quarta-feira, 12 de novembro de 2014

“A gramática básica de cada bispo”,


Francisco apresentou hoje uma reflexão a partir das cartas pastorais de São Paulo (século I) sobre os que estão à frente das comunidades católicas, aos quais se pedem qualidades como “acolhimento, sobriedade, paciência, mansidão, fiabilidade, bondade de coração”.
Estas qualidades, acrescentou, devem ser “a gramática básica de cada bispo”, para que possa dar um testemunho credível.
“Isto significa que deve estar sempre viva a consciência de que não se é bispo, sacerdote ou diácono por ser mais inteligente, mais corajoso ou melhor do que os outros, mas apenas pela força de um dom, um dom de amor”, assinalou o Papa.

Sem comentários: