sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

"Desigualdades" na Igreja

1,2 mil milhões de católicos no mundo
Destes:
-  24%  são europeus
- 10,7% são asiáticos
- 15,2% são africanos
- 49,4 são americanos (maior parte na América Latina)
- 0,8 % são da Oceania

Amanhã será a cerimónia formal de investidura dos 22  novos cardeais durante uma missa na Praça de S. Pedro do Vaticano, com a entrega do anel e do barrete cardinalícios. No domingo, haverá uma outra celebração de homenagem dos cardeais ao Papa.

Este consistório marca também um outro factor: a partir de agora, a maioria de cardeais que podem votar num futuro conclave (68 num total de 125) terá sido já nomeada por Bento XVI, que assim influenciará decisivamente a escolha do seu sucessor.
A partir deste consistório, a maioria dos eleitores num futuro conclave para escolha do sucessor de Bento XVI serão predominantemente europeus (67). Destes, Itália esmaga com 30 cardeais, havendo ainda seis alemães.

O continente americano, que representa praticamente metade dos católicos mundiais, tem apenas 34 cardeais eleitores ( 12 americanos e 22 latino-americanos). Metade dos europeus!
11 cardeais eleitores são africanos e 9 são asiáticos.
Uma hierarquia mais europeia e mais italiana para uma Igreja Católica que se situa cada vez mais no Sul do mundo.

Estará a Igreja a saber ler os "sinais" que o Espírito de Deus lhe envia?
A "comunhão da Igreja" não será "descomunhão" para uma maioria que não parece devidamente representada?
Ou será receio do novo que os sinais dos tempos revelam?

O colégio dos cardeais acentua ainda outro facto: a liderança da Igreja continua a ser predominantemente de anciãos, numa altura em que a média etária dos católicos baptizados e mesmo do clero é cada vez mais jovem. Depois deste consistório, quase metade (58) dos cardeais terão 75 anos ou mais. Um total de 78 entre eles nasceram na década de 30 do século XX, antes do início da II Guerra Mundial. Só oito nasceram já na década de 50, tendo os restantes nascido na década de 40.

Sem comentários: