quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

86 anos


Foto de Carlos Lopes.
Em 4 de janeiro, celebrou o 86º aniversário. Os filhos que estão mais perto marcaram presença, assim como noras, genros e alguns netos. Também esteve presente o saltariquento do bisneto, quatro anos. Quando nos encontramos, a música é sempre a mesma. Eu a entoar "Portooooooooooooooooooto". O petiz a responder a plenos pulmões "Benfiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiica!"
Encontrei o aniversariante feliz, sempre preocupado com o bem dos familiares, mancando e cirandando. O seu grande problema são de facto as pernas.
De resto está bastante bem. E então de cabeça, meus amigos, é um computador do último grito! É impressionante como consegue reter tantos pormenores, datas,  nomes, terras, coloridos sociais e etnográficos. E com absoluta convicção. Quando lhe falta a certeza, logo reconhece: "Disso já não me recordo bem..."
Uma vida ao serviço da família, entregando-se totalmente ao bem desta. Fiel aos seus valores e princípios, age dentro destes parâmetros. A velhice acrescentou-lhe uma enorme dose de tolerância, sobretudo em relação aos netos para quem é uma verdadeira simpatia, mesmo quando algumas atitudes destes fogem ao quadro de referência dos seus valores. Brinca com eles e aprecia imenso quando algum  se senta ao pé de si para uma boa conversa. E o que é certo é que eles também o fazem bastantes vezes.
Sempre o conheci como um homem sem vícios. O único vício que sempre cultivou - e continua a cultivar - é a ida a Lamego à quinta-feira para as suas compritas. Nos últimos anos até arranja um bocadinho de tempo para um café com os amigos que encontra nesse dia. Gesto que a todos os filhos agrada, pois só lhe faz bem conviver. No "Verdinho" ou à boleia com filhos ou com amigos, lá vai e vem.
É mais fácil um mosquito engolir um boi do que ele faltar à Missa ao domingo. Desde sempre. Não, não é por tradição, é por convicção. Uma exigência da sua fé simples, mas profunda. Apoiado na sua bengalita, lá vai à Eucaristia ao Lar, pois fica-lhe mais perto.
Parabéns, pai!
Por muitos anos. És realmente o pilar e o sustentáculo da unidade familiar.
Obrigado por tudo. Obrigado por tanto!

Sem comentários: