sexta-feira, 13 de maio de 2016

Cardeal-patriarca convida a rezar por refugiados e desempregados

D. Manuel Clemente diz que Estado tem obrigação de respeitar «legítimas escolhas de cada um»
Foto: Santuário de Fátima



O cardeal-patriarca de Lisboa convidou hoje os peregrinos presentes em Fátima para as celebrações do 13 de maio a rezar pelos refugiados e desempregados.


Na homilia da Missa a que presidiu na Cova da Iria, D. Manuel Clemente recordou as “variadas situações da vida e dos povos” pelas quais se reza em Fátima, “por sãos e enfermos, sós ou sem trabalho, vítimas e refugiados”.


O cardeal-patriarca sustentou que as entidades políticas devem servir “o bem comum”, em respeito pelas “legítimas escolhas de cada um”.
“Porque solidariedade sem subsidiariedade, não o é de facto. É neste ponto que culto, cultura e sociedade se devem harmonizar, mesmo e sobretudo em sociedades plurais e democráticas, como quer ser a nossa”, precisou.
Citando São João Paulo II, o patriarca de Lisboa alertou para as “forças desagregadoras a nível ideológico e prático” que ameaçam a família.
Perante milhares de pessoas reunidas na esplanada do Santuário, numa manhã que começou debaixo de chuva, o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) recordou o impacto da devoção mariana na vida dos católicos no país e na própria construção da sociedade.
“Estando nós em tempo de grandes indefinições culturais, lembro tão-somente que Portugal nunca se entendeu sem Santa Maria, cuja ‘terra’ é. E adianto ainda que só por grande distração ou preconceito não se notará o que aqui sucede há um século quase, neste chão bendito da Cova da Iria”, referiu.
D: Manuel Clemente disse que Fátima há “um coração em que cabem e se sublimam os de todas as mães”.
“Será esse talvez o maior ‘segredo’ de Fátima. E assim mesmo atrai, assim mesmo perdura”, prosseguiu.
O Santuário anunciou a participação de 177 peregrinações organizadas para este 13 de maio, oriundas de 34 países.
Milhares de pessoas percorreram a pé o percurso até Fátima, de vários pontos de Portugal, para participar nas celebrações da peregrinação internacional de maio.
O Santuário de Fátima acolhe também hoje as celebrações de encerramento da visita da Imagem Peregrina, incluindo a consagração das Dioceses de Portugal a Nossa Senhora.
A iniciativa acontece 85 anos depois da “primeira peregrinação nacional dos bispos portugueses e da consagração de Portugal”, como recordou esta quinta-feira o bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto.
In agência ecclesia

Sem comentários: