quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Hospital de Proximidade de Lamego


 
O novo Hospital de Proximidade de Lamego entrou em funcionamento às 00:00  horas do dia 11 de fevereiro, segunda-feira. Construída junto ao nó da A24, a nova unidade hospitalar disponibilizará aos utentes do Douro Sul um serviço de medicina interna com 30 camas de internamento para doentes agudos e uma urgência básica qualificada com o apoio de especialidades médico-cirúrgicas.
 
Com um investimento estimado em cerca de 42 milhões de euros, o Hospital de Proximidade de Lamego privilegiará a componente de ambulatório com o objetivo de reduzir o impacto do internamento na vida dos doentes e das suas  mílias. Centrará a sua atividade nas seguintes valências: cirurgia de ambulatório, consulta externa, urgência básica  qualificada, hospital de dia e visitas domiciliárias.
Será o hospital de referência (preferencial) de cirurgia de ambulatório para toda a área de influência do Centro Hospitalar de Trásos-Montes e Alto Douro e também serão criadas, eventualmente, sete camas reservadas à prestação de cuidados paliativos para doentes graves. Francisco Lopes acredita que “apesar do reduzido número de camas, terá capacidade para garantir uma resposta suficiente aos doentes agudos”.

 
30 mil cirurgias por ano no Hospital da Proximidade de Lamego
O Hospital de Proximidade de Lamego tem capacidade para realizar cerca de 10 mil cirurgias por ano nos três blocos operários, disse fonte do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD), aquando da visita às  instalações do novo hospital que abriu esta segunda-feira.
Carlos Vaz, presidente do conselho de administração do CHTMAD, que no decorrer de uma visita à nova unidade
hospitalar falou aos jornalistas disse que este “É o primeiro hospital do país construído de raiz para ambulatório”.
O objetivo é que os doentes sejam tratados com “mais eficácia e eficiência” no hospital e fiquem menos expostos às infeções hospitalares. Segundo o responsável, o conceito de hospital de proximidade, em desenvolvimento na Europa, “permite, pela sua natureza mais ligeira e articulada, uma maior proximidade com o utente”. Enquanto a ligação a um hospital tradicional de referência permite que receba apoio de especialistas e outros recursos. Permitindo também o envio de doentes de intervenções mais complexas e subsequente internamento para o hospital de Vila Real.
Carlos Vaz salientou que a unidade tem capacidade para realizar cerca de 10 mil intervenções cirúrgicas por ano, possuindo ainda consulta externa, urgência básica qualificada com capacidade para 60 mil atendimentos por ano, hospital
de dia e visitas domiciliárias, que permitirão o acompanhamento dos doentes, em suas casas.
Ao contrário do inicialmente previsto, o hospital possui um serviço de medicina interna com 30 camas de internamento para doentes agudos.
In Douro Hoje
 

Sem comentários: