sábado, 18 de maio de 2013

Neste Domingo, PENTECOSTES, Festa do Espírito Santo



«Falando da Igreja, disse Santo Ambrósio: “Ela é esse navio que navega, bem neste mundo, ao sopro do Espírito Santo, com as velas da Cruz do Senhor plenamente desfraldadas”» (CIC, 845). E disse o beato João Paulo II: “O Espírito é como o vento que sopra a vela da grande barca da Igreja”. Mas logo acrescentou: “Esta vela da barca da Igreja vale-se de outras inúmeras e pequenas velas, que são os corações de cada um dos batizados”. Neste sentido, cada um é desafiado a içar a própria vela, e a desfraldá-la com coragem, para permitir ao Espírito agir, em si e a partir de si, com toda a Sua força renovadora. Na medida em que cada um deixar o sopro do Espírito agir, na sua própria vida, na vela da sua própria fé, oferecerá também o melhor contributo à missão da Igreja, para que esta navegue, sem medo, nas águas agitadas da história. No meio das tempestades, que, por certo, nunca faltarão, tenhamos a confiança de que, nesta barca, está o Senhor! Esta barca da Igreja não é minha, não é nossa, não é de ninguém em exclusivo. Mas é d’Ele. Por isso, o Senhor não a deixa afundar! É Ele que a conduz.
Neste dia de Pentecostes, gostava simplesmente de vos dizer isto: “Não tenhais medo de desfraldar a vossa vela ao sopro do Espírito Santo” (João Paulo II, Discurso, 30-04.1998). Invocai-O todos os seus dias! E Ele virá, dos quatro ventos, com o seu sopro, reacender a vossa fé. E impelir a barca da Igreja, na aventura da missão!

Sem comentários: