domingo, 18 de setembro de 2011

Vida de Padre não é fácil, mas vale a pena!

Que fim-de-semana!
No sábado bem gostaria de ter estado nas celebrações do cinquentenário do Seminário Maior de Lamego, mas nem sempre podemos fazer o que gostamos, porque temos que fazer o que devemos. Além do expediente normal, presidi à celebração de um matrimónio com baptismo e tive as Eucaristias vespertinas do costume.
No domingo, além das Missas normais, subi à tarde a Santa Helena para a oração e a Eucaristia do 3º domingo do mês. Desci e participei na oração do  Grupo de Oração e Amizade.
Mas o que mais me cansou foi a necessidade de arranjar disponibilidade interior para tratar de vários casos relacionados com a pastoral, a vida dos grupos e organismos, atendendo ainda as pessoas que se me dirigiram para falar de situações pessoais. Não houve nenhuma Eucaristia ou celebração em que isto não acontecesse. E muitas destes situações não eram assim tão fáceis!
Numa das viagens do dia, pensava comigo próprio: " Não seria melhor que estes casos fossem tratados durante a semana para não tirarem serenidade interior, indispensável à vivência da Eucaristia?" E como que respondendo a mim mesmo, acrescentava: "Para mim, certamente seria bom, mas as pessoas têm a sua vida, o seu emprego, as suas preocupações... É preciso atendê-las ou abordá-las quando elas podem."
Quero dar graças a Deus. As abordagens correram bem, houve compreensão e ponderação. As pessoas com quem falei ou me falaram foram simpáticas e serenas. Um obrigado ainda ao jovem casal que simpaticamente me convidou para almoçar e em cujo ambiente familiar me sinto como em casa.

BOA SEMANA, ESPECIALMENTE PARA SI, CARO VISITANTE!

2 comentários:

Anónimo disse...

"Conhece-se o coração de um homem pelo que ele faz, e a sua sabedoria pelo que ele diz."

--------------

No deserto encontrei-me com Deus e ele me falou sobre os dois maiores erros da humanidade: a pressa ante o tempo e a lentidão ante a oportunidade.

provérvios persas

M.Oliveira disse...

Gulistan ("O Jardim de Rosas") é uma das principais obras da literatura persa.

É comumente citado como uma fonte de sabedoria. A entrada do Salão das Nações Unidas tem a seguinte inscrição tirada do Gulistan.

...Os seres humanos são parte de um todo,
Na criação de uma essência e alma.
Se um membro sofre dor,
Outros membros permanecerão inquietos.
Se você não tiver simpatia pela dor humana,
Você não pode reter o nome de humano.