sábado, 17 de março de 2012

A tradição coimbrã é indelével

Vieram os dois falar do seu casamento que terá lugar em Coimbra, uma vez que tanto ele como ela lá estudaram (ele ainda estuda).
Muito simpáticos, não escondiam no olhar tanto o amor que sentem um pelo outro como o sonho que os seduz.
Depois de falarmos, partilharmos e acertarmos tudo, puxaram de um livro e ofereceram-mo. Coloquei a capa neste post.
Ele disse:
- Eu sei que nunca estudou em Coimbra, terra cantada pelo fado coimbrão e com fama por todo o país. Por isso, resolvemos oferecer-lho. Se o não quiser ler, guarde-o como recordação de amizade.
Claro que li e fi-lo com interesse. Ler também é conhecer, participar, viver.
O autor fala da sua experiência como estudante de Coimbra há mais de 50 anos. Mas a tradição coimbrã é indelével. Por isso, na essência, penso que o relato possui muita actualidade.
Praxes, amores, partidas, limitações financeiras, aulas, serenatas, caloiros, fado, estudo, brincadeiras, mestres, enfim, tudo rola ao ritmo de vivências que o autor partilha connosco.
Penso que vale a pena ler esta obra.

Sem comentários: