segunda-feira, 10 de março de 2014

A falta de médicos especialistas no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro


A falta de médicos especialistas no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, instalações desadequadas e equipas reduzidas nas unidades de saúde familiares foram lacunas apontadas pelos deputados que visitaram esta segunda-feira o distrito de Vila Real.
Os deputados da Comissão Parlamentar de Saúde visitaram os hospitais de Chaves e Vila Real, que integram o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) , bem como o centro de saúde n.º1 de Vila Real, onde estão instaladas duas unidades de saúde familiares (USF).
O objetivo, de acordo com o vice-presidente da comissão, o deputado social-democrata Couto dos Santos, era "verificar no terreno o que é a realidade".
O parlamentar fez questão de destacar o "excelente trabalho" prestado pelos profissionais de saúde. No entanto, reconheceu a existência de algumas lacunas a nível dos médicos especialistas neste centro hospitalar. "Uma coisa que notamos é que há necessidade de médicos especialistas nestas zonas do interior, está tudo localizado junto ao litoral". Esta é, segundo o responsável, a lacuna "que é mais notada junto dos cidadãos".
Por sua vez, o deputado do PCP Jorge Machado realçou a "excessiva concentração de serviços e valências em Vila Real" e a "grande dispersão territorial" dos quatro hospitais que integram o CHTMAD, desde Chaves, Vila Real, Peso da Régua a Lamego.
Cidades que, segundo o parlamentar, "não estão ligadas por uma rede de transportes públicos" e onde se introduziram portagens na principal via de ligação, a Autoestrada 24 (A24). "O Governo está meramente preocupado em poupar recursos e dinheiro e com isto não olha a meios", frisou.
Jorge Machado destacou facto de se tratar de um distrito envelhecido, de idosos com baixas reformas e onde as pessoas não possuem meios para se deslocarem entre as unidades de saúde. "Está-se a afastar as pessoas do serviço nacional de saúde", afirmou o deputado.
Em representação do PS, Luísa Salgueiro defendeu a necessidade de se conhecer os "problemas numa lógica de proximidade". Nesse sentido, após a visita, realçou o problema de pessoal e de instalações desadequadas ao nível do funcionamento das USF no centro de saúde n.º 1 de Vila Real.
"Mais uma vez o problema é de pessoal, de equipas que foram constituídas e que neste momento já estão desfalcadas. Os médicos estão a aposentar-se e não há renovação e há uma maior dificuldade em responder às necessidades das populações", salientou.
Quanto às instalações, prevê-se que uma das USF vá ocupar um edifício inacabado, que vai ser cedido pelo município à Administração Regional de Saúde do Norte (ARS Norte).
A deputada disse ainda que outra dificuldade relatada no decorrer da visita foi a "falta de articulação entre os cuidados de saúde primários e os cuidados hospitalares".
"Não há uma referenciação correta e o que se verifica é que, por exemplo no hospital de Chaves, existem muitas situações de doentes que se deslocam ao hospitalar porque os centros de saúde ou unidades de saúde familiares não dão a resposta devida e há, por isso, um acréscimo de serviço desnecessário", explicou.
Os deputados da Comissão de Saúde prosseguem na terça-feira esta viagem a Trás-os-Montes, com visitas a unidades de saúde do distrito de Vila Real.
Fonte: aqui

Sem comentários: