quinta-feira, 11 de julho de 2013

"Esqueceram-se de Mim", diz o Senhor

http://1.bp.blogspot.com/_AjZWfaShnoo/SMCMxs_04rI/AAAAAAAAAI4/E2KwW8ox76M/s400/Prociss.+com+N%C2%AA+S%C2%AA+de+F%C3%A1tima.JPG
Muitos andores, tantos que nem lembro. Anjinhos e figuras, muitos mesmo. Banda de música, cruzes, bandeiras, pálio, padre, acólitos, entidades, associações... Um longo cortejo.
Nas bermas das ruas, muita gente que comenta, fotografa, ri, acena para amigos... Uns de pé, outros sentados. Há quem beba e até quem fume. Com o calor, qualquer coisa serve de leque para refrescar o rosto. Um longo percurso, porque é assim que o povo gosta.
Na Igreja depois, já pouca gente entra. Os intervenientes, afogueados, tentam escapuli-se rapidamente para refrescar a garganta. Os assistentes debandam porque é preciso acolher os convidados em casa e saciar o "bichinho do estômago".
- Senhor, pareces triste. Que tens? - Inquiriu a criança que levara o guião mais pequenino e que fora a única que se lembrou do Senhor da festa.
- Amiguito - respondeu o Senhor - esqueceram-se de Mim nesta festa.
- OIlha que não, Senhor! Não viste tanta gente na procissão?
- Eu vi, amiguito, mas essa gente é que Me não viu.
- Como assim? - insistiu o petiz.
- Olha - continua o Senhor a quem a voz saía profunda, meiga, envolvente apesar da mágoa - esta gente não Me quis a Mim, mas o espectáculo. Fizeram da procissão um desfile qualquer. Viste que nem sequer houve respeito em alguns assistentes? Viste como eles estavam? As posições que tomaram? Os comentários que fazeram? As brincadeiras que alimentaram?
- Senhor, eu ia na procissão, concentrado em levar o guião direitinho e, para o fim, já me doíam os braços, por isso não prestei muita atenção aos comentários. Fazia o meu papel...
- Eu vi, amiguito. E reparei bem que ias vestido com dignidade. Não foste de calções como alguns. Se as pessoas reparassem no ridículo que é vestir uma opa por cima de uns calções, vestiriam umas calças ou um vestido decente antes de participar na procissão. Não é por Mim, amiguito, é por elas. Atos solenes, roiupa digna.
- Senhor, começo a perceber que tens razão...
- Pois, amiguito... E reparaste certamente que a maioria das pessoas que presenciou e participou na procissão Me abandonou quando Eu desci para estar com elas. Viste a Missa? Onde estavam os mirones da procissão? É na Eucaristia que estou realmente presente para os meus amigos. É na Eucaristia que lhes falo e os alimento. É na Eucaristia que faço com eles família.
- Senhor, eu reparei porque estive presente com meus pais que sempre me ensinaram que a parte central da festa é a Eucaristia. Nós não gostamos de deixar o nosso lugar vazio.
- Vês, amiguito? Há tanta festa dita religiosa sem Deus, sem fé... As pessoas ficam-se pelo aspeto mais folclórico.

A que festa se refere o texto? A NENHUMA em particular. Todas, de uma forma ou de outra, padecem daquilo de que se queixou o Senhor.
Cabe a cada pessoas e a todas as pessoas fazer algo para que o Senhor não se queixe.

Sem comentários: