quinta-feira, 31 de outubro de 2013

"É ofensivo dizer que os portugueses viveram acima das suas possibilidades"

Em entrevista à Renascença, o presidente da Cáritas Portuguesa diz que o Orçamento do Estado para 2014 volta a penalizar "os mesmos". E confessa o que mais o assusta: "É não saber quando é que isto vai acabar". "Isto" é a austeridade. 

Veja aqui a entrevista

Sem comentários: