segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

"TENHA CALMA!"


Há dias, uma senhora amiga disse-me:
- Já o conheço. Agora, que estão a acabar as obras no Centro Paroquial, já está a pensar em se meter noutra. Diga lá se não tenho razão...
Sorri-me. Mas ela leu o meu olhar.
- Eu sei que a reparação do interior da Igreja Paroquial e a edificação da Capela do Castanheiro do Ouro são uma obsessão para si. Mas vá com calma, muita calma. As pessoas têm o seu ritmo que não é o seu...
- Eu sei - respondi sem grande convicção.
- É que a vida não está fácil para ninguém - insistiu a senhora com ar sincero e sério. - Se o senhor insiste já em novas obras, acaba por criar um clima contra si que só o desfavorece. Dê tempo ao tempo.
- Não é a minha pessoa que está em causa, mas a comunidade e suas necessidades. Se estivermos à espera de agradar a toda a gente, nunca mais se faz nada. E a senhora tem a prova... Repare no que se passou com o Centro Paroquial. A vida é um desafio constante.
- Acredito. Mas se anda depressa demais pode separar-se demasiadamente do passo da comunidade. E depois? Fica a falar no deserto, levando com as enxurradas de areia...
- Pode muito bem ser verdade, mas parar é morrer. A vida é curta para ficarmos paralisados pelo medo ou preocupados pela reputação pessoal. Quem não arrisca não vai a lado nenhum, é um eterno refém da opinião alheia. A senhora sabe que a minha preocupação sempre foi o bem da comunidade, por isso prefiro pro-agir do que reagir.
- Admiro essa sua faceta, mas o senhor já não é propriamente um jovem. Tenha calma, deixa respirar as pessoas. Vai ver que é mais fácil.
- Tem razão. É preciso dar tempo ao tempo, sem ficar parado no tempo.

Sem comentários: