quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Visita a doentes - "Há muito tempo que não me ria com tanta vontade!"


Apesar do aperto do tempo, visitei alguns doentes neste Dia Mundial do Doente.
Como várias vezes testemunhei, um doente é sempre uma universidade onde muito se aprende sobre a vida, a sociedade, a família, o coração humano.
Tenho repetidamente solicitado às pessoas que visitam os doentes que sejam capazes de escutar, escutar, escutar. Que sejam capazes de levar uma palavra de esperança e alegria. Parece que muitos não ouvem o que se lhes pede. E continuam a carpir junto da pessoa visitada as suas dores e mágoas.
Ainda hoje um doente me comentava: "Há dias esteve cá uma pessoa, exatamente na altura em que me encontrava pior. Essa pessoa bem viu que eu não estava bem e perguntou-me de que me queixava. Mal comecei a falar, logo ela me interrompeu para desfilar o rosário das suas queixas.  Se veio cá para sobrecarregar a minha dor com as suas dores, melhor fora que não viesse. Sofrimento já eu tenho que chegue."
Pelo contrário, junto de outro doente visitado, aparece um grupinho de outros visitantes. Após os cumprimentos iniciais e um escutar da situação do doente, uma das pessoas começa com uma maroteiras e depois com umas histórias que nos fizeram rir a bom rir.
Fiquei feliz por ver o doente a rir com vontade. Aliás testemunhado pelo próprio visitado: "Há muito tempo que não me ria com tanta vontade!"
Junto de alguns doentes - onde as circunstâncias o permitiram - como na Eucaristia, rezamos a oração do Dia Mundial do Doente.
Um abraço amigo e solidário para cada doente e para os que tratam com carinho os doentes.

Sem comentários: