segunda-feira, 19 de agosto de 2013

35 minutos à espera da Missa!

Não há férias de Deus, mas férias com Deus.
No dia da Assunção de Nossa Senhora, fomos todos à Missa. A Capela era pequenina e por isso o altar ficou junto à porta da capela, enquanto os crentes se estendiam pelo largo em frente, procurando uma réstia de sombra. A Missa estava marcada para as 9 horas, mas o sacerdote apareceu às 9.35 horas. Certamente por razões muito plausíveis. Ao lado, alguém não deixou de me segredar: "Ai, se fosse em Tarouca!..." Eu percebi onde queria chegar e sorri.

Neste último fim-de-semana, fui com pessoas amigas a Santiago de Compostela. Muita gente. Não admira, é Agosto. Peregrinos continuamente a chegar ao largo frente à catedral. Cada grupo que chegava era recebido com palmas pelos que já aí se encontravam.
Para ir "abraçar" a Imagem do Santo, havia uma fila interminável que se estendia muito para fora do templo. E isto sob um calor de rachar. Enquanto as pessoas que me acompanhavam se fizeram à fila, eu preferi descolar-me até à Capela do Santíssimo Sacramento solenemente exposto. Ambiente de silêncio e recolhimento. Soube-me tão bem!
Dei comigo a pensar. Para ir "abraçar a Imagem", filas e mais filas. Diante do Senhor Sacramentado, meia dúzia de pessoas! Que fé é esta? São Tiago se pudesse desceria para convidar aquela gente para o local certo. Ele iria à frente e ajoelharia diante do Santíssimo Sacramento. Aliás os santos não cessam de nos apontar Cristo. Muita gente fica nos santos e esquece Aquele que a todos pode fazer santos.

Admirei-me com as muitas e caras portagens existentes naquela zona de Espanha. Exagero louco!
Também esperava melhor sinalização de espaços e monumentos.

Neste domingo, com as pessoas que me acompanharam, participámos na Eucaristia numa vila minhota. Igreja muito bem conservada e asseada. Belo monumento.
Mas esperava mais. Em três horas, três missas seguidas. Duas na mesma Igreja e uma num templo ao lado. Pareceu-me um exagero, até porque naquela em que participei, a Igreja estava composta, mas não apinhada. Por outro lado, imaginava as assembleias minhotas mais participativas, mais dinâmicas, mais comprometidas. Não me pareceu. Silêncio, houve. Mas participação....

Sem comentários: