domingo, 22 de novembro de 2015

Não julgue sem saber o porquê das coisas...

Quando há uma falha ou uma alteração de horários ou de comportamentos, a tendência natural é cair em cima e julgar a pessoa.


- O médico devia estar no consultório às 9 horas. São 10 horas e ainda não apareceu.
"Pois, os médicos fazem o que querem, não têm respeito nenhum pelos doentes... Se houvesse mais médicos, veríamos se não andavam mais afinados. Assim, como há pouca oferta, eles abusam da procura..."
* Só que nesse dia o médico fora chamado de urgência para atender um doente que estava em estado muito grave.


- A esposa está desconfiada. São 20 horas e o marido ainda não apareceu.
"Pois, sempre quero ver a desculpa que me vai apresentar... Deve ter andar com outra mulher ou então ficou nos copos enquanto eu sou "uma moura de trabalho": cuidar dos filhos, da casa e das refeições. Os homens são mesmo uns irresponsáveis..."
* Só que o marido soube pelo telemóvel que, nesse dia, o sogro estava muito mal e não tinha quem o levasse ao hospital. Para não afligir a esposa, o marido resolveu não a informar da ocorrência e tomou ele conta do caso..."


- O mecânico ficou de vir buscar o carro às 11 horas para o levar para a oficina. São 12.15 horas e ainda não veio.
"Pois, hoje já não há palavra. Prometem uma coisa e não cumprem. É uma pouca vergonha! Não há respeito pelos compromissos assumidos. E o transtorno que isto causa à minha vida..."
* Só que o mecânico fora chamado a resolver um problema de um veículo que avariara na estrada e mostrava sinais de poder incendiar-se. Resolver o problema demorou mais do que aquilo que estava previsto...


- Dissera a um amigo que precisava de falar com ele e perguntou se era possível na quinta-feira ao meio da manhã. Não apareceu.
"Fica aqui uma pessoa à espera toda a manhã porque lhe pede para ser atendido e não aparece nem telefona. Na próxima, vai ter cá uma sorte!... Não vale a pena ser bom para ninguém..."
* Só que a pessoa, que até tem boa memória, confiou nela e não registou o dia e a hora. Acabou por se esquecer. Quem é que nunca teve um esquecimento?


- O padre dissera àqueles noivos que o casamento não poderia ser às 16 horas de sábado porque tinha um Missa vespertina.
" Pois, trata a s pessoas de forma distinta, sem a mesma atenção para com todos os paroquianos. À filha do Zé Trigo olha que lhe fez o casamento às 16 horas...Para uns faz tudo, para outros faz como lhe interessa... É por isso que a religião está como está."
* Pois, só que no dia do casamento da filha do Zé Trigo estava pela freguesia um sacerdote que lhe celebrou a Missa vespertina. Não fez nenhuma distinção de pessoas, as circunstâncias é que foram diferentes.


- Tinha uma saída combinada com colegas para as 6 horas da manhã. Pôs o despertador a despertar para as 5 horas. Só que, por falha, esqueceu-se de ligar a patilha do despertador. Resultado, despertador não funcionou.
"Pois, levantam-se as pessoas com as estrelas e este indivíduo atrasa tudo. É um irresponsável, com falta de sentido dos outros. Pôs-se a ver televisão pela noite fora e não acordou quando devia..."
* Quem nunca teve falhas involuntárias que atire a primeira pedra...


Olhem, amigos, Jesus tinha razão quando nos propôs: "Não julgueis e não sereis julgados."
Antes de julgar as pessoas pelos seus atos, procure saber os motivos que levaram a tais atos.
É um questão de justiça. É uma questão de inteligência.

Sem comentários: