quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Mais futebol e menos polémicas!


242095_galeria_sc_braga_v_fc_porto_taca_da_liga_2fg_2014_15.jpg
Em relação ao jogo Braga-Porto para a Taça da Liga, vários pensamentos me assaltaram face ao que vi do jogo, às intervenções de dirigentes e treinadores, aos muitos comentários saídos na comunicação social.


1. Quero sempre, sempre, que o FCPorto ganhe, mas ganhe de forma limpa, sem mácula. Por exemplo, a vitória em Penafiel no último jogo para o campeonato não me deixou um agradável sabor. As muitas dúvidas sobre a legalidade dos golos portistas tiraram-me prazer na vitória do meu clube.
Não posso andar a dizer que o "Benfica tem sido levado ao colo" pelas arbitragens em grande parte dos jogos que efetuou esta época e depois calar-me quando as arbitragens favorecem o Porto.


2. Os entendidos não se "entendem" quanto  aos 2 penaltis no jogo Braga-Porto. Há quem entenda terem existido, há que afirme o contrário. Igualmente não há unanimidade quanto às 2 expulsões, mormente a do Evandro. Parece-me que há unanimidade quando à dualidade de critérios, pois haveria dois atletas bracarenses que deveriam ter sido expulsos e tal não aconteceu.


3. O dirigente Antero Henriques. Um dirigente com aquele traquejo não deve ter nunca as reações que apresentou em relação ao árbitro no final do 1º tempo. Não lhe ficaram bem nem dignificaram a função.  Quando um GEO tem aquelas reações, que poderemos depois esperar dos adeptos?


3. Helton, um senhor! Uma exibição de outro mundo! Depois de tantos meses inativo por lesão e apesar dos seus 36 anos, uma exibição espantosa.
Um discurso e uma postura fora dos postes dignos de um GRANDE senhor que realmente é.
Um atleta que enobrece o clube que serve.
Parabéns, Helton!


4. Um Porto à Porto. Jogando cerca de 50 m com menos dois em campo, os azuis e brancos revelaram uma união, um espírito de sacrifício, uma entrega fantásticos! Eu vi um miúdo (Ruben) completamente extenuado, agarrado a uma perna, mas a correr. Isto é o ADN portista.  Houvesse sempre esta atitude e estaríamos à frente. Apesar das arbitragens...
E quando existe este empenho, os adeptos estão incondicionalmente com a equipa. Como se viu ontem e já hoje.


5. Penso - e sou eu a pensar - que o discurso de Pinto da Costa também foi - e muito - para dentro. Com um treinador estrangeiro acabado de chegar ao clube, com tantos jogadores que estão pela 1ª vez no Porto, Pinto da Costa aproveitou a ocasião para, emocionadamente, ressaltar e entranhar o ADN portista. Oxalá tenha conseguido.

Sem comentários: