segunda-feira, 17 de junho de 2013

D. Manuel Clemente compreende protestos dos professores mas pede que tenham em conta «todos os fatores»

Administrador apostólico do Porto deseja que o problema seja olhado «em termos de sociedade»

D. Manuel Clemente, administrador apostólico da diocese do Porto e patriarca de Lisboa disse hoje compreender a “preocupação” dos professores, mas apela “às consciências” para que o problema seja resolvido “em termos de sociedade” e do “bem comum”.
“Acompanho com muita atenção e compreendo que para muitos professores, e até para a generalidade da classe, este tempo seja um tempo de preocupação, mas temos de olhar isto em termos de sociedade e em termos de bem comum, e portanto o apelo que eu faço é às consciências”, disse D. Manuel Clemente,
O administrador apostólico do Porto fez um apelo aos professores, às organizações sindicais e às famílias para “manterem a calma, o discernimento e terem todos os fatores em conta”.
“Faço um apelo para que tenham em conta todos os fatores. Com certeza que querem ver os seus direitos defendidos, mas também os direitos das famílias, os direitos dos alunos, os direitos dos jovens que neste momento com uma ansiedade acrescida” devem ser tidos em conta, disse D. Manuel Clemente.
Os sindicatos dos professores convocaram para esta segunda-feira, primeiro dia de exames para os alunos do ensino secundário, uma greve nacional em protesto contra medidas que o governo quer impor, nomeadamente a mobilidade especial e aumento de horário de trabalho.
D. Manuel Clemente pronunciou-se sobre esta greve à margem da bênção da primeira pedra da residência para adultos e jovens com deficiência, no Porto, um novo projeto social que vai ter capacidade para acolher 17 utentes em lar e mais 30 utentes em Centro de Atividades Ocupacionais e que deverá estar concluído em 2015.
In agência ecclesia

Sem comentários: