sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Saudades de Villa-Boas ou apenas dois apagões?

Por afazeres pastorais, não pude ver o Porto-Benfica. Logo que me foi possível, vi resumos na TV, ouvi comentadores e declarações dos intervenientes, passei os olhos pelo que a internet oferece sobre esta partida.
Começo por dizer, e não o escrevi antes para evitar abruptas precipitações, não me entusiasma o treinador Vítor Pereira. Como muitos portistas, também o acho muito fraquinho como treinador, mesmo que até possa ganhar o campeonato. Eu bem sei que Mourinhos e Villas-Boas não aparecem aos montes...
Ainda hoje de tarde, ao telefone com um amigo portista, lhe dizia que não tinha muita esperança num bom resultado. E acrescentei: "Este ano, a não ser que haja uma mudança radical de atitude, não vamos lá..."
Depois da vergonha que foi o jogo com o Feirense, outra partida mal conseguida. Em casa, a ganhar por duas vezes e deixa-se empatar???
Pronto, não gosto deste FCP. Não me convence e tem bem melhor matéria prima que o do ano passado. A equipa está sem fio de jogo, sem agressividade, sem ideias, sem paixão...
Dir-me-ão que falta Falcão. Sem dúvida, um ponta-de-lança de outra galáxia. Que a SAD cometeu um erro tremendo quando não conseguiu substitui-lo condignamente. De acordo. Kléber é um jovem, com potencial e hoje até marcou um golo. Mas não tem a dimensão de Falcão. Pode vir a ter, mas ainda não tem.
Já se fala entre os portistas em "jesualisação" do Porto. Só de pensar nisto, arrepio-me! É que a equipa marca e defende logo fechada e nervosa, sem conectar um passe e sempre de balão para a frente.

E pronto. Pelo que me foi dado observar, o resultado parece-me justo.
Uma coisa apreciei imenso: foi FCp-SLB relativamente civilizado.

Sem comentários: