quarta-feira, 31 de julho de 2013

Alguns dados interessantes sobre os Jovens que estão na JMJ do Rio, segundo um Inquérito realizado pelo Instituto Datafolha (1.279 participantes da JMJ, com uma margem de erro de 3%)



"- El 65 % de los jóvenes consultados defiende el uso de preservativos en las relaciones sexuales y el 55 % considera que el papa debe asumir esa posición.

- Frente a la píldora anticonceptiva, el 53 % aprueba su uso y el 44 % cree que el papa debería tener la misma postura.

En temas como la legalización del matrimonio entre personas del mismo sexo, sólo el 25 % apoya ese asunto y el 21 % es favorable a que el pontífice asuma esa defensa.

- En cuanto a la píldora del "día siguiente", que la Iglesia considera como abortiva, el 32 % la respalda y el 28 % dice que el pontífice debería adoptar esa posición.

- El 54 % rechaza que las mujeres accedan al sacerdocio y el 56 % piensa que esa debe ser la actitud del papa.

- El 64 % está a favor del celibato entre los sacerdotes y el 63 % cree que eso es lo que el pontífice debe defender, mientras que un 75 %, tanto para los propios entrevistados como para lo que según ellos debe sostener el papa, rechaza el aborto en cualquier circunstancia."

Comentário:

- Premissa: Os Jovens que vão às JMJ não são, na minha opinião, uma "amostra representativa" da Juventude Cristã, pois possuem um "status económico" acima da média, o que às vezes também lhes pode dar uma visão um bocadinho "cor de rosa" da Vida.

- Parece-me que os "Jovens do Papa" são mais liberais naquilo que lhe diz respeito a "eles próprios" - preservativo, pílola, etc. -, do que nas questões que dizem respeito a "terceiros", como seja o Celibato dos Padres...

- Interessante o facto de pouco mais de 50% se opor ao acesso da Mulher ao Sacerdócio.

- A "não-aceitação do aborto" deverá, na minha opinião, ser confrontada com a posição favorável ao uso de contraceptivos, sobretudo em Países como o Brasil, em que a esmagadora maioria da População não saberá sequer o que é "Planeamento familiar"... e existe uma elevada taxa de mortalidade infantil (que é tão criminosa, nas suas causas, como o aborto).

Os participantes das JMJ serão os Cristãos do Futuro. Ou a Igreja está consciente de como "eles/as pensam", ou o "divórcio" está garantido, mas cedo ou mais tarde.
Fonte: aqui

Sem comentários: