quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Há 40 anos!



15 de agosto de 1989. Sé de Lamego, 11 horas. O Avelino, o José Manuel e eu fomos ordenados sacerdotes por D. António de Castro Xavier Monteiro, então Arcebispo-Bispo de Lamego.
Faz  40 anos. Destes, 28 como pároco da Paróquia de São Pedro de Tarouca.
Perpassam hoje por mim os sentimentos, emoções, sonhos, generosidade, entusiasmo dessa primeira hora.

 A vida foi retirando forças e causando mazelas na saúde, sem esmorecer o entusiasmo.
A vida é sonho, porque tenho saudades do futuro.
A vida é generosidade, porque esta vence sempre as cicatrizes e os calos que a realidade vai semeando.
Emociono-me ainda perante o olhar de uma criança, a lição de vida e de fé que recebo de um doente, a felicidade dos nubentes, a generosidade dos jovens, a sabedoria dos anciãos, a a vivência da fé por parte da comunidade.
E sobretudo Cristo. Cada vez mais convencido que só ELE vale totalmente a pena.

Preocupam-me o restauro interior da Igreja Paroquial de Tarouca e da Casa paroquial, a construção da Capela do Castanheiro do Ouro. Preocupações que não me largam de  noite e de dia...
Preocupam-me tantos casais que vivem como se Deus não existisse...É que a fé nasce e cresce ao colo da mãe com o exemplo do pai.
Preocupam-me tantas crianças e jovens para quem Deus não conta...
Preocupa-me a solidão de tantos velhinhos e doentes...
Preocupam-me os divórcios e os filhos como grandes vítimas da situação...
Preocupa-me a falta de emprego local que leva tantos jovens para fora sem perspectivas de voltarem...
Preocupa-me uma Igreja que, em vez de ser uma comunidade viva, dinâmica, com garra apostólica, se fica no ritualismo, no clericalismo, no tradicionalismo...
Preocupa-me a situação de tanta gente em situação difícil, porque não tem trabalho, ou não quer trabalhar, ou usufrui ordenados baixos...
Preocupam-me as notícias diárias: guerras, perseguições, mortes, refugiados, fome, miséria,  pouco respeito pela vida, desvalorização da dignidade da pessoa humana, corrupção, violência doméstica, fundamentalismos, falsidade nas relações entre as pessoas, tráfego de pessoas...

Mas quero que Cristo morto e ressuscitado seja o esteio da minha vida, a garantia  que a esperança não engana, a certeza de que o mal não terá a última palavra.

Senhor meu e meu Deus, que a tua providência me envolva, a tua misericórdia desça abundante sobre mim, a tua luz derreta a escuridão do pecado e dos limites.

Senhor que o teu amor se derrame abundante e generosamente sobre esta comunidade, os meus familiares, amigos e sobre aqueles que não gostam tanto de mim.

Com Maria e por Maria, querida Mãe, todo teu, meu Senhor e meu Deus!

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Obrigado, amigos! Muito obrigado.

Em 13 de agosto, dia de aniversário natalício,  um Bem-Haja do fundo do coração a todas as pessoas - paroquianos, familiares a e amigos - que, de uma forma ou de outra, tiveram uma palavra amiga para comigo.
Porque era dia de aniversário, quis celebrar a Eucaristia numa Capela Mariana. Nesse sentido, desloquei-me ao templo de Nossa Senhora das Necessidades onde presidi ao terço e à Missa. Terminada a cerimónia, as pessoas presentes irrompem com o "Parabéns a Você", seguindo-se a saudação. Espontâneo, sincero e delicado, este gesto fez-me sentir familiar da família paroquial. Obrigado.
Seguidamente, terminada a Eucaristia na Capela de Santo António em Arguedeira, a assembleia, por sua iniciativa, cantou com entusiasmo os "Parabéns a Você". Depois uma pessoa em nome do povo ofereceu ao seu pároco um belíssimo quadro da Sagrada Família. Seguiu-se a saudação. Também aqui um gesto tocante e sem ser esperado. Também este gesto me fez sentir familiar da família paroquial. Obrigado.
Jantei com meu pai, irmãos, cunhados em casa da minha sobrinha mais velha e de seu filho - marido está em missão militar no estrangeiro-, porque assim a família decidiu. Uma refeição familiar e empática, como sempre. Todos os meus sobrinhos e um dos meus cunhados, que não puderam estar presentes fisicamente,  de uma forma ou de outra, marcaram presença. Obrigado pelas vossas lembranças.
Muitas pessoas, paroquianos, amigos, colegas, através do telemóvel, do messenger, email e de outras formas, ofereceram o calor da verdadeira amizade.
Obrigado pela vossa presença.
Obrigado pelas prendas.

Observação: sempre que tenho disponibilidade e procuro fazê-lo sempre que posso, através da página do Facebook do Centro Paroquial, costumo saudar os aniversariantes amigos dessa página. E são muitos.

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Agradecido a Deus pelo dom da vida

Meu Deus, sei que com muita frequência as pessoas Te procuram para pedir ajuda e bênçãos. Neste dia 13 de agosto, aniversário natalício, eu procuro-Te para agradecer! Agradeço-Te, Senhor, por todas as coisas boas e menos boas que me aconteceram na vida, pois sei que se o Deus grande colocou obstáculos em minha vida é porque confiou que eu podia ultrapassá-los e adquirir sabedoria através eles.

Ó Deus, agradeço pelas bênçãos que me tens  dado, agradeço pela minha saúde e pela saúde das pessoas que amo e sirvo, e pela proteção que recebemos diariamente da Tua Providência.
Agradeço por encontrar no meu caminho algumas portas abertas e, ainda que em momentos de revolta não entenda porque outras portas se fecharam, compreendo que Tu, Senhor, sabes o que é o melhor para mim.
  Ó Deus generoso, agradeço pelas lições que tenho aprendido ao longo de minha vida, mesmo que algumas delas me tenham trazido sofrimento. Hoje, quero ser mais humildade para aceitar os Teus desígnios e ter mais sabedoria para tentar aprender com a dor. Hoje, desejo ser uma pessoa melhor, mais compreensiva e forte. Hoje,  desejo mais maturidade para reconciliar-me com os meus erros e defeitos, e discernimento para entender as linhas que Tu, Senhor, traçaste para a minha vida.
Meu Deus, peço que continues a abençoar-me e a  proteger-me com as Tuas mãos poderosas,  agradeço por me confiares o dom da vida e comprometo-me a buscar a paz, a bondade e a felicidade!
Deus da bondade e da ternura, a Ti me confio, confiando igualmente nas pessoas boas, humildes e amigos que tornam mais esperançoso o meu caminhar.
Envolve-me, Senhor. Protege-me, Senhor. Seduz-me, Senhor!
Louvado sejas, Deus meu!
Concede-me um coração bonito parecido com  o de Jesus.
Com Maria e por Maria Te entrego a minha vida.

Portugal tem necessidade de trabalhadores estrangeiros

Image result for trabalhadores imigrantes em portugal
Nesta Semana de Migrações, vejamos:
1. São cada vez mais as empresas do sector têxtil que estão a recrutar trabalhadores no estrangeiro, dada a falta de mão-de-obra em Portugal -  aqui.
Acrescente-se que as exportações no sector têxtil estão a crescer consecutivamente há 11 anos!
2. Na agricultura então a necessidade de mão de obra estrangeira é evidente. Basta ver o que se passa no Alentejo, nas grandes quintas vinhateiras e noutras zonas em que é precisa muita mão-de-obra. Por norma os portugueses não querem esta atividade. Daí a urgência de recorrer a trabalhadores estrangeiros.
São conhecidos os progressos que se têm registado no sector e como este é importante para a economia nacional.
3. Construção Covil. A escassez de mão-de-obra é o principal problema - aqui.
4. O secretário de Estado João Correia Neves considera que a falta de mão-de-obra é "transversal". Falta mão-de-obra “em praticamente todos os setores e em todas as regiões…


Daqui se conclui:
-  Portugal precisa de especializar a sua mão-de-obra. Mão de obra especializada em qualquer área é valorizada, melhor remunerada e muito solicitada.
- Alguém me dizia há dias que só está "desempregado quem quer". Há trabalho. E é pessoa profundamente conhecedora da situação…
- Precisamos de trabalhadores estrangeiros. Muito. Para que a economia se desenvolva e o bem-estar social aumente e se consolide.
- A dignidade da pessoa humana é inegociável.  "Precisamos de ver no migrante a sua dignidade de ser pessoa, com os mesmos direitos e deveres que os autóctones, e até inicialmente de ser acolhido e não devolvido ao país de origem, de ser protegido e não apenas socorrido, de ser promovido em vez de abandonado à sua sorte, de ser integrado na sociedade e não empurrado para guetos (…).  Os países que assim procedem são enriquecidos em todas as dimensões, como podemos constatar com os países desenvolvidos, embora haja sempre aspetos a ser melhorados."
(Comissão Episcopal da Pastoral da Mobilidade Humana)

domingo, 11 de agosto de 2019

Faz bem sem olhar a quem...

É da experiência de cada um. A ingratidão magoa mesmo!!!
Mas nenhuma ingratidão pode roubar a liberdade de amar.
In Internet

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

De 11 a 18 de agosto de 2019: SEMANA NACIONAL DE MIGRAÇÕES

Não São Apenas Migrantes
Somos todos migrantes e muito mais
O mundo atual está marcado pela mobilidade, mas isso não é novidade para o cristão, que sempre foi considerado um peregrino a caminho da terra prometida. Conscientes desta condição, há muitos comportamentos a corrigir na nossa relação. Por isso o Papa e a Igreja alertam-nos para alguns aspetos da realidade do ser humano e das sociedades do mundo contemporâneo. Infelizmente não é apenas por causa da sua condição de ser peregrino, que o ser humano se desloca do torrão e do país onde nasceu. Mas também devido a guerras, a perseguições, a cataclismos e à fome. Por isso precisamos de ver no migrante a sua dignidade de ser pessoa, com os mesmos direitos e deveres que os autóctones, e até inicialmente de ser acolhido e não devolvido ao país de origem, de ser protegido e não apenas socorrido, de ser promovido em vez de abandonado à sua sorte, de ser integrado na sociedade e não empurrado para guetos (…).  Os países que assim procedem são enriquecidos em todas as dimensões, como podemos constatar com os países desenvolvidos, embora haja sempre aspetos a ser melhorados.
Obra Católica Portuguesa de Migrações

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

sábado, 3 de agosto de 2019

As partilhas

As partilhas. Podem ser  momentos de sobressalto na vida das famílias e das sociedades.
Pensemos na partilha de heranças pelo falecimento dos pais, na partilha dos bens quando uma sociedade termina, na partilha de teres e haveres quando acontece um divórcio, etc
Quantas famílias que se davam bem não acabaram divididas por causa de partilhas? Quantas caras torcidas,  quantos rancores, quantos ódios até, quantas contendas em tribunal!!!
Claro que ninguém gosta de se sentir prejudicado. Claro que ninguém fica contente quando um "chico-esperto" se aproveita para deitar mão àquilo que não lhe pertence.
Más é igualmente claro que muitas vezes as zangas surgem por motivos fúteis. "Porque o meu irmão ficou com mais um metro de terreno do que eu", "porque a casa que ele herdou vale mais do que aquela que eu herdei", "porque a minha mãe já lhe tinha dado 50 euro"...
Muitas vezes quando se fazem as partilhas, todos concordam. Depois quando "se deitam sortes", alguns começam a remoer e lá surgem as questiúnculas. "porque ele ficou melhor do que eu", "não está justo", "fiquei prejudicado"... Não assino!
Há que ter bom senso e procurar a justiça sem se deixar possuir pelo justicialismo, tendo em conta que a harmonia e o bom relacionamento familiares valem imensamente mais do que um metro de terreno.
Até porque, no final, sete palmos de terra nos bastam no cemitério. E ainda é preciso que a caridade nos leve para lá para não ficarmos a cheirar mal em casa... 



sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Tempo e silêncio