terça-feira, 29 de setembro de 2015

FESTAS DE SÃO MIGUEL 2015


No concelho de Tarouca, tem  lugar o feriado municipal em 29 de setembro, dia de S. Miguel. Na maioria dos concelhos, o feriado municipal coincide com a festa do padroeiro da paróquia-sede. Neste caso, deveria ser São Pedro, que é o padroeiro da paróquia de Tarouca. Mas a tradição tem muita importância. E pronto, é São Miguel quem dá origem ao feriado municipal.
Não tem celebrações religiosas especiais, tirando a Eucaristia. É sobretudo uma feira, actualmente com menos gente, mas outrora muito concorrida. A Igreja estará aberta para que as pessoas possam venerar S. Miguel que, nesse dia, tem um espaço próprio.

Duas tradições culturais têm a ver com o S. Miguel: a marrã e o bazulaque. E tenho pena que, sobretudo o bazulaque, esteja a cair em desuso, já que é um prato típico tarouquense. Apelo aos tarouquenses que não deixem cair esta tradição culinária.
Apesar dos tempos serem outros, continua a haver muita gente que não dispensa uma ida às tendas para comer uma fêvera. Dizem as pessoas que aí tem especial sabor. É a tal marrã.

A marrã penso que tem a ver com o ciclo da carne. Em tempos que já lá vão, não havia a abundância que hoje há. O grande abastecimento de carne tinha a ver com a carne de porco, cujo início da matança coincidia com o ciclo das colheitas. Daí a festa e a alegria desta data. Significava a novidade da chegada da carne.
Penso também que o bazulaque tinha então a ver com os pobres. Não tinham dinheiro para comprar cabritos, cordeiros , etc. Então aproveitavam os "miúdos" destes animais que os mais ricos desperdiçavam. Nascia assim um prato popular que se tornou património de todos.

Este ano, dada a campanha para as eleições legislativas, a feira teve especial colorido. As várias forças concorrentes a  mostrarem-se.

Claro que este dia foi precedido de várias manifestações no Centro Cívico, sobretudo de índole musical. Naquele espaço, várias associações apresentavam-se e angariavam fundos. As suas barraquinhas emolduraram bem o recinto.

Realizou-se ainda o apreciado Cortejo Etnográfico, muito concorrido, não só pela presença de todas as freguesias do concelho,  como pela basta presença de público. Este cortejo foi um pedaço da nosso história que foi recriada e apresentada ao vivo.

Tiveram ainda lugar o Encontro Bandas Filarmónicas de Gouviães, Lalim e Tarouca em 20 de setembro e o “Varosa Moments”, em 19 de setembro, na Casa do paço, em Dalvares.
Também o GASPTA fez a sua feirinha na Feira de São Miguel, um apelo à solidariedade na praça pública.

Mais fotos aqui

1 comentário:

Adrian LaRoque disse...

Gostei muito do blog, o S. Miguel uma festa que eu costumava ir quando criança, saudades desse tempo.