o Sacramento do Deus que não nos deixa sozinhos no caminho, mas que se coloca ao nosso lado e nos indica a direcção”.
Bento XVI salientou que os cristãos se ajoelham somente diante do Santíssimo Sacramento, “porque sabemos e acreditamos que nele está presente o único verdadeiro Deus”.
Aquele diante do qual nos prostramos não nos julga, não nos esmaga, mas liberta-nos e transforma-nos”, apontou.
ecclesia

Eucaristia: expressão de comunhão e projecto de fraternidade

«A Eucaristia não é apenas expressão de comunhão na vida interna da Igreja, ela é também projecto de fraternidade, em benefício de toda a humanidade, particularmente e até dos que mais precisam».

«É necessário e urgente alargar ainda mais a acção da Igreja e da sociedade a favor dos mais pobres, amando-os com uma ajuda efectiva».

«No combate à pobreza mundial diz-se que bastariam menos de metade das somas que se gastam no armamento para tirar da miséria e dar uma vida estável ao exército inumerável dos pobres».

«Igreja terá que ter e ser uma consciência crítica sobre esta situação, quer para si mesma, quer para interpelar o mundo».

«Ninguém pode ignorar a existência dos mais carenciados. A Eucaristia deve criar em nós um coração universal, um desejo de bem-fazer».

(Dom António Carrilho, Bispo do Funchal, na homilia da Solenidade do Corpo de Deus)

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Profissão de Fé

Hoje, Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue do Senhor, mais de 30 adolescentes fizeram a sua Profissão de Fé. Parabéns a eles, seus pais e catequistas. "Prometo seguir Jesus Cristo", dissestes. Que a vossa vida nunca desdiga o propósito formulado. Que a família e a comunidade apoiem sem cessar o crescimento na fé destes adolescentes, pelo testemunho e pela palavra.

Estiveram muito bem os pequenos. Portaram-se lindamente, sempre com um sorriso a inundar-lhes o rosto. Cantaram, leram, responderam, participaram maravilhosamente. A festa foi deles e eles foram a festa.
Há circunstâncias especiais. Como disse à comunidade, eles pertencem-me duplamente, não só porque são paroquianos como pelo facto de serem maioritariamente meus alunos, o que naturalmente gerou um clima especial entre nós.
Apesar da saturação natural que o fim do ano sempre acarreta; apesar das provas de aferiçaõ e de outras actividades em que muitos deles estão envolvidos, levaram a preparação próxima muito a sério. Não admira, por isso, que tenham estado muito bem, mormente nos cânticos que sempre exigem bastante treino.
Parabéns, amiguitos! Que guardeis no coração pela vida fora aquela belíssima canção que ouvistes: "ninguém te ama como Eu!" Que aceiteis o desafio que nos lançastes quando cantastes: "Voa bem mais alto.."
No dia 9 e 10 de Junho, lá estaremos em Fátima. Recebereis então a vossa prenda e terei o prazer de vos oferecer aquilo que vós hoje democraticamente escolhestes.
No fim da Eucaristia, um casal veio agradecer amavelmente tudo o que foi feito pelos pequenos. Depois acrescentou: "O senhor é um padre mariano. Deve estar contente por este ano o Corpo de Deus ter calhado no mês de Maio..." Claro que sim. Pedi humildemente à Senhora da Eucaristia que abençoasse, protegesse e guiasse para Jesus os meus meninos. TODOS TEUS, SENHORA NOSSA!
"Caminhando eu vou para Maria!", cantastes. Que assim seja, miúdos!
Saúdo os pais, agradeço aos catequistas, aos ensaiadores, e a todos os que colaboraram.
Um abração enorme para vós, amiguinhos. Como vos amo!
Que Cristo seja sempre o centro das nossas vidas.
video

quarta-feira, 21 de maio de 2008

III Feira das Profissões “Aprender a Empreender”

A cidade de Tarouca acolhe, entre os dias 18 e 23 de Maio, a III Feira das Profissões e XI Feira do Livro, denominada “Aprender a Empreender”, com o intuito de divulgar os percursos educativos, formativos e profissionais, visando o desenvolvimento de atitudes e comportamentos activos, tendo em vista as exigências actuais do Mercado de Trabalho.
O evento, que decorre no Centro Cívico da Cidade de Tarouca, é constituída por um conjunto de expositores de instituições de ensino e empresas de áreas de actividades específicas, com os quais se tenciona promover a empregabilidade, a qualificação profissional e apresentar novas oportunidades empresariais.
Para além da feira que as entidades representadas efectuam, ao longo dos dias do evento, destaca-se no dia 23 de Maio o Seminário: «Empreendedorismo - Das Competências à Ideia de Negócio».
Durante o certame decorrem, simultaneamente, espectáculos culturais e artísticos.
O evento é organizado e dinamizado pela Câmara Municipal de Tarouca e CLAS Tarouca.
Jorge Amaro

SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO

A Igreja celebra o aniversário litúrgico da instituição da Sagrada Eucaristia em Quinta-Feira Santa, pois foi na véspera da Sua Paixão que Jesus, levando até ao extremo o Seu amor pelos homens (Jo. 13, 1), nas deixou a Memorial do Seu Sacrifício redentor.
Nesse dia, porém, a sombra da Cruz projecta-se já na Liturgia e a Igreja não pode, por isso, manifestar toda o seu júbilo par este Dom inefável. Deste modo, a Solenidade do Corpo e Sangue de Crista apareceu na Liturgia, no século XIII, para responder a uma necessidade íntima da Esposa de Crista.
Com esta Solenidade, a Igreja, de coração inundado ainda pelos alegrias pascais e no fervor do Espírito Santo, dá largas ao seu entusiasmo para celebrar, numa atmosfera de louvor e de exultação espiritual, o Mistério da presença amorosa e operante de Crista no meio dos homens.
Sem perder a sua conexão profunda e essencial com o Mistério da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor, a Solenidade da Corpo de Deus oferece-nos a oportunidade para:
— reflectirmos sobre as inesgotáveis riquezas da Eucaristia; darmos «graças» a Crista pelo dom total de Si mesmo,em Corpo e Sangue, como alimenta e bebida (Jo. 6, 51-58);
— anunciarmos aos homens, com a nossa participação consciente na procissão do Corpo de Deus, que só na Eucaristia (que é Cristo a percorrer os caminhos do mundo) está o sinal da unidade, o vínculo da amor, a única força capaz de transformar a humanidade, tão ansiosa de união, na única família dos filhos de Deus, destinados a viver, em Crista, na comunhão perfeita com Deus e com os homens.

terça-feira, 20 de maio de 2008

Fiquei triste!

Acabo de saber que o meu blog preferido (http://padrejoaoantonio.blogs.sapo.pt/) terminou.
Não questiono os motivos, certamente de peso, que levaram a tal posição. Simplesmente respeito.
Mas sinto que é uma enorme perda. A palavra lúcida, clara, profunda, desafiadora do Doutor João António era demasiado importante. Penso que todos perdemos.
Por tudo e por tanto, muito obrigado, Amigo!

Ficamos à espera de um novo púlpito seu. Na auto-estrada das novas tecnologias, a Igreja não pode ficar na margem, muito menos esconder-se. O Doutor João António sabe estar, sabe ler e reler a vida, oferecendo-a na bandeja nova do Evangelho.

Queixumes e críticas nada resolvem. Vamos à acção!

Entre os dias 24 (sábado) e 30 (sexta-feira) de Maio, não abasteçam nos postos da GALP!...

Tendo em conta a sucessiva escalada dos preços dos combustíveis, e atendendo ao que o Presidente do Automóvel Clube de Portugal disse ontem, em entrevista à RTP, faço um apelo a que entre os dias 24 (sábado) e 30 (sexta-feira) de Maio, não abasteçam nos postos da GALP. Vamos ensinar a estes senhores que os consumidores também sabem brincar aos preços.
O Automóvel Clube de Portugal está indignado com estes aumentos. Carlos Barbosa quer que de uma vez por todas o Governo explique a escalada nos preços.
O Presidente do ACP lembra que se todos os portugueses deixassem de abastecer na GALP, a baixa de preços seria inevitável.
PASSEM A PALAVRA AO MAIOR NÚMERO DE PESSOAS POSSÍVEL!
(enviado por email)

segunda-feira, 19 de maio de 2008

O episódio dos cigarros

O episódio dos cigarros que o primeiro-ministro fumou a bordo do avião para a Venezuela não teria passado de uma coscuvilhice zelosamente empolada pela comunicação social. E de um gesto desculpável, até pela prática habitual em anteriores viagens oficiais. Não teria passado se José Sócrates, com o seu incorrigível estilo de anjo justiceiro e impoluto, não o transformasse num contraproducente facto político.
Primeiro, estragando um louvável pedido de desculpas com a promessa tonta e radical de não voltar a fumar um cigarro. Como os miúdos que, apanhados em falta, prometem este mundo e o outro e nunca mais fazer o mesmo. Depois, não resistindo à tentação de se fazer passar por vítima e tirar dividendos do caso, vindo acusar de dedo em riste os seus adversários de perseguição e «calvinismo moral». Ora, foi ele, o seu Governo e a ASAE que elaboraram, aprovaram e estão a aplicar um das leis antitabaco mais calvinistas e fundamentalistas do espaço europeu. Não tente, agora, virar o filme ao contrário. E passar para os outros os seus erros, os seus pecadilhos e os seus excessos.

Sócrates passa da humildade de quem pede desculpas à arrogância de quem pede meças e contas à velocidade do som. E do 80 para o 8 (ou do 100 para 0, no caso dos cigarros) da noite para o dia.
Agora, o crescimento do PIB em 2008, que ainda há uma semana o Governo se obstinava em manter nuns irrealistas 2,2%, sofreu uma machadada radical de um terço e caiu para 1,5%. Deitando por terra o discurso da retoma da economia, da convergência finalmente conseguida com a União Europeia, do fim dos sacrifícios pedidos aos portugueses nestes três anos.
O que a maioria dos eleitores que irão votar em 2009 sente quotidianamente é o preço da gasolina a aumentar, os bens alimentares a ficarem mais caros, o custo dos transportes a subir, os juros dos empréstimos das casas a disparar. Com um desemprego em níveis altíssimos e a inflação a saltar de 2,1% para 2,6%, não é este, seguramente, o melhor cenário para sonhar com maiorias absolutas.
Sócrates justificar-se-á com a crise internacional e a conjuntura europeia, mas o facto é que a economia portuguesa apresenta de novo o pior resultado de toda a Zona Euro. Desculpas de mau fumador.
jal@sol.pt, in Sol

Lamego celebrou XXIII Jornada Diocesana da Juventude

A localidade de Cujó, Castro Daire, acolheu este Sábado a XXIII Jornada Diocesana da Juventude, este ano com o tema “Recebereis a força do Espírito e sereis Minhas testemunhas”. Este foi também o mote para o hino da jornada escrito pelo Padre Marcos Alvim.
“Foi uma jornada recheada com todos os elementos, que fazem com que as jornadas diocesanas da juventude se tornem marcantes e inesquecíveis”, refere um comunicado enviado à Agência ECCLESIA.
À chegada a Cujó, todos os participantes da jornada tinham à sua espera uma caminhada até ao Senhor da Livração. Durante essa caminhada, para além de jogos e pequenos momentos de partilha entre os participantes, houve também pequenas encenações, como por exemplo a encenação do Baptismo de Jesus, a Última Ceia, e ainda uma paragem, onde reflectimos sobre os dons do Espírito Santo, tema esse muito abordado nesta jornada.
Depois desta caminhada, que ocupou a manhã, seguiu-se a Eucaristia presidida pelo Bispo de Lamego D. Jacinto Botelho, que ouviu dos participantes cantarem-lhe os pelos seus 50 anos de sacerdócio.
De tarde, vários grupos da diocese actuaram, cantaram e dançaram para todos os outros. Por fim seguiu-se a cerimónia do envio, onde D. Jacinto Botelho passou a chama da Jornada ao arciprestado de Resende que para o ano irá acolher a XXIV Jornada Diocesana da Juventude.
in ecclesia

Os jovens desta paróquia marcaram presença. Alegres, colaborantes, participativos, responsáveis. Um abração para eles.

domingo, 18 de maio de 2008

Correu bem o Passeio Paroquial

7 horas da manha. Dezenas de tarouquenses fizeram-se ao caminho. A manhã aparecera carrancuda e, na mente das pessoas, pairava a interrogação: "Será que vamos ter a sorte dos últimos Passeios Paroquiais?" Realmente não temos tido muita sorte com o tempo. Alguns, na brincadeira, diziam que o Padre precisava de se confessar para fazer as pazes com o S. Pedo...
Às 11,15 horas, estávamos em Alcobaça. Dirigimo-nos ao Mosteiro onde participámos na Eucaristia com a comunidade local. É justo salientar a delicadeza do pároco e as palavras de acolhimento que nos dirigiu. Gostei da liturgia. Cada um dos intervenientes desempenhou com bela postura a sua função. Foi muito agradável concelebrar naquele belo e enorme templo.
Largámos para Nazaré. A chuva, que nos acompanhou à saída de Tarouca, só voltou, forte e feio, para nos embalar na viagem de regresso, entre Coimbra e Viseu. Durante o resto do tempo, tivemos um céu enublado sim, mas o tempo esteve ameno. Almoçámos ao ar livre, num local aprazível e num ambiente de são convívio.
Já em Nazaré, os autocarros deixaram-nos no Sítio de onde se avista um belo panorama de mar/terra. Houve então um tempo livre. As pessoas puderam visitar a Igreja de Nossa Senhora da Nazaré, deambular pela feira, entrar nos cafés, fazer compras. Houve quem descesse e subisse no funicular, molhasse os pés no mar (estava muito sereno), fizesse uma festa com um grupo de espanholas que também usava aquele transporte. Belo momento de brincadeira que a música proporcionou!
Partimos para a praia de Vieira. E depois do lanche e de um bocadinho de convívio na área de serviço do Pombal, regressámos a casa.
As pessoas foram espectaculares. Houve animação, entreajuda, solidariedade, compreensão. Maravilhoso. Aliás, Tarouca habituou-me a isto: as pessoas, quando saem daqui, sabem honrar a sua terra pela postura e compostura. Parabéns.
É naturalmente um dia cansativo. O stress é meia mantença. Mas todas as pessoas queriam que comesse com elas. E cultivámos um belo espírito de família em palavras, gestos e atitudes.

Sporting ganha a Taça de Portugal

Como desportista, dou os parabéns ao Sporting.
Concordo com o jornal "O Jogo" quando afirma: "Vitória justa do Sporting, apesar dos erros de Olegário Benquerença."
Agora vamos a factos:
- Nesta época, em 4 jogos com o Sporting, o Porto ganhou um e perdeu três. Porque será?
- O Porto foi campeão a 5 jornadas do fim do campeonato. O que lhe possibilitou rodar a equipa. Jesualdo Ferreira no final do encontro da Taça falou de fadiga. Porque será?
- O Porto perdeu a eliminatória com o Fátima para a Taça da Liga, caiu nos oitavos da Taça dos Campeões com uma mediana equipa alemã, perdeu a final da Taça. Quer dizer nos jogos a eliminar, é o que se vê. Porque será?
- Esta época, os jogos grandes disputados fora, tirando o Benfica, foram perdidos. Alvalade, Liverpool, clube alemão... Porque será?
- Melhor fez o contestadíssimo Co Adrianse. Esteve cá uma época e com uma equipa renovada, conseguiu campeonato e taça. Porque será?
Não, Jesualdo não é treinador para o Porto, por mais que o Pinto da Costa o chame de "mestre".
Contra factos...

sábado, 17 de maio de 2008

Um vídeo revolucionário para o mês de Maria.

video

Amanhã, passeio paroquial

Sairemos às 7 horas.

VIVER, SENTIR, CONSTRUIR COMUNIDADE!

Em CRISTo, que nos une.

Domingo da Santíssima Trindade

Terminado o Tempo Pascal, com a celebração no passado domingo da Festa do Pentecostes, somos hoje convidados a debruçarmo-nos sobre o mistério central da nossa fé, o mistério da Santíssima Trindade. A Solenidade que hoje celebrámos não é um convite a decifrar a mistério que se esconde por detrás de “um Deus em três pessoas”; mas é um convite a contemplar o Deus que é amor, que é família, que é comunidade e que criou os homens para os fazer comungar nesse mistério de amor.

"Irmãos: Sede alegres, trabalhai pela vossa perfeição, animai-vos uns aos outros, tende os mesmos sentimentos, vivei em paz. E o Deus do amor e da paz estará convosco. Saudai-vos uns aos outros com o ósculo santo. Todos os santos vos saúdam. A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deuse a comunhão do Espírito Santo estejam convosco." (2 Cor 13,11-13)

É notável a fórmula final de saudação: “a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco”. Esta fórmula – a mais claramente trinitária de todo o Novo Testamento – é, certamente de origem litúrgica. Provavelmente, era a fórmula que os cristãos utilizavam quando, no contexto da celebração eucarística, trocavam a saudação da paz. Esta fórmula constitui uma impressionante confissão de fé no Deus trino. Ela manifesta a fé dos crentes nesse Deus que é amor e, portanto, que é “família”, que é comunidade. Ao utilizarem esta fórmula, os crentes reconhecem-se como membros dessa “família de Deus”; e reconhecem também que ser “família de Deus” é fazerem todos parte de uma única família de irmãos. São, portanto, convocados para viverem em unidade: em comunhão com Deus e em união com todos os irmãos.

• Os membros da comunidade cristã, que pelo baptismo aderiram ao projecto de salvação que Deus apresentou aos homens em Jesus e cuja caminhada é animada pelo Espírito, são convidados a integrarem esta comunidade de amor. O fim último da nossa caminhada é a pertença à família trinitária.

• Esta “vocação” deve expressar-se na nossa vida comunitária. A nossa relação com os irmãos deve reflectir o amor, a ternura, a misericórdia, a bondade, o perdão, o serviço, que são as consequências práticas do nosso compromisso com a comunidade trinitária. É isso que acontece? As nossas relações comunitárias reflectem esse amor que é a marca da “família de Deus”?

video

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Conselho Económico

Reuniu nesta noite o Conselho Económico. Como sempre, as pessoas foram participativas e empenhadas.
Falámos das obras de restauro da Igreja, de melhoramentos de Santa Helena, de assuntos correntes e, claro, do grande sonho de todos: o Centro Paroquial.
É sempre um gosto trabalhar convosco.

Estejamos vigilantes! Há situações deveras preocupantes.

1. E nós a pensar que estas calamidades não nos batiam à porta! Pensamos sempre que só acontecem longe de nós, nos grandes centros, noutros lugares. Afinal, quando mal damos conta, pumba!
As pessoas, muito justamente, estão chocadas. E ainda bem que o estão. Ainda me custa a acreditar que tal perversidade aconteceu aqui.
Estejamos vigilantes, eduquemos constantemente as crianças para não darem "trela" a desconhecidos. É preciso fazer tudo para poupar os miúdos às garras dos miseráveis pedófilos.
Veja o que aconteceu:
http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=13F7D0CC-4210-4341-AC0E-88B7C6DC1ABD&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010

2. Uma onda de "pedintes" corre estas bandas. E que "pedintes"! Abeiram-se das pessoas de quem antecipadamente recolheram alguns dados para serem mais bem aceites. Falam com o ar mais natural do mundo de uma percalço que tiveram ( não têm dinheiro para o autocarro... faltou-lhes a gasolina ... têm um filho muito mal ... etc) e pedem dinheiro com a promessa de o devolver em tal dia ou a tal hora. As pessoas da Beira são hospitaleiras e gostam de ajudar e os tais "pedintes" aproveitam-se do facto. Claro que dinheiro ... nunca mais. Os casos já são muitos mesmo.
As pessoas sentem medo. O medo nunca foi bom conselheiro. Pode levar à violência e já há sinais das reacções que o medo provoca .
Desgraçadamente a segurança das pessoas e seus bens não tem sido preocupação para este infeliz governo. Cada vez menos agentes da autoridade e mais longe das populações.
Uma situação destas era para ter um resposta rápida, pronta e eficaz da autoridade. Aliás como outras situações que se passam por aí ligadas a submundos...

Ditosa loucura

Muitos conhecem testemunhos de pessoas que se fazem frades ou freiras, quando têm um curso superior ou uma boa carreira profissional.
Outros deixam os seus cursos superiores e começam a estudar para serem padres ou missionários.
«Será desilusão de amor? Aborrecimento do mundo? Ou loucura?»

Há dias fez a sua solene profissão religiosa no Convento de Monte Real – diocese de Leiria – uma destas "loucas" aos olhos dos homens. Ouçamos como ela conta a sua decisão:

«Chamo-me Ana Maria e preparo-me para professar os Votos Solenes Perpétuos segundo a Regra de Santa Clara. Neste ponto alto da minha vida não posso deixar de rever o passado e sorrir com o engano de tantas afirmações e de tantas certezas que, dum momento para o outro, caem por terra. Entre todas, a primeira e a mais forte: "Clausura? Que ideia mais absurda! Não me cabe na cabeça! Não, comigo nunca!!!"
Era professora, terminara a Licenciatura havia pouco tempo e possuía tudo o que uma jovem pode ambicionar para ser feliz. Tinha o futuro nas mãos, um mundo a explorar e o desafio duma vida aliciante, ali mesmo, à frente dos meus pés. Mas, subitamente, a minha vida mudou: do alto da Cruz, Jesus olhou para mim e os meus olhos perderam-se naquele olhar. Dum momento para o outro, os meus sonhos caíram por terra, a minha vida desfez-se em cinzas, o meu mundo desmoronou-se com suas ‘certezas absolutas’. E, nos escombros arruinados, ficou apenas a sombra luminosa daquele olhar tão penetrante, tão doce, tão magoado e tão profundamente amante!
Nesse momento começou a germinar no meu estreito mundo uma nova história, mais venturosa e incomparavelmente mais bela, uma história de amor e luta, em conquista da verdadeira Felicidade. O que se passou depois disso, não o sei descrever. Só posso afirmar que, a 19 de Março de 2000, às portas de ficar efectiva no ensino, deixei definitivamente o pequeno universo da escola em Santiago do Cacém e atirei-me para o infinito de Deus, no desconcertante Mosteiro de Santa Clara e do Santíssimo Sacramento em Monte Real.
"Loucura", diziam-me, e eu respondia sorrindo-me no coração: "Ditosa loucura nossa, Jesus!»
M.V.P., in O Amigo do Povo

Encontro de Arciprestes

Na manhã de hoje estive presente na reunião do Conselho de Arciprestes, presidido pelo Bispo diocesano.
Após um momento de oração e reflexão, passou-se à análise do Plano Diocesano de Pastoral. Depois da abordagem das próximas visitas pastorais, cada arcipreste pôde livremente manifestar-se sobre problemas e caminhadas que, no âmbito pastoral, envolvem o seu arciprestado.
Só o facto de estarmos juntos, partilharmos, rezarmos, confraternizarmos é por demais importante.
Poder-se-ia ir mais longe? Estou certo que sim. Não posso deixar de salientar o grande espírito de abertura que o nosso Bispo possibilita. É salutar.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Grupo: ninguém é dono da verdade

Trabalhar em grupo é maravilhoso, mas não é fácil.
Há grupos que se fecham, sofrem de grupite. O mundo é o grupo.
Há grupos que se abrem à comunidade, mas em constante conflitualidade com outros grupos.
Há grupos que não funcionam. As pessoas dizem-lhe pertencer-lhe, mas só por uma questão de hábito, de protecção, de afirmação, de invólucro prestigiante.
Há grupos que fazem da instabilidade um modo de existência. Os elementos criticam-se e criticam nas costas, não se ajudam, não colaboram, agridem-se... Funcionam quando um forte objectivo os mobiliza, mas depois voltam à instabilidade.
Há elementos que, perante as dificuldades, debandam. Esta é uma velha tentação. Mas a fuga nunca resolve nada. Deixamos o espaço, mas não largaremos os problemas.
Há pessoas que querem ser sempre o centro do grupo. A sua sensibilidade é que conta, as suas ideias é que são as correctas, as suas iniciativas é que são válidas. Só estão bem na crista da onda.

O trabalho grupal enriquece sempre, pois ninguém é dono da verdade.
É preciso:
- saber estar sem oprimir;
- saber participar sem se considerar dono de nada;
- saber ouvir mais do que falar;
- saber acolher, entusiasmar, estimular;
- oferecer o seu contributo sem se esconder ou "marimbar";
- respeitar o ritmo: quando é para brincar, brinque-se; quando é para trabalhar, trabalhe-se;
- atender à maneira de ser de cada membro do grupo que deve sentir-se respeitado e respeitador;
- criar um ambiente empático e acolhedor, de modo que todos se sintam em família.

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Mãe da filha do marido

Exteriormente transmitia a ideia de um autoritarismo vexante em relação à esposa. Chegava a ser grosseiro mesmo. Na vida familiar intra-muros, era contudo dialogante e, no fundo, deixava que fosse ela a conduzir as rédeas do governo da casa. Em relação aos filhos, procedia mais como um irmão do que como um pai. Havia até alguma cumplicidade entre eles em relação ao poder da mãe.
Homem de negócios, andava pelo mundo a governar (às vezes a desgovernar) a vida, pois era "borguista militante", como ele própria se ufanava.
De um dos seus desatinos resultou uma gravidez. A mãe da criança rejeita-a e entrega-a ao pai que a trouxe para casa. Estão a imaginar a reacção da esposa. Revolta, protestos, ameaças, lágrimas, desabafos. Mas não abandonou o lar nem pediu o divórcio. Embora profundamente magoada como esposa fiel e digna, pensou nos filhos... Mesmo sofrendo, perdoou-lhe e deu-lhe uma chance de recomeçar. Criou a menina como se fosse sua filha.
O marido aprendeu a lição e nunca mais a esposa teve razão de queixa. Mudou imenso. O autoristaismo público e vexante desapareceu. Pouco a pouco foi-se tornando um marido carinhoso e começou a aprender a ser pai.
A miúda cresceu, sem nunca ter dado preocupações a quem a criou. Era de uma imensa delicadeza para com a senhora a quem chamava mãe. Óptima aluna, tirou um curso superior, casou e foi viver para longe. Mas não havia semana em que não telefonasse várias vezes àquela que fora para ela a "mãe".
Após o falecimento do pai, fez aquilo que os os irmãos não fizeram. Veio buscar a "mãe" para sua casa onde é tratada com todo o desvelo.
Como aquela senhora gosta de referir, há males que vêm por bem: "Que seria de mim sem esta filhota querida!"

Senhor, Tu que tudo vês...

O desejo de rezar já é oração. (Georges Bernanos, escritor francês)

Lembram-se dela?


terça-feira, 13 de maio de 2008

Marcantes!

Neste 13 de Maio, houve dois factos que me tocaram especialmente.

Gostei da iniciativa do Santuário de Fátima. O peditório da Missa da peregrinação aniversária reverteu a favor do martirizado povo do Darfur. Este gesto revestiu-se de uma enorme grandeza humana e cristã. Irmãos que junto da Mãe lembram, sentem e partilham com outros irmãos em situação humana de desespero, fome, miséria, abandono, sofrimento... Penso que só por este gesto terá valido a pena ir a Fátima.

Houve aqui um funeral. Um dos participantes, residente num concelho vizinho, disse-me que em cada domingo, para participar na Missa dominical, andava hora e meia a pé. E se tivesse a sorte de encontrar boleia na viagem de regresso. Caso contrário, seriam três horas!!! E disse-o com alegria, com convicção, com entusiasmo. E acrescentou: "Quando deixar de poder vir até Cristo, que me levem Cristo a casa!"
Fantástico! Interpelante.
E aqueles que moram ao pé da Igreja e nunca lá põem os pés? E os que só lá vão se a Eucaristia tiver lugar na sua capela, na sua igreja, à sua porta? Entretanto dizem-se cristãos... Um cristianismo sem Cristo, sem comunidade, sem compromisso, sem sacrifício... Pergunto: foi desta maneira que Cristo nos salvou? Olhem ao menos para a Cruz.
Hoje temos gente que vai praticamente só duas vezes à Igreja. Quando o levaram para ser baptizado e quando o voltaram a levar para a Missa de Corpo Presente. Já pensaram que sentido terá celebrar a Missa de Corpo Presente por alguém que, durante a vida, nunca lá pôs os pés!? Então se, enquanto pôde, nunca quis a Eucaristia, vai-se-lhe impor agora que já não tem querer? Não haverá aqui uma grave violação da liberdade da pessoa? Entretanto, mate-se e enforque-se o padre se a não celebrar... Meu Deus, que mundo incongruente!

Calamidades naturais ... guerras ... solidariedade ... críticas

  • O peditório da Missa do dia 13 em Fátima foi para super-martirizado povo do Darfur. Penso como Nossa Senhora ficou feliz com esta atitude!
  • Um forte sismo atingiu o Sudoeste da China, deixando no seu rasto milhares de mortos, destruição, aflição, dor. A comunidade internacional está disponível para colaborar. A China mostrou-se receptiva. Oxalá a ajuda seja eficaz.
  • Reacendeu-se a violência no Líbano. O Médio Oriente continua um caldeirão de pólvora...
  • Há dias, foi um ciclone que semeou a morte e a miséria em Myanmar (antiga Birmânia).

O Papa não cessa de apelar à solidariedade para com as vítimas das catástrofes e ao bom senso dos beligerantes.

Mas há quem não queira ver ou não lhe interesse ver. São os que fazem da Igreja o seu "inimigo de estimação". Enfim, cegos a guiar outros cegos...

Arquitectura Moderna em Fátima

video

Peregrinação de Maio junta milhares de fiéis em Fátima, numa reflexão sobre a paz, a vida e a família

O Cardeal José Saraiva Martins, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, lamentou hoje em Fátima a “sombra escura de suspeita acerca de Deus e da sua obra”.
Falando aos milhares de peregrinos que enchiam o recinto do Santuário, na Peregrinação Internacional de Maio, o Cardeal português lembrou que, há 91 anos, as Aparições tiveram lugar “nos começos de um século ensanguentado pela loucura de duas Guerras Mundiais, marcado por nacionalismos exasperados, por ideologias ateias e materialistas, que procuraram sufocar a luz da Fé no coração dos homens, no decorrer de sucessivas gerações”.
Segundo este responsável, existe no nossos dias “esta «apostasia (afastamento definitivo e deliberado , ndr) da Fé» – como a definiu o Papa João Paulo II – que progressivamente comprometeu e contagiou a nossa Europa cristã, que sempre ofereceu ao mundo, ao longo dos séculos, uma cultura rica em humanidade, criativa, respeitadora do Homem e da sua altíssima dignidade de filho de Deus e irmão de Cristo”.
É precisamente à nossa época, saturada e desesperada, que continua a falar o Coração desta Mãe, traduzindo as coisas de Deus numa linguagem familiar, simples, facilmente compreensível por todos”, referiu D. Saraiva Martins, frisando a actualidade da Mensagem de Fátima.
Vida e família
Na homilia do 13 de Maio, o membro da Cúria Romana sublinhou que “foi a Virgem Nossa Senhora que nos convidou para virmos a este lugar santo, verdadeiro «altar do mundo», do qual brotou, há mais de 90 anos, a luz evangélica do Amor e da Misericórdia”.
Perante a perda do sentido dos valores e a desorientação das consciências”, indicou, Fátima apresenta “princípios não negociáveis, dos quais inevitavelmente se deve partir para fundar uma correcta convivência, civil e cristã”, tais como “a vida; a família; o matrimónio, como união estável e fiel de um homem e de uma mulher, e não de qualquer outro modo; a caridade concreta; a dignidade pessoal, estendida a todos os momentos e a todas as dimensões da existência”.
Para o Cardeal português, “só em Deus o homem se encontra plenamente a si mesmo”. “A Fé não é uma fuga das próprias responsabilidades ou um estéril dobrar-se sobre si mesmo: é fonte de luz e de força interior, que nos anima e nos permite afrontar corajosamente os problemas e os desafios da vida”, indicou.
O homem de hoje, iludido e desiludido da vida, por vezes parece ter desistido de esperar. Caíram as consideradas certezas das ideologias; o bem-estar e o consumismo – que aparentemente satisfazem as nossas necessidades e exigências –, caíram esses sistemas que revelam, de facto, cada vez mais, a sua inconsistência, a sua radical incapacidade de fazer feliz o homem de hoje, do nosso tempo, o homem que encontramos todos os dias no caminho da nossa vida”, alertou.
Neste contexto, indicou, “Fátima é uma escola da Verdade porque nos defende das fábulas e nos ensina a encarar e a interpretar a realidade com o coração de Deus. Não se cala sobre o destino último do Homem, não minimiza as nossas responsabilidades, mas indica os caminhos que nos conduzem ao Mistério”.
“À silenciosa ou manifesta «apostasia da Fé» – há também a «apostasia da razão» – a Virgem Maria não contrapõe as vazias palavras do mundo ou a mentira de uma nova ideologia, mas propõe novamente Cristo, e Cristo Crucificado”, apontou.
In ecclesia

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Espantosa definição de avó!

Definição de Avó
Artigo redigido por uma menina de 9 anos e publicado no Jornal do Cartaxo.
Uma delícia!

'Uma Avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros. As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali. Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas nem as lagartas. Nunca dizem 'Despacha-te!'. Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos. Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior. As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes. Quando nos contam historias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes.

As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo. Não são tão fracas como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós. Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó, sobretudo se não tiver Televisão'.

(Enviado por email)

domingo, 11 de maio de 2008

As novas tecnologias também falham...

Horas de trabalho. Meu e de outrem. Na hora H, nada!
Realizou-se hoje um encontro com os pais das crianças da Profissão de Fé e da 1ª Comunhão. Tinha-o preparado com o apoio das novas tecnologias. Textos, músicas, pontos de reflexão e partilha, assim ordenados:
- Matrimónio, nunca um egoísmo a dois, mas um amor oferecido;
-Educação dos filhos. A anti-educação e a educação para os valores. Partindo da experiência humana e da iluminação bíblica.
- Família, um desafio a ir mais longe e mais largo.
- A importância do domingo na vida da família cristã.
- Informações referentes às 2 festas das crianças.
Ao fim de cada fase do encontro, havia uma música acompanhada da projecção do respectivo clips. O trabalho que me deu a procura de tais músicas!
Uma pessoa cuidou da visualização de todo o material. Tudo a postes. Vai-se a saber a projecção não arranca! E olhem que quem estava a lidar com um assunto não era nenhum amador…

A reunião fez-se na mesma, claro, mas senti-me defraudado. Tanto trabalhinho! Apeteceu-me
a pegar numa marra e castigar o computador e o projector. Então funcionaram ambos tão bem nas missas e agora a negarem-se!
Claro que os pais compreenderam e tudo correu bem.

Ao subir para Santa Helena para a Eucaristia, pensei como é perigoso endeusar as novas tecnologias. Elas não têm pejo em nos deixarem descalços na hora em que precisamos.
O povo tem razão: “Adorar só a Deus que é bom Senhor!”

Uma boa semana. Que o Espírito de Deus lhe aqueça o coração, seduzindo para a esperança.

Quando o vento soprar

video

sábado, 10 de maio de 2008

Vangelis

video

Vem, Espírito Santo!


Vem, Espírito Santo! Convence-nos do pecado e livra-nos da ilusão e da tentação de sermos salvos, pelas próprias mãos! Sê-nos favorável na clemência, recria no coração a inocência, que nos abre à esperança em que fomos salvos!

Vem, Espírito Santo! Vem em auxílio da nossa fraqueza e livra-nos da desilusão, do desencanto e do desespero! Abranda durezas para os caminhantes, anima os tristes, guia os errantes, na companhia dos santos, quais «estrelas» no caminho da nossa esperança»!

Vem, Espírito Santo! Conquista, incessantemente, a nossa liberdade frágil para o bem, para a beleza e para a verdade! Benfeitor supremo em todo o momento, sê o alento, sê o guarda e animador da nossa esperança!

Vem, Espírito Santo! Pelo teu poder criador, faz-nos colaboradores audazes da revolução do amor! Acende, na terra, a luz fulgente daquela esperança, que atrai o Céu à terra e a Terra ao céu!

Vem, Espírito Santo! Faz-nos perseverar na esperança da vida eterna! Concede a quem que em Ti confia, transbordar de esperança nesta vida, sentir o teu amparo consolador na morte, e no Céu encontrar a plena alegria!

sexta-feira, 9 de maio de 2008

O FC Porto vai perder seis pontos

A Comissão Disciplinar da Liga teve mão pesada nas sentenças do "Apito Final"!
- O Boavista foi mesmo punido com a descida de divisão.
- O FC Porto vai perder seis pontos e Pinto da Costa foi suspenso por dois anos.

Depois de divulgadas as decisões relativas ao "Apito Final", Pinto da Costa anuncia, em conferência de imprensa, que «o FC Porto não vai recorrer da perda de seis pontos». No entanto, o líder dos "dragões" afirma que, «como cidadão», vai avançar com o recurso da pena de suspensão.

Li e ouvi bastante sobre a situação. Vi um comentário com o qual me identifico e que passo a transcrever, pois acho que a honra e a dignidade das instituições tem de ser preservada. As pessoas passam, as instituições permanecem.

"Depois da inacreditável decisão de não recorrer de um castigo que é imposto ao clube por corrupção, só posso dizer que o nome do clube fica para sempre manchado por dirigentes sem quaisquer princípios! Por isso, e mesmo que queiram dizer que a decisão de não recorrer é meramente táctica, eu acho que gente desta, capaz de deixar arrastar na lama o nome do clube não merece estar a dirigi-lo! Muito mais importante que os seis pontos é a mancha que fica por se aceitar um castigo por corrupção que o mesmo é dizer que se aceitam os motivos que o causam! Por mim, preferia claramente ter, se fosse caso disso, de iniciar o próximo campeonato com seis pontos negativos! Talvez até servisse para ter mais interesse! Não posso aceitar, de forma nenhuma, que o Presidente do Clube, a pessoa eleita para ser o mais empenhado e o maior garante do engrandecimento do FC Porto, permita que o nome glorioso do clube seja assim arrastado na lama cá como no estrangeiro! E por isso só posso dizer uma coisa: DEMITA-SE!"
dragao13, comentário postado in Relvado

Domingo: Solenidade do Pentecostes

video


. O Prometido é devido. Mas o Dom foi afinal muito maior que o esperado. A Promessa do Pai (Act.1,5) excede todas as expectativas. E se não entra pela porta, fura pela janela, espreita pelas grades, corre por alguma fissura. Porque este Espírito é como um rio de água viva (Jo.7,38-39), imparável na sua força, imprevisível no seu caminho. O Dom de Cristo Ressuscitado, o Espírito Santo, rompe todos os muros e fronteiras. Porque preenche todo o Universo e não se deixa aprisionar dentro de quatro paredes (Jo.20,19). É o Espírito Santo. O grande Dom, o fruto maduro da Páscoa de Cristo. Ele mexe e remexe, vira e tudo revira, como um vento impetuoso (Act.2,2). Porque é um Espírito dinâmico, Criador de vida nova. Ele ilumina, aquece e incendeia os corações, como o fogo (Act.2,3). Porque é o Espírito do Amor, do Pai e do Filho.

. Quando o homem fica «embriagado» (Act.2,13) deste Espírito, acontece-lhe algo incrível: ama com o mesmo amor de Deus. Já não precisa que ninguém lho ensine, nem tão pouco de uma lei que o oriente. Torna-se livre, no amor. Porque o Espírito é a Lei nova (Rom.8). É o coração novo, é a vida de Deus que, quando entra no Homem, o transforma. Quando possuiu o mundo, o Espírito recria-o.

. Eis-nos na plenitude da Páscoa, a celebrar o Pentecostes, a festa do grande Dom, que liberta os discípulos do medo e faz deles testemunhas audazes do Evangelho. É o Espírito Santo que lhes abre as portas do mundo, e os envia em missão. Doravante, o Pai e o Filho, na sua troca de amor, chegam até nós, beijam-nos, pelo Espírito Santo. Ele se torna então o hóspede (Rom.8,9) que nos habita, a voz íntima do amor, que nos solta os lábios para a oração e para o louvor. Ele é o Senhor que dá Vida à vida do Homem, do mundo e da Igreja...

Surra nas esposas

video

Há uma diferença grande entre estas "pregações" islamitas e as "pregações" dos padres cristãos. Acham os leitores possível um discurso destes feito em alguma igreja cristã?

http://vejaparacrer.blogspot.com/

Muitas vezes, me pergunto onde andam as feministas ocidentais. No ocidente, tão ciosas na defesa da mulher; no que toca à solidariedade com outras mulheres humilhadas por esse mundo fora, silêncio...

Até já encontrei casos que me deixaram a pensar. Mulheres que aqui levam aos píncaros a luta por aquilo a que chamam a emancipação das mulheres, revelam depois uma estranha simpatia pela mundivalência muçulmana. Vá lá a gente entender... Onde está a coerência??? Para não falar já em solidariedade, fraternidade e justiça.