quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Exposição de Pintura no Auditório Municipal de Tarouca

A inauguração da Exposição de Pintura "A Vida de S. Bento", de Frei Paulino Luís de Castro, O.S.B., realizou-se hoje, dia 27 de outubro de 2016, pelas 19h, no Auditório Municipal Adácio Pestana - Tarouca.
Recorda-se que esta Exposição estará aberta ao público até 10 de novembro próximo.
Na sessão de inauguração, usou da palavra o P.e Avelino, Diretor do Colégio de Lamego, que falou de São Bento, o Padroeiro e Pai da Europa.
São Bento nasceu em Núrcia, cem quilómetros ao Norte de Roma, por volta do ano 480; morreu em Monte Cassino, na Campânia, em torno de 547. Sua vida transcorreu num século conturbado: o império romano foi assaltado, a partir de 450, pelas ondas sucessivas de invasores vindos do Leste.
Primeiro ermita, depois monge, deve-se a ele a mais famosa regra monástica: "ORA E LABORA" (Reza e trabalha). É dele ainda a sempre atual postura dos responsáveis: "Não se imponham pelo temor, mas pelo amor".  Foi o fundador da Ordem dos Beneditinos, uma das maiores ordens monásticas do mundo.
Seguidamente dissertou a Drª Amélia Albuquerque sobre as granjas e a sua ligação aos cistercienses, que tanta implantação tiveram entre nós. Basta pensar em S. João de Tarouca e Salzedas.
Os Cistercienses são uma ordem derivada dos Beneditinos.
Na ordem de Cister havia os Monges, que cuja vida era passada dentro das paredes do Mosteiro (ORA LABORA) e os Irmãos Conversos que se dedicavam às várias tarefas visando a sustentação dos Mosteiros.
Aqui surgem as granjas onde os Irmãos Conversos tratavam dos campos, dos animais, da agricultura. Nas granjas havia alfaias e estruturas agrícolas. Estas granjas, no contexto do tempo, eram verdadeiras unidades de produção inovadoras e muito contribuíram para o desenvolvimento do país.
Destas granjas deriva o nome de muitas povoações atuais e de vários locais, como Granja Nova, Granjinha, Granjão, Granja do Tedo, etc.
O Dr. José Pessoa falou sobre a importância da História, porque não poderemos saber para onde vamos se não soubermos donde vimos. A culturas e os valores como a fraternidade, a solidariedade, a mútua ajuda, a liberdade e a criatividade têm que fazer parte da formação integral da pessoa.
O P.e Paulino, autor da Exposição, agradeceu a presença daas pessoas e afirmou que se limitou a dar o seu contributo não só para o conhecimento de São Bento mas também para a valorização da comunidade.
O Presidente da Câmara, Valdemar Pereira, encerrou a sessão, mostrou a sua alegria pela vinda da Exposição até Tarouca e mostrou-se convicto que muita gente iria aproveitar este momento cultural entre nós.

Sem comentários: