quarta-feira, 5 de julho de 2017

Como surgiu a Capela de Santa Helena?


Há a lenda que anda espalhada em livros. Mas uma coisa é a lenda outra é a História.
Historicamente sei muito pouco, quase nada.  Diz a História que no séc. XVIII já havia grupos de devotos, vindos das mais diversas terras, que se dirigiam à Capela de Santa Helena como peregrinos.
Como surgiu a Capela naquele monte? Qual o motivo da sua dedicação a Santa Helena? Razão para a veneração de Maria como Senhora das Dores naquele local?
Permito-me apontar duas pistas.
A 1ª tem a ver com a Via Sacra que, partindo de Tarouca, terminava na Serra. Recordo
 que ainda há poucos anos as três cruzes, que atualmente se encontram junto do altar campal, estavam colocadas dentro da Capela.
Terá sido contruída a Capela para albergar e dar mais solenidade às cruzes?  Terá sido o templo dedicado a Santa Helena, uma vez que foi ela quem descobriu em Jerusalém a cruz do Salvador? A imagem da Senhora das Dores é então lógica, porque diz o Evangelho que junto à cruz de Jesus estava Sua Mãe...
Recordo ainda que as cruzes da Via Sacra ainda  se encontram pelo monte e que ainda não há muitos anos se fez a Via Sacra pelo monte acima.
A 2ª pista pode ter a ver com a implantação de templos no alto dos montes. O monte sempre teve um papel importante na vivência da fé bíblico-católica. Basta ver os pontes à volta, polvilhados de capelas dedicadas aos mais diversos santos, a Maria e a Cristo.
Então alguém, que tenha tido especial devoção a Santa Helena, terá aí erguido a Capela. Mais tarde, dada a ligação de Helena à cruz do Redentor, terão sido implantadas as cruzes da Via Sacra. A imagem da Senhora das Dores continua a compreender-se, dada a ligação de Maria à cruz de seu Filho. A julgar pelas imagens, a de Santa Helena é bem mais antiga do que a da Senhora das Dores, parecendo remeter para a ideia de um culto já bem posterior à Senhora das Dores naquele espaço.
Faltam dados históricos que confirmem, neguem ou aperfeiçoem as pistas que propus.
Se alguém ter esses dados, agradecemos mesmo que no-los façam chegar.

Sem comentários: