segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

13 mil vivem em carros e barracas

 Em Portugal há 13 mil pessoas que vivem em carros, armários ou barracas, segundo os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística. No total são 6633 famílias que não possuem rendimentos ou apoios sociais que lhe garantam viver numa casa.
Veja aqui o desenvolvimento da notícia.
 
Sem qualquer demagogia, vejo-me a perguntar:
- As mordomias dos políticos (cantinas de luxo, carros, subsídios, etc) não deveriam ser extintas para ajudar muitas destas famílias sem casa?
- Perante situações como estas de enorme miséria, há algum motivo que explique os ordenados "indecentes" de certos gestores? 
- Diante deste sofrimento, como explicar os privilégios de certos grupos sociais? Vem-me à memória a denúncia corajosa do Dr Marinho e Pinto acerca dos privilégios dos juizes...
- Onde está a voz profética da Igreja?  É fundamental o exercício da caridade e da solidariedade (isso a Igreja tem feito, está no terreno), mas não chega. É preciso que os pastores dêm voz e vez a quem não tem voz nem vez.
 


Sem comentários: