quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

SOLENIDADE DA IMACULADA CONCEIÇÃO DE NOSSA SENHORA PADROEIRA DE PORTUGAL

Portugal foi sempre a "Terra de Santa Maria"
8 de dezembro
SOLENIDADE DA IMACULADA CONCEIÇÃO DE NOSSA SENHORA
PADROEIRA DE PORTUGAL

Portugal foi sempre a "Terra de Santa Maria".
Vamos recordar alguns passos da História de Portugal.
1. - O nosso primeiro Rei, nascido em Guimarães, foi batizado nessa mesma cidade, na igreja de S. Miguel Arcanjo.
Nessa "cidade berço", havia um templo dedicado a Santa Maria - Santa Maria da Oliveira - no mosteiro que a condessa Mumadona fundara aí no século X.
2.- Segundo o cronista António Brandão, "o menino foi logo posto debaixo do amparo da Bemaventurada Virgem Maria Mãe de Deus, Senhora Nossa, por cuja revelação e intercessão alcançou a saúde das pernas" (Monarchia Lusitana, 3.ªparte, livro XI), o que terá acontecido na Igreja de Santa Maria de Cárquere.
3.-Sem haver confirmação histórica, consta por tradição que Afonso Henriques colocou o reino sob o amparo de Nossa Senhora de Claraval, da Ordem de Cister, com a obrigação de lhe pagar anualmente cinquenta maravedis em ouro, como prova de vassalagem.
4.- As primeiras catedrais do país, que D. Afonso Henriques ajudou a construir, foram todas dedicadas a Nossa Senhora, com o título de SANTA MARIA. É o caso da do Porto, de Braga, de Lamego e de Coimbra.
4.-Na Crise Política de 1383-85, Nuno Álvares Pereira e o Mestre de Aviz entregaram a Nossa Senhora a salvação de Portugal do domínio de Castela. Agradecendo a Sua proteção, construiu-se a Igreja e o Mosteiro de Santa Maria da Batalha, e D. Nuno construiu em Vila Vicosa, no Alentejo, uma capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição, tendo mandado vir de Inglaterra uma imagem da Senhora.
5.--Em 8 de Dezembro de 1640, sete dias depois da revolução que nos libertou de 60 anos de subjugação a Castela, celebrou-se na catedral de Lisboa, com toda a solenidade, a festa da Imaculada Conceição, com a presença de D. João IV, o nosso novo rei. No mesmo mês, o rei escreveu uma carta à Universidade de Coimbra, informando que tinha decidido e ordenado que todas as cidades, vilas e lugares dos seu reino tomassem por padroeira Nossa Senhora da Conceição.
6.- A 25 de Março de 1646, depois de as Cortes (com representantes do Clero, da Nobreza e do Povo) assim o terem decidido, acorreu ao Terreiro do Paço uma incontável multidão de pessoas de Lisboa e do país, e, na presença de todos, o rei D. João IV, e o príncipe herdeiro D. Teodósio, proclamaram solenemente e para sempre a Imaculada Conceição como Padroeira e Rainha de Portugal.
Joaquim Correia Duarte

Sem comentários: