sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Jovens católicos exigem um pedido de desculpa por parte do Bloco de Esquerda:


O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) considera que o cartaz do Bloco de Esquerda sobre a adoção por casais do mesmo sexo “não se enquadra num respeito mútuo” e critica o “aproveitamento abusivo” da figura de Jesus Cristo.
‘Jesus também tinha dois pais’, é a frase que acompanha o cartar que o Bloco de Esquerda, divulgou esta quinta-feira, para se referir à aprovação da adoção por casais do mesmo sexo.
“Há um aproveitamento abusivo, sem sentido, da figura de Jesus Cristo. É uma analogia que não faz qualquer sentido. É abusiva e mesmo de mau gosto”, analisou o porta-voz da CEP.
À Agência ECCLESIA, o padre Manuel Barbosa destacou que a família para a Igreja “é sempre constituída por um casal, homem e mulher”.
“As convicções são diferentes não podemos dizer de outro modo”, observou.
O sacerdote defendeu o respeito pela liberdade de expressão mas observou que, neste caso, “não há o respeito mútuo” pelo outro, não só na Igreja mas “outros cristãos que seguem Jesus nas suas vidas”.
“Enquadra naturalmente no respeito pela liberdade de expressão mas não se enquadra num respeito mútuo que deveria existir porque a liberdade implica sempre uma corresponsabilidade e uma relação também com os valores essenciais da vida”, desenvolveu.
O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa assinala que está a “dar importância” a este cartaz e slogan pela utilização da figura de Jesus porque “há aspetos mais importantes, outras problemáticas” que Igreja e sociedade têm de atender.
O padre Manuel Barbosa recordou que já se lamentou que aquando da aprovação da lei da adoção por casais do mesmo sexo não tivesse existido uma “ocultação mais séria, mais demorada” das várias instituições da sociedade civil, “onde também está a Igreja”.
“Pode ser entendido também com o desviar de atenções de outros problemas mais candentes”, frisou o responsável que lamentou mais uma vez a forma “como é utilizada a figura de Jesus Cristo” e “as alusões”, sobretudo, quando a Igreja está “a viver em força” o tempo forte da Quaresma e o Ano Santo da Misericórdia.
O jornal ‘Económico’, divulga que na internet já circula uma petição pública de jovens católicos que exigem um pedido de desculpa por parte do Bloco de Esquerda: “O cartaz tem, de forma clara e inequívoca, o propósito de ofender a comunidade católica portuguesa.”
Fonte: aqui

Sem comentários: