quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Igreja recusa juntar paróquias para as fazer coincidir com nova organização de freguesias


 O bispo de Lamego afirmou esta quarta-feira em Estarreja que a Igreja Católica não vai aplicar às paróquias a reorganização das freguesias promulgada a 16 de janeiro pelo presidente da República.
A Igreja recusa agregar paróquias porque “quer estar próxima das populações, designadamente dos idosos”, disse D. António Couto, citado pela Lusa.
O bispo referiu que os responsáveis eclesiais têm procurado soluções para responder ao reduzido número de padres que devem atender a paróquias por vezes dispersas e de pequena dimensão.
"Já experimentámos deslocar as pessoas de pequenas paróquias para terem a missa dominical em comum com paróquias vizinhas e não resultou. Não podemos pedir, nomeadamente aos idosos, que venham a outros lados. Somos nós que temos a obrigação de ir ter com eles", explicou.
D. António Couto salientou que as divisões administrativas e eclesiásticas têm convivido com limites diferentes, como acontece com a sua diocese, que goza da característica, única em Portugal, de a cidade da sua sede não ser sede de distrito.
"A minha Diocese não é distrito, graças a Deus", referiu durante um debate sobre ecumenismo e diálogo inter-religioso organizado pela Diocese de Aveiro e que contou com a participação de Jorge Sampaio, antigo presidente da República e Alto Representante do Secretário-Geral das Nações Unidas para a Aliança das Civilizações.
Fonte: aqui

Sem comentários: