terça-feira, 23 de outubro de 2012

PENSAMENTOS SOBRE A FÉ - VI


 
FÉ E VIRTUDES TEOLOGAIS
“[A fé] é companheira de vida, que permite perceber, com um olhar sempre novo, as maravilhas que Deus realiza por nós.”
Carta apostólica Porta Fidei, nº 15

1. Fé e Esperança
Antídoto
“A fé que age na caridade é o verdadeiro antídoto contra a mentalidade niilista, que na nossa época difunde cada vez mais a sua influência no mundo.»
Angelus, 18 de novembro de 2007

Substância
“Fé é substância da esperança.”
Carta encíclica Spe Salvi, nº 10

Crise
“[…] a atual crise da fé “[…] concretamente, é sobretudo uma crise da esperança cristã.”
Carta encíclica Spe Salvi, nº 17

Âncora
“A esperança cristã, radicada numa fé sólida na palavra de Cristo, é a âncora de salvação que nos ajuda a superar as dificuldades aparentemente insuperáveis e nos permite entrever a luz da alegria também além da escuridão do sofrimento e da morte.”
Homilia, 16 de outubro de 2006

2.Fé e Caridade
Caminho
“A fé é um caminho de iluminação: parte da humildade de se reconhecer necessitados de salvação e chega ao encontro pessoal com Cristo, que chama a segui-lO pelo caminho do amor.”
Angelus, 29 de outubro de 2006

Sede
“Deus tem sede da nossa fé e do nosso amor.”
Angelus, 24 de fevereiro de 2008

Esperança de amor
“[…] a fé cresce quando é vivida como experiência de um amor recebido e é comunicada como experiência de graça e de alegria.”
Carta apostólica Porta Fidei, nº7

Reciprocidade
“A fé sem a caridade não dá fruto, e a caridade sem a fé seria um sentimento constantemente à mercê da dúvida. Fé e caridade reclamam-se mutuamente, de tal modo que uma consente à outra realizar o seu caminho.»
Carta apostólica Porta Fidei, nº 14

A fé do cristão
«[São Paulo] escreve na Carta aos Romanos: “Pois estamos convencidos de que é pela fé que o homem é justificado, independentemente das obras da lei” (3, 28). E também na Carta aos Gálatas: “O homem não é justificado pelas obras da Lei, mas unicamente pela fé em Jesus Cristo; por isso, também nós acreditámos em Cristo Jesus para sermos justificados pela fé em Cristo e não pelas obras da Lei; porque pelas obras da Lei nenhuma criatura será justificada” (2, 16). “Ser justificados” significa ser tornados justos, isto é, ser acolhidos pela justiça misericordiosa de Deus, e entrar em comunhão com Ele, e por conseguinte poder estabelecer uma relação muito mais autêntica com todos os nossos irmãos: e isto com base num perdão total dos nossos pecados. Pois bem, Paulo diz com muita clareza que esta condição de vida não depende das nossas eventuais boas obras, mas de uma mera graça de Deus: “Sem o merecerem, são justificados pela sua graça, em virtude da redenção realizada em Cristo Jesus” (Rm 3, 24).”
Audiência Geral, 8 de novembro de 2006

Sem comentários: