quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Bispos elogiam “profundo sentido de humanidade e de fé” de Guterres

O antigo primeiro-ministro, que vai assumir cargo de secretário-geral da ONU, sempre assumiu as suas convicções católicas.
Discurso do Papa Francisco aos Bispos da Conferência Episcopal de Portugal em visita «Ad Limina Apostolorum»
O porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou esta quinta-feira a notícia do acordo no Conselho de Segurança para propor António Guterres como próximo secretário-geral das Nações Unidas.
“Sabendo que o engenheiro António Guterres está praticamente eleito como secretário-geral da Organização das Nações Unidas, a nossa reacção só pode ser de profundo reconhecimento e sincera congratulação”, refere o padre Manuel Barbosa, em nota enviada à Agência Ecclesia.
O sacerdote fala de Guterres como um “eminente cidadão português”, elogiando “o seu profundo sentido de humanidade e de fé”.
“Pela sua competência e sabedoria acumuladas em importantes serviços à sociedade em Portugal e no âmbito da ONU, desejamos que consiga enfrentar com coragem, diálogo e decisão todos os grandes desafios que estão na agenda mundial, sempre na procura da paz, da solução pacífica dos conflitos e do desenvolvimento de relações amistosas entre as nações”, acrescenta.
O padre Manuel Barbosa recorda que, tal como os seus imediatos antecessores, o Papa Francisco discursou na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, a 25 de Setembro de 2015, para recordar “a importância que a Igreja Católica reconhece a esta instituição e as esperanças que coloca nas suas actividades”.
O secretário da CEP apresenta como prioridades para a ONU a “defesa dos direitos humanos”, “missões humanitárias de paz e reconciliação”, “defesa do meio ambiente” e “procura de uma solução para a crise dos refugiados”.
Em 2015, o Papa evocou em Nova Iorque as “tristes consequências de tráfico de seres humanos, tráfico de órgãos e tecidos humanos, exploração sexual de meninos e meninas, trabalho escravo, incluindo a prostituição, tráfico de drogas e de armas, terrorismo e criminalidade internacional organizada”.
Esperamos que António Guterres contribua de modo eficaz para que a ONU, com os seus Estados-Membros e funcionários, «preste sempre um serviço eficaz à humanidade, um serviço respeitoso da diversidade e que saiba potenciar, para o bem comum, o melhor de cada nação e de cada cidadão» (Papa Francisco).
O ex-primeiro-ministro português António Guterres foi o mais votado na quarta-feira no Conselho de Segurança das Nações Unidas para secretário-geral da ONU.
Este órgão deve aprovar hoje (15h00 em Lisboa) uma votação formal a indicar o nome de António Guterres para a Assembleia-Geral das Nações Unidas, formalizando assim a eleição do sucessor de Ban Ki-moon.
Agência Ecclesia

Sem comentários: