sábado, 2 de junho de 2012

Porque será que toda a gente conhece as portas das Igrejas para pedir?

Os cristãos que frequentam as Igrejas estão a ser constantemente metralhados para a solidariedade e para a caridade.
São peditórios e mais peditórios (Seminário, Missões, Caritas, obras, necessidades paroquiais, momentos específicos relacionados com tragédias, etc, etc).
Mas são estas pessoas que toda a gente procura para dar, dar, dar. Não há associação  virada para a solidariedade que não bata às portas das Igrejas. De todos os recantos do país.
Penso que tais associações,  que pedem em nome da solidariedade, estão a ser muito pouco solidárias e caritativas. Pedir a quem está fartinho de dar???
Devem pedir nas grandes superfícies comerciais, à porta dos estádios e recintos desportivos, nos locais de lazer, nos cafés, aos bancos, etc.
A solidariedade é um valor cívico, por isso não é monopólio dos cristãos.  Ser humano é ser solidário.
Depois é isto: o interior é normalmente esquecido pelo litoral. Mas o litoral vem ao interior para pedir a quem quase nada tem para dar. Será justo? Será ser solidário? Certamente que não. Todos sabemos que as grandes fortunas estão no litoral. No interior contam-se os tostões...

Sem comentários: