domingo, 9 de fevereiro de 2014

Sondagem aos católicos dos 5 continentes sobre alguns dos temas que mais preocupam a Igreja

Uma reveladora sondagem realizada pela Univision, a maior cadeia de televisão dos Estados Unidos, concluiu que a maioria dos católicos do mundo não está de acordo com algumas doutrinas da Igreja, como o aborto, o uso de anticoncetivos e a proibição da comunhão para os divorciados recasados.


A sondagem foi realizada entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, a 12.038 fiéis de 12 países maioritariamente católicos dos cinco continentes, e com uma margem de erro de 0,9 por cento.


Veja AQUI os resultados da sondagem.
(Basta carregar com o rato em cada quadradinho para ver o que pensa cada país sobre as diversas questões levantadas.)


RECASADOS
Proibição da comunhão aos recasados. Na  Europa é onde mais desaprovam esta medida (75 por cento), seguida da América Latina (67 por cento).


ABORTO
57 por cento respondeu que deveria permitir-se só  nalguns casos, como quando a vida da mãe ou da criança estejam em perigo;  8 por cento crê que se deve permitir sempre e  33 por cento expressou que não deve ser válido nunca.


ANTICONCETIVOS
Sobre o uso dos anticoncetivos,  a imensa maioria (78 por cento) expressou estar de acordo com o uso deles. Só 19 por cento disse estar contra  estes métodos de planificação. Inclusive, entre aqueles que participam com frequência na vida da Igreja, a percentagem dos que estão de acordo é  maioritária (72 por cento). E nove de cada dez daqueles que vão com pouca frequência também os aprovam.


CASAMENTO DOS PADRES
Também se  perguntou aos fiéis se achavam que los sacerdotes católicos deveriam casar-se. E cinco em  cada dez concordaram com o casamento dos padres.  47 por cento estevo em descordo e  3 por cento não respondeu. Encontram-se na Europa os que mais estão de acordo com o casamento dos padres (70 por cento); na América Latina são 53 por cento.


ORDENAÇÃO DE MULHERES
51 por cento respondeu que elas também deveriam ser ordenadas.  45 por cento afastou a figura de mulheres padres dentro do catolicismo e 4 por cento não respondeu.
Na Europa é onde mais querem ver as mulheres padres (64 por cento), seguida pela América do Norte (59 por cento) e pela América Latina (49 por cento).


CASAMENTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO
A sondagem da Univisión também perguntou se se estava a favor ou contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo.  Neste ponto, os fiéis católicos foram maioritariamente opositores (66 por ciento). Só  30 por cento se expresou a favor das uniões gays. Os africanos são  quem mais se opõe (99 por cento), seguidos dos asiáticos (84 por cento). No caso dos latino-americanos,  57 por cento afastou o chamado ‘casamento gay’. Nos Estados Unidos é onde mais os aprovam (54 por cento). Os consultados de estratos mais baixos (7 em cada 10) são quem mais  recusam estas uniões.


ACEITAÇÃO DE FRANCISCO

Outra das perguntas desta sondagem foi sobre a gestão do papa Francisco durante os primeiros dez meses do seu pontificado.  41 por cento catalogou-a como ‘excelente’, enquanto 46 por cento disse que era ‘boa’. Cinco por cento disse que era ‘medíocre’, e el um por cento, que era má.
A popularidade do papa argentino é comum em todo o mundo, mas maioritária na Europa (90 por cento), seguida pela América do Norte (89 por cento), América Latina (88 por cento), África (85 por cento) e Asia-Pacífico (82 por cento).
Fonte: aqui


À LAIA DE CONCLUSÃO
1. A doutrina da Igreja tem mais adesão (cito por ordem decrescente) na África, na Ásia, Na América Latina, na América do Norte e na Europa.


2. É na Europa, onde a contestação à doutrina da Igreja é maior, que o Papa Francisco goza de mais popularidade. Sintomático...


3. Impressiona-me, nesta sondagem, a percentagem de pessoas a favor do aborto. A vida é - e só pode ser - uma questão inegociável. Se for preciso ir até à cruz para defender a vida, a Igreja tem que ir. Apesar de todas as sondagens e contestações. A vida humana é sagrada desde a sua conceção até à morte natural. Na fidelidade ao Evangelho da Vida, a Igreja não pode recuar e não recuará.
Entre a fidelidade à boa notícia do Evangelho e o 'socialmente correto' de cada época, a Igreja faz a sua opção. Clara, frontal, libertadora, amorosa: o Evangelho.


4. Pelo que ouço constantemente no contacto com as pessoas, esperaria muito mais opiniões favoráveis ao casamento dos padres. Penso que muitos católicos são de um facilitismo desbragado em relação a si mesmos e de uma exigência  ilimitada em relação aos seus pastores. Talvez porque tardam em meter no coração que todos somos Igreja. Todos os batizados são Igreja.


5. Em relação às outras questões, penso que nada de novo. Era o que se esperava.

Sem comentários: