terça-feira, 22 de maio de 2012

Assassinado a tiro enquanto andava de bicicleta

“Mas as crianças, Senhor,
por que lhes dais tanta dor?!...
Por que padecem assim?!..."

Iqbal Masih, Paquistanês, é considerado o símbolo mundial da luta contra a exploração nfantil. Nascido no início da década de 80, com quatro anos foi vendido pelo pai a um fabricante de apetes, que o torturava e escravizava, chegando a trabalhar preso por cadeado a um tear, mais de doze horas por dia. O motivo da venda do filho foi, simplesmente, terem de pagar uma dívida que a família havia contraído.

Muitas tentativas de fuga foram desencadeadas pela criança, sem sucesso e cada vez com mais represálias por consequência, até que, aos 10 anos conseguiu evadir-se num acto de coragem, ousadia e esperança.

Com o apoio do sindicato Bhatta Mazdoor Mahaz conseguiu denunciar a situação alertando para o facto de muitas crianças continuarem lá presas e escravizadas.

Desencadeou-se, então, uma série de denúncias sobre os abusos contra as crianças paquistanesas, chegando a ter sido convidado para visitar a Suécia, Estados Unidos e o Mundo, o que o tornou num verdadeiro líder infantil.

Em 16 de Abril de 1995 foi assassinado a tiro pela máfia de fabricantes de tapetes de seu país, enquanto andava de bicicleta com um amigo.

Os seus assassinos ainda não foram capturados, mas é sabido que o crime foi silenciado pela “máfia do tapete”, cujos lucros ele ousou ameaçar.

O governo paquistanês, que tem continuamente ignorado a Convenção das Nações Unidas sobre Trabalho Infantil, não tomou qualquer medida nesse sentido, e não fez qualquer tentativa para encontrar os assassinos.

Esta realidade abalou o mundo e Iqbal recebeu o prémio “Crianças do Mundo" que é dado aos que lutam pelos Direitos das Crianças.

Nos Estados Unidos recebeu o prémio Reebok, uma multinacional que utilizava mão-de-obra infantil no Paquistão e, no ano de 2000, a sua irmã Sobia recebeu o prémio em nome de Iqbal Masih, pelas mãos da Rainha Sílvia da Suécia.

Iqbal Masih foi a primeira e a mais nova criança a receber o prémio da liberdade para a erradicação do trabalho infantil forçado, e o júri decidiu que este seria dado sempre com o seu nome.

A sua coragem fez história, o seu legado continua vivo. Hoje iqbal é o símbolo do combate a um mal que está longe de ser extinto em alguns continentes do mundo e o dia 16 de Abril foi destacado como o “Dia Internacional contra a Escravatura Infantil’

Maria Susana Mexia, in Jornal da Beira

Sem comentários: