terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Jornal Sempre Jovem: "Tarouca inaugura o Centro Paroquial Santa Helena da Cruz"


Depois de muito trabalho e sofri­mento do Pároco,  Manuel Carlos Pereira Lopes, acompanhado por uma equipa de paroquianos que, tendo posto mãos à obra, não deixaram que o Pároco ou o povo esmorecessem, eis que chega o dia 27 de novembro de 2016.
Esse dia foi, de facto o DIA DA CO­MUNIDADE PAROQUIAL, pois teve Eucaristia, Crisma, Bênção do Centro Paroquial, Festa da Catequese, Música, e lanche popular.
Presidiu à cerimónia D. Jacinto, Bis­po Emérito da Diocese de Lamego. Re­ceberam o Crisma 46 jovens, sendo 37 da Paróquia dc Tarouca, 5 da Paróquia de Gouviães e l da Paróquia de Várzea da Serra.
A igreja eslava repleta de paroquia­nos, havendo muita gente à porta, por não caber dentro, embora estivesse a cair uma chuva miudinha.
Após a Missa Crismal, realizou-se a caminhada, em procissão, para se pro­ceder à bênção do Novo edifício. O salão estava repleto.
Logo de imediato, houve a Sessão Solene de Inauguração, que foi orientada pela D.ra Almerinda Matias.
Na Sessão, usaram da palavra o Pá­roco, o representante do Conselho Eco­nómico, Dr. Rui; o Presidente da Junta de Freguesia, Rui Raimundo; o O Presidente da Assembleia Municipal, Dr. Domingos Nascimento; o Presidente da Câmara, Valdemar Pereira e o sr. Bispo D. Jacinto.
Todos os oradores foram unânimes no louvor e no agradecimento ao P.e Carlos pela sua coragem, pelo seu empenho, pela abdicação de bens que eram seus.
O p.e Carlos agradeceu a todos os que colaboraram: Câmara, Junta de Fre­guesia, pessoas anónimas, empresas, grupos, instituições e associações.
No fim da Sessão Solene, foi servi­do o almoço, muito bem condimenta­do, para todos os convidados, que eram muitos.
De seguida houve a estreia diversão no salão maior, que se destina, também, a eventos festivos e outros, pois cabe lá muita gente.
Este dia ficará na memória de todos os tarouquenses e daqueles que estive­ram presentes.
Sempre Jovem, na pessoa do seu diretor quer, publicamente, prestar ho­menagem ao P.e Carlos e a todos os que contribuíram, de alguma maneira, para esta obra. Valeu a pena esperar alguns anos com a ideia na cabeça, como ele fez. E o que parecia impossível, tornou- se realidade.





Sem comentários: