sábado, 21 de setembro de 2013

Era tão pobre, tão pobre, tão pobre…, que só tinha dinheiro!



 1. É bem verdade que «não há grande interesse em ser o mais rico do cemitério», mas «há grande interesse em ser rico para o benefício de outros».

2. «Desconfiar do que possuímos para não sermos possuídos».

3. Todas as nossas riquezas, de todo o tipo, são-nos confiadas, como a administradores, para que as partilhemos, para que as transformemos em felicidade para aqueles que nos rodeiam.

4. É bem verdade que o desejo de ganhar dinheiro torna muitas pessoas extremamente inventivas. No dia em que dedicarmos tanto tempo e massa cinzenta a inventar soluções de paz, de justiça e de partilha como a ganhar dinheiro para além do necessário, a face do mundo mudará. E se já passássemos tanto tempo a falar de solidariedade e de partilha como a falar de dinheiro, provavelmente muitas coisas mudariam.

5. Os filhos da luz sabem que o dinheiro não passa de trocos, comparado com a grande empresa que é o Reino. Eles não «servem» o dinheiro como se serve uma divindade, mas colocam-no ao serviço do Reino.

Sem comentários: