quinta-feira, 5 de setembro de 2013

"Não imagino que um sírio possa ter esperança de que uma solução venha de fora"


Nawras Sammour, padre jesuíta, 46 anos, é sírio. É um dos diretores do Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS).
"Fazemos o nosso melhor, temos 500 pessoas no terreno e baseamo-nos nos três princípios do trabalho humanitário: neutralidade, imparcialidade e o trabalho com civis.
Estou convencido, e esta é a minha mais profunda convicção, de que a solução, caso exista, tem de ser política, através do diálogo. É a única solução. Não se trata de fazer guerra. Seja através dos americanos ou de outros ocidentais, ou mesmo do Oriente, não vejo que a guerra possa resolver alguma coisa. Não imagino que um sírio possa ter esperança de que uma solução venha de fora."

Veja  aqui a entrevista de alguém que é sírio e está no terreno, apoiando quem mais sofre.

Sem comentários: