domingo, 12 de fevereiro de 2017

Sempre a verdade, mas nunca a verdade sem amor. Sempre o amor, mas nunca o amor sem a verdade

1-  "A vossa linguagem deve ser: ‘Sim, sim; não, não’." - Jesus Cristo
O que foi dito, pela Lei, aos antigos, permanece válido. E Jesus não retira uma vírgula. Para Jesus os mandamentos não têm prazo de validade!
2 - O 5.º mandamento da Lei: «Não matarás».
«Não matar» não é apenas não praticar o homicídio ou não atentar o suicídio. Quem odeia o seu irmão é um homicida (1 Jo 3,15): também a ira e a raiva, a indiferença ou o desprezo pelo outro, a maledicência e a difamação, o mexerico e a calúnia, são armas de destruição maciça, que matam verdadeiramente. E hoje, Jesus diria: também a eutanásia, isto é, “qualquer gesto ou omissão, que, por sua natureza e nas intenções, provoca a morte, com ...o objetivo de eliminar o sofrimento” (EV 65) é uma falsa compaixão e atenta contra o direito à vida, que nunca perde, em caso algum, a sua dignidade. “Não matar” não nos exige apenas depor as armas da violência, mas implica entrar na luta pelo cuidado e pela defesa da vida e da sua dignidade, que permanece inalterável, desde a sua conceção inicial ao seu ocaso natural. Não lutemos por uma morte assistida, mas por uma vida assistida até à morte. Sempre pela vida, até à morte. Mas nunca pela morte, antes da vida.
3. Jesus toma o 8.º mandamento da antiga Lei, para não conceder qualquer espaço à mentira, nem mesmo à “mentirinha piedosa”! Ele exige-nos plena lealdade na nossa linguagem: “sim, sim; não, não”. Não há aqui lugar para o “nim”, para a ambiguidade do “assim-assim”. Jesus não entra na conversa fiada de quem disfarça a mentira com a suposta “inverdade”, ou de quem dá cobertura à “aparência” ou ao “boato”, com a treta da “pós-verdade” ou dos “factos alternativos”. Quanta atualidade tem este mandamento da verdade, quando a palavra dada deixou de ser um testamento, e quando as promessas se tornaram apenas iscos e riscos de ilusão e captura. Sempre a verdade. Mas nunca a verdade sem amor.
4. HÁ QUEM VIVA DE APARÊNCIAS E PARA APARÊNCIAS...
Pessoas que passam a vida preocupadas:
- Que pensam de mim outras pessoas?
- Será que me acham giro (a)?...
- Como apreciam os outros o meu vestir, o meu penteado, o meu carro, a minha casa?
- Será que os outros me acham simpático (a)?
- Ninguém tem filhos com,o os meus...
- Quero é ser considerado (a) pelos outros...
- Eu cá não sou como fulano, sicrano, beltrano

MAS O IMPORTANTE NÃO SÃO AS APARÊNCIAS!
IMPORTANTE É O CORAÇÂO DE CADA UM!!!
Esse que Deus vê e de cujo olhar não fugimos.
Esse que é o fulcro da nossa dignidade e da nossa liberdade.
Quando vemos uma pessoa que nos parece ter um porte exemplar, quantas vezes não tem pensamentos, desejos, vontade, sentimentos que, se os conhecêssemos, ficaríamos chocados.
Quantas vezes uma pessoa que tem uma aparência chocante, não tem um coração de oiro?
Fundamental é o coração que temos.
A PESSOA DE BEM REGE-SE PELA FIDELIDADE À VOZ DA CONSCIÊNCIA.

Sem comentários: