sábado, 25 de junho de 2016

A Igreja que somos

Bombeiro e porteiro de bares vai ser padre
Foi bombeiro voluntário durante seis anos, culturista, segurança e até porteiro de discotecas. Fernando Rafael Rocha - que não teve qualquer prática religiosa até que, já adulto, foi batizado - vai este domingo ser ordenado padre, aos 37 anos, na sua cidade natal, em Quarteira.
"Tive uma juventude normal, sem ligação à igreja, gostava de ginásio, festas, sair, namorar, conhecer o Mundo, e foi essa a minha vida até que algo foi despontando de forma diferente", relatou ao CM o diácono Fernando Rafael Rocha, acrescentando que aos 24 anos a namorada de então "começou a falar em casamento e em constituir família", mas ele não se "sentia capaz de corresponder ao que ela pedia".
"Comecei a refugiar-me, a procurar a solidão e a oração e a partir daí foi uma constante busca", explica Fernando Rafael Rocha. Quatro anos depois, acabaria por se batizar e entrar para o Seminário Diocesano. Para trás, deixava um período de grande dedicação à musculação e a ligação profissional à atividade da segurança, particularmente em espaços noturnos. "Fiz musculação durante anos e os meus amigos trabalhavam em bares e discotecas. Também eu cheguei a fazer umas noites na discoteca Kadoc e em alguns bares a fazer porta, mas nunca tive problemas". Além de Rocha, também José Chula, natural de Monchique, vai ser ordenado sacerdote, na igreja de São Pedro, em Quarteira, às 17h00 de domingo.
Fonte: aqui

Este ano, as vinte dioceses portuguesas vão ordenar apenas 25 sacerdotes
A crise de vocações voltou a bater à porta da Igreja Católica. Este ano, as vinte dioceses portuguesas vão ordenar apenas 25 sacerdotes, menos 15 do que no ano passado e menos dez do que a média dos últimos dez anos.
Em contraciclo está apenas a Diocese de Lisboa, que, este domingo, em cerimónia a realizar no Mosteiro dos Jerónimos presidida pelo cardeal-patriarca, D. Manuel Clemente, consagra sete novos presbíteros diocesanos e um da congregação dos Paulistas.
Este domingo há festa também nas dioceses do Algarve e de Viseu, (acrescente-se também Coimbra,  onde ordenados 3 presbíteros, NR) mas aqui com menor número de ordenações: duas e uma, respetivamente. O caso do Algarve é até o mais extraordinário, dado que é a primeira vez, na última década, que o bispo, D. Manuel Quintas, ordena dois padres.

Esta quebra nas ordenações foi generalizada, mas sentiu-se também em dioceses tradicionalmente produtivas, como Braga, que este ano não terá padres novos. No Porto, por exemplo, são três os padres a ordenar este ano.
Fonte: aqui
 
Nota: Este ano a diocese de Lamego não terá ordenações sacerdotais.

Sem comentários: