sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

A presença da Igreja nas redes sociais

O papa Francisco afirmou há tempos que considera essencial que a Igreja e os fiéis estejam presentes na internet. "A presença da Igreja na rede não é inútil. Pelo contrário, é indispensável estar presente com uma abordagem de evangelismo", disse o Papa ao receber os participantes de uma reunião do Conselho Pontifício para os Leigos, cujo tema era "Anunciar o Evangelho na era digital".
Quantos sacerdotes, religiosos e seminaristas estão nas redes sociais?
Em Portugal não se conhecem dados nesse campo. Mas na Itália há um estudo da Universidade Católica de Milão e da Universidade de Perugia, em colaboração com a WeCA (Associação de Webmaster católicos italianos).
O estudo centra-se na Itália e dele emergem dados interessantes sobre a localização e quantidade de usuários de Facebook enquanto pessoas consagradas: 20% de todos os sacerdotes e religiosos (as), bem como 59,7% dos seminaristas têm um perfil. A estatística confirma uma forte presença de consagrados na Web.

Esse estudo revela outros dados interessantes: entre o clero diocesano, somente 17,9 % têm um perfil no Facebook, enquanto que no clero religioso sobe para 20,4% (um percentual elevado em comparação com a média geral italiana). Outra diferença notável é que os religiosos homens têm uma maior presença no Facebook (20,4%) do que as religiosas (9,3%).
Um dos melhores estudos sobre sacerdotes e tecnologias da informação e da comunicação chama-se PICTURE (Priests'ICT Use in their Religious Experience). 41% dos padres em todo o mundo consideram muito positivo o facto de o uso das tecnologias digitais ter melhorado a forma como realizam a sua missão sacerdotal; 46,2% têm uma visão moderada sobre o assunto e apenas 12,2 % têm uma percepção negativa.

Fonte: aqui


Sem comentários: