domingo, 1 de maio de 2016

Poque são criticadas as pessoas que fazem algo pelos outros?

Quando uma pessoa se mete na sua vidinha, vive fechado na concha dos seus interesses, nada faz pelos outros, essa pessoa não é criticada.
Quando uma pessoa é capaz de dar tempo, disponibilidade, cooperação, serviço à comunidade, aí já é criticada, denegrida, exposta, injustiçada, quando não difamada...


Tinha de ser exatamente ao contrário. Quem merece ser criticado é quem nada faz pelos outros, nunca se expõe, vive no mundo do seu umbigo, é egoísta.
Quem "dá o corpo ao manifesto" em favor dos outros e do bem comum merece ser reconhecido, estimado, estimulado, respeitado.


O ser humano não existe para viver em concha. Não é esta a vocação. Água estagnada e parada apodrece.
Somos humanos quando nos abrimos, partilhamos, colaboramos, arriscamos.


E mais baixo ainda é quando aqueles que nada fazem pelos outros aparecem como paladinos da crítica aos que colaboram em prol do próximo e do bem comum.
Só tem autoridade para criticar quem é capaz de fazer algo pelos outros.


"Não te magoa quem quer, é quem pode", diz a sabedoria popular. E só o pode fazer quem tem autoridade para tal, desde que o faça com verdade e caridade.
Lembre-se, quando colabora, mesmo que sofra por tal, recebe o melhor prémio, o da sua consciência. E, como na hora da verdade, quem vai responder diante de Deus não é a língua dos outros, mas a sua boa ou má consciência, seja fiel a esta. Isto é próprio de gente livre!

Sem comentários: