sexta-feira, 8 de maio de 2015

Tensões e contradições na família


1. Aumenta o valor do matrimónio entre os jovens e desce a taxa de nupcialidade.
2. Aumenta a convicção de que um filho necessita de um lar constituído por pai e mãe para crescer feliz. Contrariamente, aumenta o número de famílias monoparentais e mães solteiras.
3. O adultério é cada vez menos aceite pelos parceiros e mesmo socialmente. Contudo, os jovens reclamam cada vez mais, uma total liberdade sexual.
4. Aumentam os sentimentos familiares, e valorizam-se, por oposição as diversas fórmulas ou comportamentos de mera convivência.
5. Há uma maior sensibilidade para os direitos da criança, mas continuam os abortos e baixa a taxa da natalidade.
6. Considera-se a família como o principal agente de valores e comportamentos, mas assistimos ao predomínio cultural e educativo da televisão. 
7. A mulher esforça-se por tirar cursos superiores e desempenhar trabalhos e funções em todos os âmbitos, porém a sua imagem continua degradada e mal utilizada nos meios de comunicação social.
8.  Existe um paradoxo entre o que dizem ser o grande valor da família e aquilo que os governantes e as leis procuram implementar. Cada vez se defendem menos os valores de uma união estável e com condições materiais e espirituais para criar os filhos. Numa análise sobre os meios de comunicação social, é fácil de perceber um clima hostil aos sentimentos familiares que, apesar de tudo aumentam na consideração de jovens e adultos.
9. Há hoje um maior sentimento social de condenação da violência doméstica, mas creio que essa violência tem aumentado não só em número mas também em gravidade. Basta ver o grande número de mortes que todos os anos são registadas.   
Fonte: aqui

Sem comentários: