domingo, 9 de junho de 2013

Reuniu o Arciprestado Armamar-Tarouca


O Sr. D. António José da Rocha Couto, Bispo da Diocese de Lamego procedeu à redução do número de Arciprestados que compõe a Diocese, que, de 14, passam a ser apenas 6.

Esta reconfiguração do tecido arciprestal da Diocese de Lamego ocorre para permitir que os Arciprestados que, até agora, contavam com um número muito reduzido de sacerdotes, possam permitir a sua integração em zonas pastorais mais amplas, “em ordem a possibilitar encontros mais proveitosos de estudo, programação, avaliação, oração e comunhão sacerdotal”, lê-se no Decreto episcopal datado do passado dia 08 de Dezembro.

Esta decisão é o culminar de um processo de estudo e de reflexão, que envolveu, não só os Arciprestados, mas também os vários órgãos consultivos da Diocese.

Importa salientar que a redução do número de Arciprestados corresponde à fusão de alguns deles, e não à sua supressão. Com esta medida, não se pretende eliminar Arciprestados, mas simplesmente juntá-los em áreas geograficamente maiores, permitindo que a Nova Evangelização na Diocese possa contar com mais recursos, não só pelo maior número de sacerdotes que os integram, mas também com uma maior envolvência dos leigos nos vários órgãos arciprestais.

Os novos Arciprestados que resultam desta alteração são: Armamar-Tarouca; Castro Daire-Vila Nova de Paiva; Cinfães-Resende; Lamego; Mêda-Penedono-S. João da Pesqueira-V. N. de Foz Côa; Moimenta da Beira-Sernancelhe-Tabuaço.

Para além da reorganização do Mapa Arciprestal, foram ainda aprovados pelo Sr. D. António Couto os novos Estatutos do Arciprestado, que, entre as novidades, preveem a criação, em cada um deles, de Escolas de vivência da fé, que modo a facultar a todos os cristãos adultos a formação necessária para aprofundar e amadurecer a própria fé. Uma especial referência merece, ainda, a criação, em cada Arciprestado, do Conselho Pastoral Arciprestal, onde se prevê a participação activa dos leigos na Nova Evangelização que o Sr. D. António Couto deseja realizar em toda a Diocese de Lamego.

Após o processo de consultas tendo em vista a nomeação, por parte do Sr. Bispo de Lamego, dos novos Arciprestes de cada um dos espaços agora reorganizados, foi nomeado Arcipreste de Armamar-Tarouca o P.e Artur Mergulhão. O Vice-Arcipreste é o P.e Armindo Almeida.
 
REUNIÃO
Na Casa Paroquial de São Martinho das Chãs, Paróquia de que o atual Arcipreste é Pároco, reuniram os sacerdotes que trabalham no Arciprestado de Armamar-Tarouca. Presidiu o senhor Bispo, estando igualmente presente o Vigário Geral. São 16 os sacerdotes que integram o atual Arciprestado.
Após um momento de oração, o Arcipreste, P.e Artur Mergulhão, saudou o Prelado e todos os presentes. Procedeu-se à eleição do Secretário e do Tesoureiro, bem como dos dois representantes do Arciprestado no Conselho Presbiteral. Também foi indicado por unanimidade o representante deste Arciprestado (leigo) junto do Departamento Diocesano da Pastoral Juvenil.
Foram entregues os novos Estatutos do Arciprestado para estudo individual dos mesmos e posterior análise em grupo.
A Nota Pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa merece do Arcipreste uma breve exposição. Também o Prelado se pronunciou sobre o conteúdo da mesma.
Foi igualmente abordada a reorganização das funções pastorais da Cúria Diocesana, feita pelo Senhor D. António Couto, Bispo da Diocese de Lamego.
Especial atenção mereceu do Bispo e dos presentes a Escola da Vivência da Fé, tendo sido apresentados alguns testemunhos.
Falou-se também de aspetos organizativos do novo Arciprestado e da calendarização de algumas atividades.
Foram ainda transmitidas informações do último Conselho de Arciprestes.
Encerrada a reunião, teve lugar um lanche ajantarado com que o P.e Mergulhão presenteou os presentes. Foi um bom e são momento de convívio.
Parabéns ao Arcipreste pela maneira como acolheu os colegas, preparou e orientou os trabalhos. Foi bom sentir a disponibilidade de todos os presentes em dar o seu melhor para levar em frente as novas propostas pastorais e organizativas do senhor Bispo.

Sem comentários: