terça-feira, 29 de abril de 2014

A pobreza envergonhada - GRANDE DESAFIO

Cidadãos
Estado
Grupos virados para a solidariedade
Todos

Existe hoje um enorme desafio. Chama-se pobreza envergonhada. Muitas vezes não se dá a conhecer... tem vergonha. Têm que ser os cidadãos e os grupos a prestar atenção aos sinais de pobreza envergonhada.
Gente que sempre viveu razoavelmente - ou mesmo bem - e que, em virtude da crise, se encontra em estado de miséria. E tem vergonha de dizer que precisa!
Existe hoje um pé-atrás em muita gente quando se fala de pobreza, pois relaciona-a com os do "ordenado mínimo". Muitos destes não merecem simpatia por parte de alguns cidadãos, pois entendem que tais beneficiados não querem trabalhar, gastam tudo nos cafés e ainda por cima não educam os filhos... Por outro lado, pensam, tais beneficiados entranharam um miserabilismo que se vai tornando congénito, no sentido da pedinchice, mesmo recorrendo a mentias para obter ajuda.
Mas não confundamos a agulha com o palheiro. Há realmente gente que precisa. Gente que até teve uma vida boa, que trabalhou, que lutou, mas a quem a crise ... tudo levou.
Não nos valamos de defeitos ou erros que tais pessoas possam ter tido no passado, pois todos temos telhados de vídeo. Ajudemos, acompanhemos, demos voz e vez, encaminhemos.
A esses cidadãos, também dizemos que não é vergonha dizer que se precisa. Vergonha é ter carências graves e não pedir nem aceitar apoio.
Na roda da vida, hoje podem ser uns, amanhã outros...
Ajudemos com discrição para não expor a situação de quem precisa.
E não deixa de ecoar a palavra do P.e Américo, fundador do Gaiato:
"Cada comunidade cuide de seus pobres!"

Sem comentários: