quarta-feira, 13 de junho de 2012

DISCORDO, SENHOR BASTONÁRIO!

O bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, defende a diminuição do número de vagas nos cursos de Medicina. (aqui)

Que se defenda a diminuição do número de vagas nos cursos de Letras, Ensino, Advocacia e outros que formam jovens para o "sem saída", estou de pleno acordo.
Agora em Medicina?! Aqui deveriam aumentar as vagas, com o acesso a contemplar testes psicotécnicos. O facto de um aluno ter uma média de 19, não quer dizer que tenha vocação para médico... E com a vida não se brinca. Conheço muitos e grandes médicos que o são sem terem, nem de perto nem de longe, as notas que hoje são exigidas. Mas tinham e têm vocação.
Enquanto 9,3% dos médicos forem estrangeiros, parece-me de mau tom falar de redução de vagas no acesso ao curso de medicina.
Enquanto no interior houver a falta de médicos que se nota - e ainda mais quando de trata de especialistas -, parece-me injusto falar de redução de vagas no acesso ao curso de medicina.
Enquanto houver centenas de portugueses que esperam tempos loucos por uma consulta de especialidade ou por uma intervenção cirúrgica, parece-me inadequado falar de redução de vagas no acesso ao curso de medicina.
Enquanto houver portugueses a aguardar consulta nos Centros de Saúde desde as 2/3 horas da madrugada, parece-me insensato falar da redução de vagas no acesso ao curso de medicina.
Enquanto uma consulta no privado tiver o preço que tem, parece-me muito discutível falar na redução de vagas no acesso ao curso de medicina.

Sem comentários: