quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

NÃO TER CUSTA MUITO, DEIXAR DE TER O QUE JÁ SE TINHA CUSTA (muito) MAIS

A situação é difícil para o Estado. Mas está a tornar-se dramática para muitas pessoas.
Os sinais de desespero estão a multiplicar-se exponencialmente.
Se os salários baixam, as despesas também têm de baixar. Elementar.
O problema é com as despesas que não podem deixar de ser feitas: alimentação ou saúde.
É uma dor grande não poder comprar o que é preciso.
Mas é uma dor maior não poder pagar o que já se possui.
Há quem viva numa casa sabendo, nesta altura, que, provavelmente, vai ficar sem ela!
Se o dinheiro não entra, as pessoas terão de sair.
Só pergunto: isto será humano?
Fonte: aqui

Sem comentários: