quinta-feira, 25 de abril de 2013

Não transformemos a liberdade e a frescura de Abril em grilhões

«Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo».


Sophia de Mello Breyner Andersen.

Sem comentários: