terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Proteste elege marca de automóveis mais fiável

A Dacia, marca de baixo custo romena que é propriedade da Renault, é o construtor automóvel mais fiável do mercado, segundo um estudo publicado pela associação de consumidores Deco, na revista Proteste de Fevereiro.

«A Dacia prova que é possível construir carros fiáveis a baixo preço, ao conquistar o primeiro lugar da classificação», diz a Deco.

Logo a seguir à Dacia surgem a Honda, a Kia e a Toyota. Esta última liderou diversos estudos anteriores.
O índice de fiabilidade da Deco utilizou resultados ponderados de relatórios sobre avarias, a idade e os quilómetros percorridos pelos veículos, não penalizando os mais antigos e os que cumprem maiores distâncias do que a média.

Fonte: aqui

Está de volta “el comandante”

O médio argentino Lucho Gonzalez volta ao ao Futebol Clube do Porto.
Lucho González, de 31 anos, foi “dragão” de 2005 a 2009, tendo-se transferido na altura para o Marselha a troco de 18 milhões sujeitos a um prémio por objetivos até mais cinco milhões.
Foi um dos atletas que mais me custou ver partir do meu Porto, por isso, estou agora contente por ele regressar.
“El comandante”, verdadeiro líder. Sempre apreciei o seu profissionalismo, o seu espírito de liderança, a sua classe futebolística, a sua postura enquanto pessoa.
Um  Porto perdido em campo, sem soluções, cansado, lento, sem qualquer ambição e vontade de ganhar, como ontem se viu em Barcelos.  Faltou voz de comando, alguém que levasse a equipa às costas. Lucho pode ser essa voz.
Vitor Pereira, sempre o disse, não me parece treinador para o Porto. Precisamos assim de um comandante que, dentro do campo, supra a insuficiência do treinador, arraste e galvanize a equipa.

Não percebo algumas saídas. De campeões. Fredy Guarín, Belluschi, Fucile, que no último ano tão bem jogaram e tantas alegrias deram aos simpatizantes.
É bem verdade. Um fraco rei faz fraca a forte gente!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

domingo, 29 de janeiro de 2012

Acolhendo os paroquianos, acolhendo o senhor Bispo



No fim das Eucaristias de sábado e de domingo, convidei as pessoas  que quisessem para uma visita guiada ao Centro Paroquial - parte em fase de conclusão.
Fui o guia. Expliquei, respondi às perguntas, ouvi a opinião das pessoas. Senti que ficaram agradadas com o que observaram.
Tive a oportunidade de explicar no terreno o que se pretende com o 3º bloco que faltar edificar, procurando que todos compreendêssemos que não podemos esmorecer, temos que terminar o que começámos. E tal só se consegue com todos e cada um.







(
Na tarde de hoje, estive em Lamego, na tomada de posse do nosso novo Bispo, D. António Couto. Gostei mesmo muito!
Pode ver AQUI uma reportagem sobre a tomada de posse de D. António e a sua notável homilia.
Não perca!
(foto: Kymagem)

Balada da Neve



Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.


É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho…


Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.


Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria…
Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!


Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Passa gente e, quando passa,
os passos imprime e traça
na brancura do caminho…


Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avança,
e noto, por entre os mais,
os traços miniaturais
duns pezitos de criança…


E descalcinhos, doridos…
a neve deixa inda vê-los,
primeiro, bem definidos,
depois, em sulcos compridos,
porque não podia erguê-los!…


Que quem já é pecador
sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!…
Porque padecem assim?!…


E uma infinita tristeza,
uma funda turbação
entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
e cai no meu coração.

Augusto Gil

sábado, 28 de janeiro de 2012

Galinhas felizes

Há quem perca a casa por causa da crise, mas as galinhas europeias têm que ter um ninho, um poleiro e terra para esgravatar e desgastar as unhas.
A decadência da Europa está aí, à vista de todos e com problemas sem fim: crise financeira, endividamento das famílias, insolvências, desemprego, fome.
Há famílias que perdem a sua casa por causa das dívidas. É grande a desorientação sobre as prioridades, há muita confusão sobre os valores da família e educação... Já para não falar na solidão e desespero de tantos, nos idosos que morrem abandonados, nos rostos tristes ou apreensivos de muitos que se cruzam connosco, no desencanto que nos espera no próximo futuro.
Mas a razão destas minhas palavras sobre a decadência da Europa não tem a ver com o que disse até agora, porque problemas sempre os haverá. Tem, sim, a ver com a maneira como as nossas instituições, nomeadamente, ao nível europeu, enfrentam tudo isto.
Então não é que ontem mesmo a Comissão Europeia ameaçou multar Portugal por não cumprir uma directiva com indicações fundamentais para galinhas felizes?! Sim: a Europa quer galinhas poedeiras felizes e quem não lhes der um espaço com 750 cm2, uma cama, um ninho, um poleiro e terra para esgravatar e desgastar as unhas será multado...
Auro Miguel, aqui

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

“A EDUCAÇÃO É COISA DO CORAÇÃO E SÓ DEUS É O SEU DONO" (São João Bosco)


“Pais e professores lúcidos sabem que não podem voltar a espancar os mais novos, mas por vezes hesitam no caminho a seguir, deixando instalar a permissividade e o caos, como acontece em muitas casas e em tantas escolas. A pedagogia da submissão acabou, mas a pedagogia da liberdade organizada, tem ainda de fazer o seu caminho. Os adultos que educam ou ensinam, por vezes esquecem como o afeto e a exigência são as armas fundamentais a utilizar junto dos mais novos. Ser exigente sem afeto é introduzir a frieza das regras e dos castigos, onde deveria estar o amor e a compreensão. Ser afectuoso sem exigir, é acolher sem limites e impedir a autonomia e a resistência à frustração. A verdade é que a autoridade, face às crianças, tem de partir de uma base segura de entendimento, onde o mais novo, sinta confiança no mais velho e este esteja disponível para a viagem conjunta que é a construção de uma relação. Os pais com autoridade, sem autoritarismo, são calorosos com os seus filhos e educam com firmeza para a responsabilidade, pois não ignoram que o mais importante é ligar a disciplina ao ensino e ao autocontrolo da criança. Nunca ao medo do castigo, ou ao fantasma da retaliação. Por isso, a educação tem de se preocupar com a formação do caráter dos mais novos, para além do esforço exigido com a melhor aprendizagem dos conteúdos.” - Daniel Sampaio

A autoridade "é mais do que um poder”
“A autoridade do «mestre» em educação, passa mais pelo que ele vive e faz e não só pelo que diz. Educar, como processo de conduzir e alimentar, não é substituir-se ao educando: é caminhar com ele. Nesse caminho comum, os modelos e a palavra testemunhada pela vida têm lugar relevante, mesmo insubstituível” - Bispos Portugueses, numa Nota sobre a Educação

“Crê o que lês, ensina o que crês, vive o que ensinas
“Na tradição cristã, o testemunho faz parte essencial do anúncio: o ser é o processo mais eficaz e o suporte didáctico mais autêntico do aprender a ser. Por isso se aplica a todo o educador cristão, esta máxima de vida: “crê o que lês, ensina o que crês, vive o que ensinas(Pontifical da Ordenação de Diácono)”. Esta, e não outra, é a verdadeira força da autoridade do educador cristão, que bem sabe que “a educação é coisa do coração e que só Deus é o seu dono!”

Uma nova doutrina e com tal autoridade!
Jesus surpreende, não tanto pelo que ensina, mas pelo modo como ensina: «porque os ensinava com autoridade e não como os escribas» (Mc.1,22). O que está em causa, não é a matéria de ensino; é sobretudo a viva «impressão» que a pessoa de Jesus, causa nos seus interlocutores! A sua autoridade não lhe vem da idade, nem do curso superior, nem do voto do povo, nem de um lugar de poder! Vem-lhe, afinal, de dentro, vem-lhe da coerência do seu testemunho: Ele diz e faz. Ele faz o que diz. A sua Palavra é eficaz e os seus gestos falam por si! Sem dúvida, “o testemunho da vida é a forma simples e espontânea de irradiar valores e a credencial das palavras que se comunicam”
Com base nisto

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Akiane, Menina prodígio

NÃO DEIXE DE VER ESTE VÍDEO
AQUI 

O QUE É DEMAIS É MOLÉSTIA!

É nos jornais, nas revistas, nas rádios, nos blogues, no fecebook... Então nos emails são às toneladas as piadas de todo o tipo e feitio.

Já chega de piadas e piadinhas sobre o Cavaco e as suas reformas...
 Os bêbados é que estão sempre a falar no mesmo...
Não teremos mais nada com que não nos distraiamos???
E para a ironia... haja inovação.
No início, compreendia-se e até tinha piada. Até eu tentei fazer uma inofensiva ironia. Mas continuar  a chover no molhado, enjoa!
Não acham?
 
Onde é que está a mesma resma de piadas em relação a algumas pessoas da TV, a gestores, etc, que ganham bem mais do que o Presidente?
 
Até a história de estarem a recolher bens para o Presidente não tem piada nenhuma, já que há gente que agradecia esses mesmos bens. Ao invés de ajudarem quem precisa...não!andamos a passar tempo e a gastar meios com tristes ironias!!
 
Embora seja um direito democrático, DISCORDO da petição enviada à Assembleia da República, tendo em vista a destituição do Presidente. Há limites para a falta de senso e para o caricato!

Bem-aventurados os que semeiam a alegria!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Governo pretende mexer em quase metade das freguesias

Mais de 1.000 freguesias devem ser extintas. Para o Executivo, a redução é um elemento-chave da reforma autárquica.

No novo mapa autárquico, que será apresentado em Julho, devem desaparecer entre 1.300 e 1.500 freguesias. Entre fusões e extinções, as mudanças vão implicar mexidas em praticamente metade das freguesias do continente: 2.000 das 4.260 que actualmente existem.

Nas zonas urbanas, a discussão vai mais adiantada, como é o caso de Lisboa, que já tinha avançado com a reorganização, e do Porto, que deve ficar reduzido a seis freguesias. É nas zonas rurais que deve ser mais complicado o processo.

Para o Executivo, a redução das freguesias é um elemento-chave da reforma autárquica, sobretudo pelo sinal que irá dar. É também o ponto desta reforma que parece de mais difícil acordo com o PS, que tem defendido que só deve haver fusões voluntárias.

Apesar de a redução das freguesias ser a questão mais discutida da reforma autárquica, o ponto mais difícil será a nova lei de finanças locais. O Governo conseguiu um adiamento por parte da “troika” e pode apresentar a proposta só em Junho, para estar aprovada até ao fim do ano. Antes, já em Março, deve concluir o processo legislativo do sector empresarial local e a redução dos cargos dirigentes.

Fonte: aqui

"Só lhe falta dormir no Centro Paroquial!"

- Só lhe falta dormir no Centro Paroquial! – dizia-me hoje uma pessoa na sacristia antes da Eucaristia.
Gosto de lá ir, sobretudo nos momentos em que não é preciso que lá vá. Então deambulo por aquele espaço, sinto a mudança operada, pois ainda há ano e meio aquilo era um montão de ruínas, experimento a gratidão às pessoas que têm colaborado, aprecio a poupança feita ao longo dos anos pela Fábrica da Igreja e que agora tão importante tem sido. Muitas vezes se ouvia: “Para que quer a Igreja o dinheiro!?” Pois, a resposta está ali, naquela obra que é para a comunidade.
Mas sobretudo imagino a alegria das crianças, jovens e adultos a quem o Centro Paroquial vai oferecer condições para trabalhar.
Não é fácil como o amigo leitor facilmente entenderá. A escassez de meios, a procura de melhores soluções, o estender a mão constantemente a estes e àqueles, o esforço continuado por unir e congregar opiniões e esforços, a morosidade e a burocracia no tocante a alguns serviços (EDP, PT…), os contactos com empresas, a análise das melhores propostas, enfim, um mundo de preocupações.
Mas há um momento que me alivia e me fortalece. Quando em cada sábado, na Eucaristia com crianças, olho para aqueles rostitos, é cá um recobrar de energias, meu Deus! Por eles vale a pena todo o esforço, todas as noites mal dormidas, todo o sonho.

Depois, porque é o que falta que mais me mobiliza, imagino o 3º corpo do Centro Paroquial que ainda não existe. Sei o que se pretende, mas sei igualmente as dificuldades económicas que nos esperam. Terei brevemente um encontro com o sr Arquitecto para se estudarem e ultrapassarem dificuldades que o contexto da obra e o terreno levantam ao projecto. Não queremos de modo algum perder a dinâmica, pois contamos com a ajuda de Deus que nunca falta, a boa vontade das pessoas de bem desta paróquia (presentes e emigrantes) e dos amigos desta terra. E temos o empurrão amigo e invencível do sorriso das crianças.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Cada ex-presidente da República custa 300 mil ano

Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio custam, cada um, cerca de 300 mil euros aos cofres públicos.

Quando deixar Belém, Cavaco terá direito a gabinete com secretária, a viatura com motorista e combustível
Quando daqui a quatro anos deixar a Presidência da República, Cavaco Silva não deverá poder juntar uma subvenção política às pensões de dez mil euros brutos que agora recebe, mas vai ter direito a um gabinete com secretária e assessor da sua confiança, a um carro com motorista e combustível para serviço pessoal e ajudas de custo para as deslocações oficiais fora da área de residência.
Estes são direitos que a lei dá aos antigos chefes do Estado e que pesam um milhão de euros no orçamento do Palácio de Belém. Feitas as contas, Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio custam, cada um, cerca de 300 mil euros aos cofres públicos.
Fonte: aqui

Cavaco e as pensões
O Presidente da República esclareceu hoje à Lusa que, com as declarações que proferiu sobre as suas pensões, apenas quis ilustrar que acompanha a situação dos portugueses que atravessam dificuldades, não tendo sido seu propósito eximir-se dos sacrifícios.
Veja aqui

domingo, 22 de janeiro de 2012

Ajude-me a ajudar as pessoas


 
 
Olá!

Sou o vosso amigo, o
Centro Paroquial Tarouca.
As minhas 1ª e 2ª fases estão em acabamentos finais.
Preciso tanto de um coração amigo que seja generoso para comigo!
Eu sei que os tempos estão difíceis, mas é nas horas difíceis que se...
vê o que valem os amigos!

SE...
... é desta paróquia, residente nela ou fora dela,
... é amigo desta terra e destas gentes,
... se gosta de crianças, jovens, casais e idosos,
... se tem um coração generoso e solidário,

... então lembre-se de mim! Ajude-me nesta hora.
Fale de mim aos seus conhecidos, amigos e familiares.
Ajude-me a ajudar as pessoas.

Muito obrigado.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Pensões de miséria

Das duas, uma: ou Aníbal Cavaco Silva teve um lapso de lucidez, ou decidiu expor da forma mais despudorada e obscena o enorme desprezo e falta de respeito que tem pelos seus concidadãos.

Vamos, pois, aos factos. Abordado ontem por jornalistas no Porto sobre o facto de, enquanto reformado do Banco de Portugal, receber subsídio de férias e de Natal, o Presidente da República decidiu embaraçar-se primeiro e responder depois.

Disse Cavaco, cito de cor, que os 1300 euros mensais (líquidos?) que recebe da Caixa Geral de Aposentações, para a qual descontou mais de 40 anos, "ouviu bem? 1300 euros", sublinhou, "quase de certeza não vão dar para pagar as minhas despesas".

Antes de mais, a pergunta era ao pensionista do Banco de Portugal e não ao reformado da Caixa Geral de Aposentações, como, num exercício de "chico espertice" tipicamente lusitano, o Presidente da República quis deliberadamente conduzir a resposta, omitindo aquilo que, nem duas horas depois, lhe caiu em cima: a declaração de rendimentos entregue a 14 de dezembro de 2010 no Tribunal Constitucional, aquando da sua recandidatura à Presidência da República, em que publicita como é de lei os euro140 601,81 auferidos anualmente em pensões.

Mas, ultrapassado este pormenor, atenhamo-nos ao essencial. Num país em que o número de desempregados ultrapassa os 600 mil, em que o salário médio líquido não chega aos 800 euros, em que o número de pensionistas que recebem abaixo do ordenado mínimo nacional ultrapassa o milhão de portugueses, é no mínimo aviltante ouvir um Presidente da República dizer que os 1300 euros mensais - mesmo que esta seja apenas uma pequena parte do bolo total legitimamente auferido - que recebe da Caixa Geral de Aposentações - "ouviu bem? 1300 euros" - "quase de certeza não vão dar para pagar as minhas despesas".

E mesmo que fosse total e não parcial a paupérrima soma de 1300 euros mensais de que se queixa Cavaco Silva, olhemos substantivamente para a realidade. Foi na campanha eleitoral das últimas eleições presidenciais que, interpelado por uma pensionista de Penafiel, o candidato deu o exemplo de Maria, sua mulher, cuja reforma "não chega aos 800 euros". Não querendo de maneira alguma intrometer-me na vida privada do cidadão Aníbal Cavaco Silva, é licito fazer as contas, parciais é certo, e perguntar: quantos casais de reformados em Portugal se podem dar ao luxo de viver com 2000 euros (líquidos?) por mês? Aliás, em abono do rigor, neste caso estamos a falar de mais de dez mil euros mensais.

É certo que Cavaco Silva abdicou do salário de Presidente da República, optando por uma espécie de trabalho pro bono em Belém e pelo pagamento das pensões que, somadas, são superiores ao ordenado presidencial. Porém, fê-lo não para dar o exemplo mas porque a lei passou a impedi-lo de acumular pensões públicas com a remuneração do desempenho de funções no Estado. Esta alteração legal deu-se pelas circunstâncias difíceis em que o País já então se encontrava. Mas Cavaco Silva, como político profissional que é, soube capitalizar a seu favor esta mudança e, para a opinião pública, passou a imagem de que a abdicação tinha sido voluntária. Tudo seria mais claro se, sem perder o direito futuro às pensões para as quais descontou, tivesse optado pela sua suspensão e por receber o ordenado da função que atualmente desempenha.

A um Presidente da República exige-se sempre, mas sobretudo no contexto social que atravessamos, seriedade intelectual, sentido da responsabilidade, capacidade de liderança, de mobilização e de dar o exemplo, e sensibilidade social. Queixar-se em público desta forma, ainda para mais omitindo voluntariamente parte da verdade, é insultuoso para todo um país em dificuldades.

Ainda bem que, em democracia, podemos escrutinar os rendimentos dos titulares de cargos públicos. Ainda bem que, apesar de ele não o ter dito, temos acesso ao total das remunerações auferidas pelo cidadão Aníbal Cavaco Silva. Não por despeito, cobiça ou qualquer espécie de voyeurismo barato. Apenas porque não há nada de pior no ser humano do que o miserabilismo.
NUNO SARAIVA, aqui

ÀS VEZES VALIA MAIS ESTAR CALADO...


O Presidente da República, Cavaco Silva, disse esta sexta-feira no Porto que aquilo que vai receber como reforma "quase de certeza que não vai chegar para pagar" as suas despesas, valendo-lhe as poupanças que fez, com a mulher, ao longo da vida.

Na altura, Cavaco Silva, que não aufere vencimento como Presidente da República, referiu ainda que irá receber 1.300 euros por mês da Caixa Geral de Aposentações e um montante que disse desconhecer do Fundo de Pensões do Banco de Portugal.  

Em finais de Janeiro de 2011, depois da aprovação da legislação que pôs termo à acumulação de pensões com vencimentos do Estado, Cavaco prescindiu do seu vencimento de Presidente da República, no valor de 6.523 euros (brutos).
 
Segundo foi noticiado na altura, o Presidente da República acumula duas pensões, a de professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e a de reformado do Banco de Portugal, que totalizavam, antes dos cortes nas pensões de reforma, cerca de 10 mil euros mensais (brutos).
Fonte: aqui

Os portugueses que têm dificuldades em pagar as suas despesas, são os que recebem uma pensão de 600 euros e perderam agora o 13.º e o 14.º mês.
São estes portugueses que contam cêntimo a cêntimo para chegarem ao fim do mês e conseguirem sobreviver.
Por isso fiquei surpreso quando ouvi o Presidente "falar das suas dificuldades".

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

A falsa questão do ecumenismo português

Estamos na semana da oração pela unidade dos cristãos. Ao catolicismo português isto pouco diz, porque as confissões protestantes e ortodoxas, em Portugal, quase sempre eram e são formadas por ex-católicos ou então por imigrantes: os ingleses anglicanos do Vinho do Porto, os alemães luteranos da Linha e de um ou outro sítio onde havia minas de volfrâmio e agora os ucranianos ortodoxos um pouco por todo o país.

Verdadeiro ecumenismo não é necessário. Podemos não nos darmos com o vizinho do lado, mas tanto ele como eu, mais ou menos crentes, mais ou menos ateus, somos católicos. Para mais, por muito que digam, o verdadeiro ecumenismo é uma questão de cúpulas, não de povo. O povo dá-se bem. Se as cúpulas quisessem, a união fazia-se. Uma questão das hierarquias.

Mariano Perrón, delegado de Ecumenismo da Arquidiocese de Madrid, diz isso mesmo: "Las diferencias entre cristianos las establecen las jerarquías eclesiásticas más que los mismos fieles" (aqui).

Por outro lada cá da minha base, bem junto ao chão, é com tristeza que vejo que há mais aproximação real aos ortodoxos do que aos luteranos, calvinistas (presbiterianos) e metodistas, com quem tanto aprendemos como católicos. E em relação aos anglicanos, há mais aproximação aos anglicanos em dissensão com o anglicanismo do que ao anglicanismo moderado. Num Concílio Vaticano III, se não regressarmos a Trento e ao dogmatismo, voltaremos a aprender com as tendências moderadas das atuais igrejas reformadas.
Fonte: aqui

Barrigas de aluguer: discussão hoje no Parlamento

1. Os projetos do PS e do PSD, que, em linhas gerais, permitem o recurso a maternidade de substituição em caso de infertilidade da mulher casada, não foram votados hoje no Parlamento, ao contrário do que sucedeu com os do Bloco de Esquerda e da JS que foram chumbados. Os dois diplomas do PSD e PS foram remetidos à comissão sem aprovação na generalidade. As bancadas da maioria evitaram assim dividir-se, já que o CDS estava disposto a votar contra os diplomas dos sociais-democratas e dos socialistas.
In Expresso
2. O Parlamento chumbou as propostas do Bloco de Esquerda e da Juventude Socialista para alargar os beneficiários das técnicas de procriação medicamente assistida a mulheres solteiras e a casais homossexuais.
As direções das bancadas de CDS, PSD, PS e PCP votaram contra ambas as propostas, mas a maioria dos deputados do PS não acompanhou o sentido de voto. Também houve divisões no PSD e no CDS.
In Diário de Notícias

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Aprovadas novas regras do subsídio de desemprego

O Governo aprovou hoje, em Conselho de Ministros, as novas regras para o acesso ao subsídio de desemprego.   

O ministro Pedro Mota Soares anunciou hoje, na habitual conferência de imprensa posterior ao Conselho de Ministros, que o Governo aprovou as novas regras para o subsídio de desemprego que vão entrar em breve em vigor.

O responsável da tutela destacou a medida que prevê uma majoração para as famílias em que ambos os membros do casal estão em situação de desemprego, sempre que estes tenham filhos a cargo ou quando se trata de uma família monoparental.

O ministro Pedro Mota Soares realçou ainda que estas medidas só se vão aplicar aos futuros desempregados, ou seja, que os trabalhadores agora no activo não perdem direitos.

Este documento prevê ainda que os trabalhadores mais jovens tenham uma redução do prazo de garantia, isto é, para acederem ao subsídio de desemprego têm que ter 12 meses de descontos e não 15 como até agora.

Outro dos destaques do ministro foi a criação do subsídio de desemprego para trabalhadores que passem 80% dos recibos verdes a uma entidade.

fonte: aqui

"A ingratidão não me apresiona"!

Conheço-a há muitos anos. Encontrámo-nos na semana passada. Sempre a conheci naquele estilo de vida, vivendo para os outros, sem campainhas, alarmes, primeiras páginas, homenagens ou louvores públicos. A discrição  marca a sua maneira de estar no mundo.
E quando alguém lhe tece um louvor ou sussurra um agradecimento, não esconde o incómodo como se isso representasse um corte de asa... Assim, interrompe de imediato:
- Deixa lá isso... Estás bem? Conseguiste? Isso é que me interessa...

Falava comigo sobre a vida, dizendo que a melhor gratidão era sentir que havia tentado ajudar, mesmo quando os resultados não eram palpáveis.
- Sabe? Eu não sei se a discrição em mim é virtude ou defesa. É certo que por temperamento e por convicção, não gosto de elogios e dessas coisas assim. Mas às vezes dou comigo a pensar se não será uma maneira de me proteger contra a ingratidão para que esta não me aprisione. Há muita gente que tem as melhores intenções, faz, dedica-se, mas surgem as incompreensões e as ingratidões e ... desiste, como se as reacções desfavoráveis dos outros lhe tivessem cortado as asas e os sonhos.

Penso eu que mesmo que seja como "defesa", já é uma virtude. Não querer sentir-se prisioneira da ingratidão para manter as asas do serviço é de pessoa livre e, como tal, "faz o bem sem saber a quem".

A ingratidão machuca muito mais quem a pratica do que quem a recebe, suja e denigre muito mais quem a pratica do que quem a recebe.
Por isso, amigo leitor (a) que nenhuma forma de ingratidão ou de irreconhecimento lhe corte as asas...

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Investimento milionário em Várzea da Serra?

Veja AQUI

Para fora ou para dentro?

"Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, desespera."

De 18 a 25 de Janeiro: Semana de Oração para a Unidade dos Cristãos


Semana de Oração para a Unidade dos Cristãos.  O tema comum será: "Todos seremos transformados pela vitória de nosso Senhor Jesus Cristo", baseado na carta do apóstolo S. Paulo em 1 Cor. 15:51-58.

É na Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos que todos, quer sejam protestantes, ortodoxos ou católicos, se unem numa Oração comum, com mais intensidade de fé e de esperança, a fim de darem cumprimento ao apelo de Jesus Cristo: "Que todos sejam Um, Pai, como Eu e Tu somos UM!".

Veja AQUI a entrevista concedida à agência ecclesia por  D. António Couto, presidente da Comissão Episcopal da Missão e Nova Evangelização, que engloba a área do ecumenismo.



terça-feira, 17 de janeiro de 2012

O mais importante raramente se vê...

Admira-se um fato ou um vestido, exalta-se o criador daquele modelo ou estilo. Mas esquece-se quem pacientemente o elaborou.
Admira-se um edifício, exalta-se o arquitecto que o planeou, mas esquece-se quem o foi construindo e quem abnegadamente lutou - tantas vezes para além do possível - para que tal edifício surgisse.
Admiram-se as notas de um aluno, mas esquecem-se as horas de trabalho, de consumição, de renúncia que tais resultados exigiram.
Admira-se tanta gente que honestamente singrou na vida. Mas esquece-se a dedicação, o empenho, a ousadia, a aposta, o trabalho que o seu triunfo exigiu.
Admiram-se os filhos deste ou daquele casal, mas esquece-se o seu esmero educativo, a aposta continuada na formação dos filhos, o testemunho que lhes deram, o família que são, a exigência amorosa e sistemática que imprimem à educação.

Tantas e tantas vezes que o trabalho em favor dos outros que tira o sono, que envolve responsabilidade, que exige dedicação e persistência, que obriga a "andar de mão estendida" não é reconhecido nem apoiado!?
Tantas e tantas vezes que as pessoas que trabalham sem dar nas vistas, que vivem a face escondida, exigente e tormentosa, são até expostas, incompreendidas e alvo de calúnias?
E quando as pessoas trabalham generosa, gratuita e aguerridamente por causas  que nada têm a ver consigo mesmas mas com os outros, então a ingratidão, a falta de apoio e de interesse são monstruosas e definem quem as pratica.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Video simplesmente BELO....

http://www.youtube.com/embed/MOKseXu8FOs

Concertação social

Governo abandona proposta da meia hora, acordo está próximo.

Veja aqui

A crise, segundo Albert Einstein

"Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fizermos o mesmo. A crise é a melhor bênção que pode acontecer com as pessoas e os países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as estratégias grandes. Quem supera a crise, supera-se a si mesmo, sem ficar "superado".

Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais aos problemas do que às soluções.
A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as saídas e as soluções fáceis.
Sem crise não há desafios; sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um.
Falar da crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo. No lugar disso, trabalhemos intensamente. Acabemos de uma vez por todas com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la."

Albert Einstein 
(Enviado por email)

domingo, 15 de janeiro de 2012

Administradores do Banco de Portugal abdicam dos subsídios

Veja aqui

A vida e a morte, a morte e a vida

Vítimas da estrada
A cada dia que passou, no ano passado, morreram duas pessoas nas estradas. Foram 690 as vítimas mortais, menos de metade do registado há uma década e um nível que não era atingido desde os anos 60. Também os feridos graves caíram a pique.

Mártires em 2011
Vinte e seis missionários da Igreja Católica morreram neste ano em todo o mundo, sendo 15 apenas no continente americano, segundo a agência católica Fides. No total, foram mortos 18 sacerdotes, quatro religiosos e quatro laicos.

Os jovens e a crise


Tive ocasião de estar nesta época de Natal com diversos jovens que optaram por sair do país por via da crise que Portugal atravessa. Houve quem me dissesse que não pensava regressar, por que tinha encontrado boas condições no estrangeiro, e quem estava à espera que a crise passasse para voltar.

É uma pena que tantos milhares de jovens com cursos superiores tenham de sair do país. Estou de acordo com o que António Pinto Leite disse ao Jornal I: «O petróleo português é esta geração de jovens formados nos últimos 15 a 20 anos nas nossas universidades e que estão a emigrar aos milhares para o estrangeiro.

Precisamos de criar condições para que regressem ao país. São pessoas altamente empreendedoras e, pelo facto de terem vivido no estrangeiro, são pessoas com outra mentalidade. É a nossa maior riqueza. Devíamos todos em conjunto conspirar para atrair de novo para Portugal esta geração dourada de emigrantes».

Comparo a saída destes jovens à venda a estrangeiros das nossas melhores empresas. Mas o dinheiro é preciso e já ninguém nos empresta se não tiver a certeza de que um dia irá receber. Que esta crise faça arrepiar caminho a todos os que têm sobre os seus ombros a tarefa de governar o país. Gastar mais do que se produz leva à ruina. E como muitos têm dito, desde o 25 de Abril, Portugal viveu acima das suas posses.

Um país é em ponto grande o que é uma família. Se ela gasta mais do que recebe, em breve tem tudo penhorado e fica na miséria.

Oxalá os nossos jovens que não encontram cá condições de vida não desistam e estejam dispostos a procurar uma vida melhor seja onde for. Felizmente a Europa tem desde há uns anos fronteiras abertas para os europeus. E pode ser que daqui a meia dúzia de anos as coisas estejam diferentes em Portugal.
In O Amigo do Povo 

Crise: Emigrantes portugueses na Suíça pedem alimentação e dormida nas missões católicas

Desemprego aumenta e salários baixam na Europa mas a emigração continua...

Veja aqui

sábado, 14 de janeiro de 2012

A verdade nua e crua

«Não me lembro de um único primeiro-ministro que não tenha prometido não empregar a sua clientela, como não conheço nenhum primeiro-ministro que não acabasse por a empregar». - Vasco Pulido Valente

É DE ARREPIAR...Cuidado com as Chaves!

video

Santas Casas da Misericórdia da Diocese homenageiam D. Jacinto





Depois de ter participado na manhã de 13 de Janeiro na reunião do Conselho de Arciprestes (aqui), participei na Eucaristia que teve lugar na Sé de Lamego, presidida por D. Jacinto. Seguiu-se depois uma sessão solene e o jantar na Santa Casa da Misericórdia de Tarouca.
Motivo? Homenagem a D. Jacinto, prestes a deixar a responsabilidade máxima da diocese.

Por iniciativa da Santa Casa da Misericórdia de Tarouca a que aderiram as Misericórdias da diocese (só duas não se fizeram representar por motivos válidos), foi feita uma homenagem ao Administrador Apostólico. Entre outras personalidades, marcaram presença o presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Dr Manuel Lemos, os presidentes das Câmaras de Lamego e Tarouca, o presidente da Junta de Tarouca, os capelães das várias Misericórdias, outros sacerdotes (do arciprestado tarouquense  estiveram 5 padres).
Na homilia da  Eucaristia, animada liturgicamente por um grupo constituído para o efeito, D. Jacinto, partindo das leituras, frisou o papel das Misericórdias, exortando-as a um serviço eficaz da caridade, onde a competência técnica seja inseparável do amor.
Na sessão solene, realizada nas instalações da Santa Casa de Tarouca, usaram da palavra o anfitrião e dinamizador desta iniciativa, provedor Lucílio Teixeira, os provedores das Misericórdias de Vila Nova de Foz Côa e de Lamego, o presidente da Câmara de Tarouca, o presidente das União das Misericórdias e o senhor Bispo. Todos manifestaram a sua gratidão ao pastor diocesano, enalteceram a sua fé, humanidade e serviço pastoral, formularam votos de longa vida e saúde para continuar a dar apoio nos caminhos da caridade, serviço aos outros e anúncio do Evangelho.
D. Jacinto agradeceu, comovido, à Santa Casa de Tarouca pela iniciativa e às outras Santas Casas pela adesão clara. Disse que não se considerava digno de tão altos elogios, porque ciente das suas limitações.
Quer a União das Misericórdias quer as Misericórdias da diocese ofereceram ao prelado prendas em reconhecimento pelo trabalho realizado e pela maneira como soube acolher e trabalhar com as Misericórdias.
Seguiu-se o jantar no refeitório da Santa Casa, belamente confeccionado e servido pelos funcionários da instituição, como é hábito.
Parabéns à Santa Casa tarouquense pela iniciativa. Parabéns às Misericórdias da diocese que prontamente alinharam na mesma iniciativa. Parabéns a todos os presentes pela presença, trabalho e postura.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Basta um empurrãozinho

video

Banco de Portugal vai pagar subsídios de Natal e férias aos trabalhadores

Veja aqui

Sem comentários...

Programas Desportivas nas televisões portuguesas


Refiro apenas estes:

Prolongamento
TVI24
2ª feira
Um programa apresentado por Joaquim Sousa Martins e com um painel composto por Eduardo Barroso, pelo Sporting, Fernando Seara, pelo Benfica, e Manuel Serrão, pelo FC Porto.
 

TRIO D´ATAQUE
RTPN
3ªfeira
Rui Oliveira e Costa ( Sporting)  Miguel Guedes (Porto) e Júlio Machado Vaz (Benfica) num programa de debate desportivo, moderado por Hugo Gilberto .


  O Dia Seguinte
SIC Notícias
2ª feira
José Guilherme Aguiar (Porto), Dias Ferreira (Sporting) e Rui Gomes da Silva (Benfica), tendo como moderador Paulo Garcia

Costumo ver no todo ou em parte estes programas. Às vezes as ocupações, outras vezes o sono (a tv com facilidade me põe a dormir...).
Pessoalmente prefiro o da RTPN. Sobretudo pela serenidade de análise, pela boa disposição e onde os representantes dos clubes despem mais o fato clubista e procuram apresentar maior objectividade analítica. Rui Oliveira e Costa, Miguel Guedes e Júlio Machado Vaz estão nesta linha.
Prefiro os programas onde os representantes dos clubes não tenham medo de pôr o dedo na ferida e sejam capazes de apresentar os seus pontos de vista, mesmo que discordantes da oficialidade do seu clube, desde que o façam fundamentada e equilibradamente.
Também me divirto com o programa da TVI24. Sobretudo com Eduardo Barroso e Manuel Serrão. Pelo exacerbar dos seus sentimentos clubistas que os levam a falar mais alto e ao humor. Fernando Seara parece-me o mais sereno e mais independente, embora às vezes muito misterioso ("sei, mas não digo").
O que menos aprecio é o programa da SIC Notícias. Penso que é o que terá o melhor moderador, mas os intervenientes, mormente José Guilherme Aguiar e Rui Gomes da Silva falam de mais (José Aguiar abusa mesmo). O fato clubista tem aqui excesso de peso e ressoa alguma falta de objectividade. Por outro lado, escasseia no programa análise ao jogo, aos jogadores, às tácticas e técnicas e superabunda a análise aos árbitros e às questões estruturais e teóricas.
Enfim, embora com uma estrutura parecida, cada um dos programas tem a sua especificidade e, como tal, irá ao encontro de diversas sensibilidades.
Dos três representantes do meu clube, aquele onde melhor me sinto representado é em Miguel Guedes. Por razões expostas...

«Só um deputado» do Parlamento é do Opus Dei, diz responsável da prelatura

Imbecilidade política

"Aos amigos tudo, aos inimigos nada; e a quem não é nem amigo nem inimigo faz-se cumprir a lei".

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

A Maçonaria e as sociedades secretas

"Bom, face a tudo isto vimos repudiar tudo o que sejam sociedades secretas em qualquer domínio da sociedade e a Igreja Católica como instituição para as denunciar a sério devia, a meu ver, assumir a transparência a todos os níveis como o valor principal da sua acção e não permitir no seu interior nenhuma sociedade secreta, por mais religiosa que se queira fazer."

Leia aqui todo o post, centrado num assunto bem actual e muito discutido na comunicação social.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Políticos assim, precisam-se...

Veja aqui

TUDO NUMA SÓ "PÁGINA"!

Muito útil.

Tudo numa só "página" (clica em cima da palavra daqui)
Clicar na palavra " DAQUI " que está abaixo; depois é só clicar no site que pretender
DE MUITA UTILIDADE


Isso mesmo; daqui vai-se a todo o lado.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Pep Guardiola foi eleito o melhor treinador do Mundo em 2011

O treinador catalão do Barcelona superou José Mourinho e Alex Ferguson e sucede ao técnico português como o melhor do Mundo para a FIFA.

Pep Guardiola é o ‘novo’ Melhor Treinador do Mundo. O técnico catalão venceu as maiores provas com o Barcelona (Liga espanhola, Supertaça espanhola, Liga dos Campeões, Supertaça europeia e Mundial de Clubes), perdendo apenas a Taça do Rei para o Real Madrid.
Aos 40 anos, Pep Guardiola vê reconhecido o seu trabalho no Barcelona, equipa que treina desde 2008/2009 e com a qual já venceu 13 competições, duas delas Ligas dos Campeões.

Messi conquista Bola de Ouro/2011
Lionel Messi foi eleito esta segunda-feira o melhor jogador do Mundo em 2011, depois de ter conquistado o prémio Bola de Ouro, numa iniciativa organizada pela FIFA em conjunto com a revista “France Football”.
O craque argentino do Barcelona conquistou o troféu pela terceira vez, à semelhança de Platini, Cruyff e Van Basten, tendo-o feito de forma consecutiva (2009, 2010 e 2011), algo que só o ex-internacional francês e atual presidente da UEFA conseguiu, entre 1983 e 1985.
Messi superou, com 47,88 por cento dos votos, o português Cristiano Ronaldo (Real Madrid), que terminou com 21,6 por cento, e Xavi, seu companheiro no Barcelona, que se quedou pelos 9,23 por cento.
Temporada em cheio
Messi, de 24 anos, dificilmente poderia desejar um ano mais positivo, tanto a nível coletivo como individual. O astro argentino foi decisivo na conquista dos cinco títulos do Barcelona (Liga espanhola, Liga dos Campeões, Supertaça espanhola, Supertaça europeia e Mundial de Clubes), graças aos seus 55 golos em 57 jogos pelos catalães.
Incluindo as partidas ao serviço da seleção argentina, os números sobem para 59 golos em 70 encontros, para além de 37 assistências.
In Record

Cravinho: Maçons devem identificar-se "por iniciativa própria"

O ex-ministro das Obras Públicas do PS, João Cravinho, afirmou esta segunda-feira que os maçons com responsabilidades públicas devem assumi-lo perante os cidadãos.

Questionado pelos jornalistas à saída do Tribunal de Monsanto sobre as polémicas em torno das ligações da maçonaria à política - em especial o elevado número de deputados que integram a loja Mozart 49, com ligações aos serviços secretos - João Cravinho mostrou-se favorável à publicidade de tal escolha.
"Os maçons que estão em cargos públicos devem identificar-se por iniciativa própria", sublinhou.
João Cravinho revelou ainda que está filiado na Maçonaria, apesar de ter participado em poucas sessões nos últimos 15 anos.

Fonte: aqui

domingo, 8 de janeiro de 2012

Tão pouco tempo de governo e tantas promessas eleitorais não cumpridas!

Embora um líder político, que se candidata a primeiro ministro, tenha clara obrigação de conhecer o ponto em que se encontra o país, ainda se pode admitir que, dadas as situações imprevistas e o contexto internacional, certas promessas não possam ser de imediato cumpridas e até tenham que ser retocadas. Passas Coelho prometeu não subir impostos e subiu-os; prometeu não mexer no 13º mês e subsídio de férias e mexeu, etc.
Agora há decisões completamente incompreensíveis face a promessas da campanha eleitoral durante a qual Passos Coelho prometeu acabar com as nomeações políticas.
O «Diário de Notícias» noticiou este domingo que Eduardo Catroga, Celeste Cardona Paulo Teixeira Pinto, Rocha Vieira, Braga de Macedo e Ilídio Pinho são alguns dos nomes propostos à Assembleia Geral de Accionistas para integrar o Conselho de Supervisão da EDP. Nestes nomes que vieram a público é evidente a identificação com os dois partidos do governo, com o PSD e com o CDS.
Há tempos, coisa parecida havia acontecido em relação à Caixa Geral de Depósitos.
No consulado Sócrates, toda a gente denuncia os "Jobs for the Boys". Passos veio ao encontro do justo sentir popular e prometeu, esclareceu, denunciou. Até prometeu legislar sobre este assunto, embora a posterior lei não tenha sido tão isenta quanto o desejável, uma vez que lá ficou assinalado o critério governamental como decisivo na nomeação.
Está-se agora a ver onde foram parar as promessas! Depois não gostam que o povo diga que "os políticos são todos iguais" e o que querem "é poleiro"...
Sem falar aqui nas promessas ainda não cumpridas referentes à segurança e de pessoas e bens e à actividade agrícola de que já falei num post recente.

Na noite de hoje a comunicação social deu a conhecer duas realidades contrastantes. Trabalhadores de um empresa manifestavam-se, muitos chorando, pedindo que lhes fossem pagos os ordenados em atraso, pois a sua situação estava a tornar-se insuportável. A outra situação era a informação de que não pára de subir o número de reformados com "reformas milionárias".
Mas há lugar neste momento e neste país para alguém receber uma "reforma milionária"? Isto é social e eticamente um erro tremendo! No Portugal de hoje, não existem condições para alguém usufruir uma reforma para além dos dois mil euros.
Com casos de desemprego galopante,  de fome, de miséria, de desespero; com uma classe média afogada em impostos e esvaziada de meios, como pode ser compreensível a existência de tantos casos de reformas milionárias?
E será esta uma reforma assim ( limites nas pensões) tão difícil de fazer?

Comissões para as Procissões da Quaresma/Semana Santa

VEJA AQUI

sábado, 7 de janeiro de 2012

Idosos de Tarouca celebraram Dia de Reis na discoteca local

Duas centenas de idosos de Tarouca foram celebrar o dia de Reis na discoteca local. Para a grande maioria, foi a primeira experiência num recinto do género e a verdade é que foram muitos os que mostraram que estão em forma.

Veja AQUI o vídeo.

SOBRE OS MAGOS

Se nos ativermos aos textos bíblicos, deparamos com uma grande parcimónia.
Fala-se de magos (no sentido de sábios), mas nada se diz quanto ao seu número nem se referem os seus nomes.
Diz-se que eram três por causa das prendas que levaram: ouro, incenso e mirra.
Curiosamente, há uma tradição que fala de um quarto que teria levado ao Menino um livro de sabedoria.
É também pela via tradicional que se alvitra a proveniência: Baltasar seria da Arábia, Gaspar da Índia e Melchior da Pérsia.
O seu túmulo encontra-se na Catedral de Colónia, mas não há certeza quanto à sua autenticidade.
Fonte: aqui

Os Magos representam a humanidade de coração puro e de olhar puro que, agora e de perto, sabe ler os sinais de Deus, sejam eles a estrela que desponta ou o sonho, uma e outro indicadores de caminhos novos, insuspeitados.

Nada Temo

Nada temo,
Porque Deus está comigo,
Sei que Cristo é meu amigo,
E nada me faltará.

Diante das dificuldades
A minh'alma engrandece,
Tudo posso Naquele que me fortalece.

Por onde que eu vá,
Conto com meu Senhor.
Bem maior é seu amor,
Do que o mau a enfrentar.
Fiz de Jesus o meu escudo,
E o que era nada hoje é Tudo,
Pela fé, firme de pé,
Sigo os caminhos meus
Nas mãos de Deus.

Tarouca: Água, saneamento e tarifas de disponibilidade sobem em 2012 (com comparativo)

Veja aqui.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

NÃO TER CUSTA MUITO, DEIXAR DE TER O QUE JÁ SE TINHA CUSTA (muito) MAIS

A situação é difícil para o Estado. Mas está a tornar-se dramática para muitas pessoas.
Os sinais de desespero estão a multiplicar-se exponencialmente.
Se os salários baixam, as despesas também têm de baixar. Elementar.
O problema é com as despesas que não podem deixar de ser feitas: alimentação ou saúde.
É uma dor grande não poder comprar o que é preciso.
Mas é uma dor maior não poder pagar o que já se possui.
Há quem viva numa casa sabendo, nesta altura, que, provavelmente, vai ficar sem ela!
Se o dinheiro não entra, as pessoas terão de sair.
Só pergunto: isto será humano?
Fonte: aqui

Portugal à venda


Acompanhe aqui

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Parabéns pelos teus 81 anos!

Parabéns, pai!
Os teus filhos e netos que vivem nesta zona estiveram presentes e festejaram, agradecidos, o teu aniversário. Os que estão longe marcaram presença de outra forma. Todos agradecidos pelo pai e pelo avô que és.
Apesar de algumas limitações físicas, continuas imbatível no que concerne à história. És um reportório vivo, com uma memória geográfica impressionante. O pormenor, a data, o colorido, o dramático ou feliz da história local permanecem vivos e palpitantes nesse excelente "computador" de 81 anos!
Nunca te conheci outra paixão ou outro "vício" a não ser a tua família. Para ela vives com frescura sempre renovada.
Por tudo e por tanto, o meu obrigado.

Câmara de Tarouca leva idosos à discoteca

(Dia 6 de Janeiro, 15h30, Discoteca “Via Láctea” – Sernancelhe)


No âmbito do Projecto Rejuvenescer Tarouca, a música e a dança serão as personagens principais de um episódio diferente no dia a dia dos cerca de 200 idosos que irão assinalar o Dia de Reis com uma ida à discoteca.
Para a maioria dos idosos este será o primeiro contacto com o ambiente dos locais de diversão nocturna, equipamentos que não existiam, ou que eram raros, aquando a sua juventude.
A Câmara Municipal de Tarouca pretende, assim, valorizar a população sénior, proporcionando momentos de convívio, divertimento e alegria aos idosos, contrariando os momentos de isolamento que vivem no seu quotidiano.
Esta iniciativa enquadra-se num conjunto de várias organizadas durante o ano para esta faixa etária e, neste caso, a Câmara decidiu inovar levando, pela primeira vez, os idosos à discoteca.
Todos os custos serão suportados pela autarquia.
Proporcionar aos idosos do Município de Tarouca bem-estar e maior qualidade de vida é o principal objectivo do Projecto Rejuvenescer Tarouca que, desde 2007, tem registado uma crescente adesão da população sénior e merecido a mais cuidada atenção por parte da Câmara Municipal de Tarouca.
No âmbito deste projecto, semanalmente, os idosos desenvolvem actividades de educação física, animação, literacia, literacia digital e apoio psicossocial.

Gabinete de Informação, Relações Públicas e Turismo 
Tarouca, 3 de Janeiro de 2011

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

ANO BISSEXTO

O ano de 2012 é um ano bissexto. Em nosso calendário, chamado Gregoriano, os anos comuns têm 365 dias e os anos bissextos têm um dia a mais, totalizando 366 dias. Esta informação praticamente todo mundo sabe, mas o entendimento sobre o funcionamento dos anos bissextos ainda é recheado de dúvidas na cabeça de muita gente. Você saberia dizer quais são os anos bissextos?
Os anos bissextos são anos com um dia a mais, tendo portanto 366 dias. O dia extra é introduzido como o dia 29 de Fevereiro, ocorrendo a cada quatro anos.
O período de um ano completa-se com uma volta da terra ao redor do sol. Como instrumentos de uso prático os calendários adotam uma quantidade exata de dias para o período de um ano: 365 dias. Mas na realidade a terra leva aproximadamente 365 dias e 6 horas para completar uma volta ao redor do sol.

Portanto, um calendário fixo de 365 dias apresenta um erro de aproximadamente 6 horas por ano, equivalente a 1 dia a cada quatro anos ou 1 mês a cada 120 anos. Um erro como esse tem sérias implicações nas sociedades, principalmente nas atividades que dependem de um conhecimento preciso das estaçõesdo ano, como a agricultura.
Para diminuir esse erro, foi adotado o ano bissexto, acrescentando-se 1 dia acada quatro anos. Foi adotado pela primeira vez no Egito, em 238 AC. O calendário Juliano, introduzido em 45 AC, adotou a regra de que todo ano divisível por quatro era bissexto. Mas mesmo com essa regra ainda existia um erro de aproximadamente 1 dia a cada 128 anos . No final do século XVI foi introduzido o calendário Gregoriano, usado até hoje na maioria dos países, adotando as seguintes regras:
1- Todo ano divisível por 4 é bissexto
2- Todo ano divisível por 100 não é ano bissexto
3- Mas se o ano for também divisível por 400 é ano bissexto
Essas regras foram introduzidas para reduzir ainda mais o erro no calendário.
O ano 2000 foi o primeiro a usar a terceira regra.
Fonte: aqui