segunda-feira, 5 de março de 2018

Quando as expectativas tombam

A Vida é Sonho , diz Calderón de la Barca. Mas quando o sonho se transforma em debacle?
Agora ou logo, cada pessoa acaba por passar por esta situação. Os sonhos desfazem-se, as expectativas tombam.
Muitos, em virtude desta experiência, deixam de quer sonhar, regem-se por um calculismo e realismo rígido que lhes servem de carapaça.  Prendem-se às teias da vida onde se enredam.  Acabam por endurecer por dentro e tendem a cair na insensibilidade. Não vivem, sobrevivem.
Outros, para esquecer o tombo, buscam mais e mais sonhos, mesmo admitindo que  tombos se sucedam com consequências  devastadoras. Tendem a tirar os pés no chão, vendo o mundo e os outros a partir do imaginado. Consideram-se o centro do mundo e julgam-se os que "estão certos". Vão acumulando feridas na alma a que, tantas vezes, sucumbem  e, aqui e ali, de forma trágica.
Há quem sofra com o tombo sem renunciar ao belo e ao bom da vida. Cada tombo transforma-se numa oportunidade. Cada cura de feridas é uma lição, porque a vida é a mais sapiente universidade. Sofrem, mas não encarapaçam; sofrem, mas não se alienam nos sonhos. Têm os pés na terra e os corações ao alto.

Sem comentários:

Enviar um comentário